PS de Oliveira do Hospital ameaça Cristina Oliveira com ação judicial

Extremaram-se as posições políticas em Oliveira do Hospital. A Comissão Política Concelhia do PS anunciou, ontem, a intenção de recorrer à via judicial e apresentar queixa junto da Comissão Nacional de Eleições, caso a candidata de “parte do PSD” não peça desculpa ao executivo municipal que acusou de usar viaturas da autarquia para transportar munícipes para os comícios socialistas.

“A senhora candidata vai obrigatoriamente ter que responder a estes disparates que proferiu num ato público. Ou prova o que levianamente disse, ou pede desculpas públicas aos responsáveis da Câmara ou vai ter que arcar com responsabilidades das acusações de má fé que fez”. A afirmação foi proferida ontem pelo presidente do PS de Oliveira do Hospital que não tardou muito em reagir às declarações que a candidata do PSD à autarquia proferiu na festa do PSD, o Pontal das Beiras, avisando que a Comissão Política Concelhia do PS pondera agir “judicialmente” contra a candidata, bem como apresentar queixa junto da Comissão Nacional de Eleições.

José Francisco Rolo falou assim numa conferência de imprensa que convocou com o propósito claro de reagir às afirmações daquela que apelida de “candidata de parte do PSD”, e que entende que foram proferidas “levianamente e de má fé”. Em causa está, sobretudo, a declaração “muito grave” proferida por Cristina Oliveira de que o executivo socialista faz uso indevido das viaturas da autarquia para transportar munícipes para os comícios socialistas. “Apetece perguntar que moral e ética tem a candidata de parte do PSD para fazer estas acusações”, reagiu ontem o líder do PS concelhio, não hesitando em recordar que é sobre Cristina Oliveira que recaem acusações de alegados “saneamentos políticos, atropelos à lei e falta de transparência e deslealdade institucional”. “Há cerca de seis meses, foi acusada pela sua vice-presidente na DREC de omissão de procedimentos e de tomadas de decisão no âmbito administrativo e saneamentos partidários na escolha de presidentes das Comissões Administrativas Provisórias dos mega agrupamentos”, continuou José Francisco Rolo avisando Cristina Oliveira de que “quem quer respeito, deve-se dar ao respeito”. No mesmo processo, o líder dos socialistas oliveirenses, lembra que a candidata do PSD à autarquia “é acusada de má gestão de dinheiros públicos, ao ter alugado uma viatura entre abril e dezembro no valor de 8500 Euros, apesar de a DREC ter duas viaturas à disposição”. “Ao que parece alugou viaturas a amigos ou empresas de amigos”, continuou ainda o socialista que, volvido meio ano desde que o caso foi tornado público, tem a lamentar o silêncio de Cristina Oliveira e o facto de não se conhecer o resultado do inquérito que foi aberto pela Inspeção Geral de Educação. “Esses inquéritos ou não foram concluídos, ou estão escondidos nalguma gaveta”, referiu o dirigente partidário, chegando a considerar que Cristina Oliveira “está sob custódia partidária para que seja candidata à autarquia”.

Um regresso a um passado recente que José Francisco Rolo se viu obrigado a fazer em resposta à “candidata que está aqui para pagar favores político partidários em troca de nomeações para cargos políticos”.
“Não pode vir de Coimbra para Oliveira do Hospital fazer acusações levianas como quem manda umas bocas de má fé”, avisa o socialista que, na análise ao discurso de Cristina Oliveira na tarde do último domingo, tem a registar a falta de “ideias e projetos para resolver problemas de Oliveira do Hospital”. “A candidatura inventada em Coimbra, para vir a votos em Oliveira do Hospital é claramente a candidatura do vazio, do azedume e da hostilidade”, verifica, desafiando a candidatura de “parte do PSD” a ser “séria” e a “explicar” as razões que levaram à extinção de quatro agrupamentos e uma escola secundária e a “assumir as razões que levaram à extinção de cinco freguesias”.
José Francisco Rolo não tem dúvidas de que a candidatura do PSD “anda nervosa e à deriva” e aposta numa “campanha de cinismo”, pelo que chega a ver como “normal a chegada de mais apoiantes do PSD à candidatura do PS”.

Por duas vezes visada no discurso que Cristina Oliveira proferiu para militantes e simpatizantes, a vereadora Graça Silva rejeitou as acusações de que estaria a usar o processo de constituição do mega agrupamento para fins político – partidários. Do mesmo modo, considerou que tal como ela, também Cristina Oliveira, na função de delegada regional de estabelecimentos de ensino, se deveria ter insurgido com a forma como o Ministério da Educação e Ciência geriu a questão do transporte dos alunos do 4º ano em dia de exame nacional.

 

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • Guerra Junqueiro

    Olha lá Bisu;

    Quanto é que tu gastas em combustível para ires para o local de trabalho (porque não vais trabalhar).

