Projecto da ESTGOH já deu entrada na Câmara Municipal

O presidente da Câmara anunciou ontem, em reunião do executivo camarário, que o projecto de arquitectura da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital – nas imagens – já deu entrada nos serviços técnicos, e adiantou ainda que aquele equipamento vai ser construído na periferia da cidade, no terreno que foi adquirido pelo anterior executivo entre Gavinhos de Cima e o cemitério novo da cidade.

José Carlos Alexandrino salientou que o projecto, da autoria do arquitecto Carlos Santos, deverá ter um custo na ordem dos 3,5 milhões de euros, e também especificou que o passo seguinte consiste agora na apresentação de uma candidatura aos fundos comunitários do Programa Operacional Valorização do Território (POVT). Em causa deverá estar um financiamento de 80 por cento sobre o valor global da obra.

O vereador do PSD, Mário Alves, lamentou que a Câmara Municipal não tenha aproveitado esta oportunidade para “resolver o problema do elefante branco” da Acibeira, em Lagares da Beira, e também considerou que a previsão de investimento para as novas instalações da ESTGOH é insuficiente. “Três milhões e meio de euros? Então mas é para fazer uma escola ou um barraco”,disse.

O ex-presidente da Câmara recordou ainda que o seu executivo tinha projectado recuperar os edifícios da ACIBEIRA, através de um projecto de cerca de 10 milhões de euros – o QREN chumbou a candidatura –, e que todos os procedimentos decorreram “com a anuência prévia” dos presidentes da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e do Instituto Politécnico de Coimbra.

Sem querer entrar em polémica, Alexandrino explicou que o projecto do anterior executivo estava dimensionado para uma escola com dois mil alunos, enquanto que o actual está feito para mil estudantes. Explicando que todo o processo tem a anuência do Instituto Politécnico de Coimbra, Alexandrino aproveitou ainda a discussão para desafiar a oposição sobre o antigo centro de negócios de Lagares da Beira.

“Desafio os senhores vereadores a votarem comigo uma proposta para aquisição” daquele imóvel, afirmou o autarca eleito pelo PS, sem deixar de frisar que “é preciso arranjar uma solução”, uma vez que a Câmara Municipal terá que desembolsar cerca de 400 mil euros para reaver aquele imóvel, que se encontra penhorado à ordem da Caixa de Crédito Agrícola da Beira Centro.

Do lado do movimento de eleitores independentes “Oliveira do Hospital, Sempre”, José Carlos Mendes disse concordar com a solução encontrada pela autarquia oliveirense para a ESTGOH. “Sempre fomos defensores de que a escola deveria ser construída na cidade e no local onde foi comprado o terreno… estou a torcer para que tenham sucesso nas negociações que estão a efectuar”, afirmou aquele vereador.

 

LEIA TAMBÉM

Dois detidos em flagrante em Tábua por cultivo de cannabis

O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da Lousã deteve, ontem, dois homens com …

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Apenas um elemento do grupo suspeito de vários crimes na zona Centro ficou em prisão

Dos cinco jovens, com idade entre os 22 e os 28 anos detidos pela PJ …