PS considera que declarações de Mário Alves “são mais uma manifestação pública de incapacidade governativa”

Para a Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Oliveira do Hospital, presidida por José Francisco Rolo, a postura assumida por Mário Alves na última Assembleia Municipal, criticando a actuação do Governador Civil de Coimbra a propósito do encerramento da HBC Confecções é “mais uma manifestação pública de incapacidade governativa, desespero, típicas de um final de ciclo”.

Na opinião do PS oliveirense, o actual presidente da Câmara “está esgotado, desgastado, enervado e nervoso, sem soluções para fazer face aos problemas”.

Em comunicado enviado ao correiodabeiraserra.com, a estrutura socialista considera que as declarações proferidas “não foram mais que uma provocação sem nexo” ao trabalho desenvolvido por Henrique Fernandes e, lamenta que “só em Oliveira do Hospital” se tenha assistido “a uma reacção negativa e conflituosa do respectivo presidente da Câmara”.

“O senhor presidente deveria começar por reconhecer que as afirmações que fez (…) são elas próprias um atentado às boas relações institucionais que deviam existir entre a Câmara Municipal e as diferentes entidades e organismos”, recomenda o PS, verificando que “é comportamento habitual” de Mário Alves “este tipo de quezílias”.

“Irresponsavelmente nada faz, nem gosta que outros responsavelmente o façam”

Repudiando “a forma provocatória” como o autarca criticou o trabalho desenvolvido pelo Governo Civil, em colaboração com IEFP, IAPMEI, Segurança Social, Direcção Regional do Ministério da Economia e outra, os socialistas denunciam a falha de Mário Alves ao não desencadear reuniões, nem efectuar esse trabalho de acompanhamento.

“Diremos que irresponsavelmente nada faz, nem gosta que outros responsavelmente o façam”, lê-se no comunicado, onde é também dado o exemplo da não comparência de Mário Alves na reunião realizada no Governo Civil, aquando da discussão dos IC6, 7 e 37, onde esteve presente o secretário de Estado das Obras Pública e Comunicações e autarcas da região.

“O senhor presidente actua, habitualmente, por reacção e não por antecipação dos problemas”, denunciam os socialistas que lamentam a postura “inexplicável” que o primeiro responsável da autarquia mantém com o NDEIB, verificando ainda que ao longo de 16 anos na Câmara Municipal “nunca conseguiu atrair qualquer investimento empresarial de relevo para o concelho”, nem qualquer contrato-programa com os sucessivos governos, para a concretização de infra-estruturas.

O PS de Oliveira do Hospital dá conta de “um total fracasso da política municipal” quer no apoio às empresas, quer no desenvolvimento económico.

Conhecedores da estratégia de Alves de se desculpabilizar com os governos, ministérios, funcionários, técnicos, entre outros, os socialistas consideram que qualquer acção ou iniciativa que venha a ser desencadeada pelo município “será sempre a reboque dos factos e do trabalho já feito por outras entidades”.

LEIA TAMBÉM

Afinal em que país vivemos? Autor: António Lopes.

Fazendo uma análise superficial ao resultado das eleições do último Domingo, considerando as euforias e …

Comentários aos resultados eleitorais em Oliveira do Hospital. Autor: João Dinis, Jano

Grande vitória da CDU na Freguesia de Meruge!  A nível municipal, porém, sai muito ferida …