    Este anuncio vindo de ti, que passas a vida a chular o estado, nomeadamente com transportes, é de rir.

    Vai trabalhar malandro.

    Cumprimentos

    Guerra Junqueiro

  • Alfredo Marceneiro

    Então ficam todos ofendidos com aquilo que disse a candidata sobre o uso das viaturas e respondem no mesmo modo. Tou a ver a Sra a ameaçar com uma ação judicial……. Só digo o seguinte, fantochada. Ganhem lá as eleições e deixem a sra que não faz mal ninguém
    é quem nem cócegas vai fazer. Já se esqueceram de tudo o que diziam ao Mario Alves e todos os nomes que lhe atribuiam……

  • ulveirense

    Marceneiro, deixa -te lá de conversa fiada, a candidata do PSD acusou o Presidente da Cãmara de usar ou mandar usar viaturas da CMOH para fazer transportes para comicios do PS.

    Oh Marceneiro, tu achas pouco.

    Pois é , és daqueles que pimenta no rabo dos outros pra ti é refresco.

    És um esperto ! DAQUELES … A MALTA TOPA-TE.

    Quanto à resposta do PS à senhora de Coimbra, ex-DREC, não são mais do que citações de acusações que sairam nos jornais e foram (são) alvo de investigação pelo Ministério da Educação.

    Achas pouco e tolerável.

    E deves pensar que o Alexandrino e Cª. são algum verbo de encher. Engano o teu.

    Fica atento

  • ulveirense

    “frisou – nesta caminhada, Cristina Oliveira apelou ao “civismo e ao saber estar”. “Façam uma campanha limpa, sem insultos gratuitos e sem difamações”

    depois foram as atoardas que se sabe, dela e do pseudo-presidente da concelhia, presidente de coisa nenhuma , eleito por 37 votos.
    Rolo, cinismo é pouco…

  • minerva

    Oh Guerra DESpromovido (ah! ah! ah!)! AGORA DESAPARECIDO para assistires ao toque a finados, em vez de fazeres insinuações de baixo nível, porque não respondes ao que o PS a tua querida candidata??
    Ou agora será tua ex-candidata??
    És um gordo tonto. Um bola zero!

  • Guerra Junqueiro

    minerva

    Fique a saber que não me enerva. Pelo que dei conta, fui dos poucos que por aqui continuei a escrever.
    O minerva é que anda muito atarefado a transportar o Bisu não tendo tempo para aqui vir.
    Devia no entanto por combustível do seu bolso, embora saibamos que metido pelo conterrâneo Esteves sai de borla.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • ulveirense

    E homenzinho para dizeres isso na cara aos visados?!
    Para isso é preciso teres aquilo que não tens, mas sempre podes ir apalpando os dos outros…
    O que vale é que continuas a levantar bem a pata.

  • minerva

    Oh guerrita, há falta de argumentos lá segues o exemplo da tua candidata ou ex-candidata e do mentor tété…
    vê lá se como diz a sabedoria popular ainda “vais sentar o cu no mocho”

  • Guerra Junqueiro

    ulveirense;

    Ficava-te melhor o nick iuveirense, pois não fazes outra coisa que não seja uivar.
    Estou cheio de medo.

    Também tens andado há conta do orçamento?

    Cumprimentos

    Guerra Junqueiro

  • Erasmo de Roterdão

    Com muito menos conversa, e para cortar o mal pela raíz, eu pergunto:
    Quando e onde é que o PS fez um comício..? Eu não me lembro. Também acho que sim.Não se bate em mortos.Fica feio. Deixem os senhores- e senhoras, destilar sobre o próprio insucesso, criticando os outros. Contra factos não a argumentos.Não tiveram um eleito nas Caldas. Perdão, expectante, mas estava o Rui Abrantes.Desta vez nem foi o Speaker..!

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    Têm feito outra coisa que não seja comícios? Sim também fazem bebícios.
    Parece que não lês os jornais. Nos online até vêm com vídeos.
    Têm aparecido em todos com as viaturas da autarquia, e depois vão aos magotes, embora sejam sempre os mesmos.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Erasmo de Roterdão

    Há dias, vi um carro com um emblema de uma Câmara, da região, mas foi à porta do Hotel S. Paulo,num jantar que por lá houve.Não o viste? Também lá estavas. Pois. Não dei conta de nenhum comício do PS.Já dei para esse peditório.Quando quiseres pessoas do teu partido a explicar como era, no antes, diz. Elas estão disponíveis para falar..Quanto à outra coisa que não seja comìcios, o que vou sabendo, é que romperam os sapatos a quererem fazer comícios e ninguém vos deu troco.Não soubeste quantos estavam nas Caldas..?Não foste porquê? Andas a vender o que não queres? Não digas mal, senão ninguém compra..! A dor de cotovelo é complicada…O que me faz confusão é certas pessoas não se enxergarem. Vês por ali, alguma solução? Valha-te Deus…

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    O carro estava bem ou mal estacionado?
    Caso estivesse mal estacionado telefonavas da pizzaria para o virem multar.
    Não vejo outro problema com a viatura.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Erasmo de Roterdão

    Como o carro era de uma Câmara PSd e o “motorista” já sabia o resultado, se calhar, tens razão.Estava a fazer um sacríficio..! Que era publico, pago com dinheiro publico e que estava numa iniciativa partidária do PSD, não tens dúvidas. estiveste lá, viste o carro,e sabes ao que estavas.Melhor não sabias.Pensavas que sabias.Já te desemganaram..! Quanso se tem telhados de vidro…

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    Se é quem eu penso, vai ser devidamente penalizado por causa disso.
    Vai perder as eleições (lol).

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Erasmo de Roterdão

    “Guerra”: Com a saída do governo, empurrados, com a famigerada lei das freguesias, com o que têm tirado a toda a gente, vai esse e vão muitos.Estão em pânico..! Viste o Couto dos Santos, ontem? Confesso que até tive pena do Senhor..! o Frasquilho, o Angelo Correia, todos. Eleições nem pensar..! Como eles acreditam e confiam no Povo.

  • Guerra Junqueiro

    Belarmino;

    Já caiu o governo?
    Quando cair haverá eleições. Por mim podiam ser já.
    O primeiro erro colectivo é achar que o governo governa o país. O país não tem problema nenhum, governa-se perfeitamente sem políticos. Os políticos existem para governar o
    estado. E o estado é perfeitamente substituível por outro qualquer com
    proveitos. Se for este o caminho não me parece assim tão mau.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Ouvido na barbiaria

    – Então preparam-se para lançar o nº2 à câmara, o miúdo que mais quer negociar com JCA?
    – Parece que é um pedido do sogro, já tinha tentado em vários partidos a aproximação ao poder, vai mais esta tentativa.

  • Ouvido na barbearia

    – Então o PSD não consegue listas para as freguesias?
    – Parece que vão recorrer aos elementos da CPC para as formar.
    – E para Oliveira, encabeça o Tété?
    – São tolos para isso!!! Até contra o arrumador de carros perde.

  • Ouvido na barbearia

    – Então o líder da CPC delegou na comissão da Felgueira Velha o contacto com possíveis candidatos?
    – Parece que não tem coragem nem credibilidade para ir ele.

  • Ouvido na barbearia

    – Quando a candidata disse:
    “Sei que alguns estão à espreita. Mostrem que são verdadeiros militantes do PSD, que não vos move interesse pessoal e que querem o melhor projecto para Oliveira do Hospital”. Estava a falar para fora ou para dentro da CPC?
    – Parece que era para dentro.

  • Ouvido na barbearia

    – Então o candidato à Assembleia é o Abílio?
    – Não querem por nada estar fora. Abílio para a Assembleia e o genro para nº 2?
    – O A.L. até dança o vira de contente.

  • Ouvido na barbearia

    – Então o Director da campanha, perdeu-se?
    – Deve andar noutra campanha.

  • Francisco

    Como é que alguém, que é apenas Diretora de Serviços, sem concurso, nomeada em regime de substituição, dita ” Delegada Regional” ( Tal situação não faz parte da orgânica atual) , tem quatro secretárias e cinco assessores! Esta Senhora tem, neste lugar, uma atitude prepotente, arrogante e perseguidora para com as funcionárias e funcionários que , como referido pela mesma num célebre discurso na festa de Natal (também este objeto de queixas à Inspeção) dizia que ” …quem não me seguir fica para trás. Eu sou assim.”

  • Guerra Junqueiro

    Não vem de Coimbra. Vem de Vila Nova de Ourém onde está colocada como professora de história

  • Guerra Junqueiro

    Srª Administradora do CBS;

    O individuo que assinou como “Guerra Junqueiro” o ultimo comentário Não sou eu, como tal, peço que ponha os filtros a funcionar, pois pode levar a confusões sérias.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Guerra Junqueiro

    Srª Administradora do CBS;

    A única maneira que vejo possível que outro assine por mim, é haver fuga de informação por parte do CBS.
    Peço que me envie um email a pedir nova senha de modo a que isto não se repita.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Dongwe

    Quem escreveu este artigo, não deu muito, para que os leitores ouvissem a outra parte para terem um conceito de justiça . Se têm razão avancem. Se não têm calem-se. Vão mas é trabalhar porque estas conversas de comadres não levam a nada.e além disso há muita coisa a fazer no concelho. Poupem energia para isso. O povo elegeu-os para resolver problemas locais e não para ouvirem uma candidata que já era.