PS de Oliveira do Hospital analisa redução de turmas com direção da Escola Profissional

Depois de ter reunido com o presidente da ESTGOH, o PS de Oliveira do Hospital tem esta tarde encontro marcado com a direção da Adeptoliva. Em cima da mesa vão estar, entre outros aspetos, as preocupações em torno da anunciada redução do número de turmas no concelho.

Em momento de preparação de mais um início de ano escolar, o PS de Oliveira do Hospital tem em curso uma iniciativa de aproximação às direções das escolas dos diferentes graus de ensino do concelho, destinada a tomar conhecimento do estado e condições do ensino ministrado aos mais de 3500 alunos.

Designada “Ensino – Educação- Formação – Oliveira do Hospital 2013/2014”, a ação que consiste na realização de reuniões de trabalho, já teve um primeiro momento com a presidência da ESTGOH e reserva para esta tarde um segundo momento com a direção da Adeptoliva, a associação que gere o ensino profissional em Oliveira do Hospital – Eptoliva.

Em causa estão reuniões que o PS oliveirense justifica com a pertinência do tema “educação, bem como com as “constantes alterações a que aquela área tem estado sujeita “com impacto na vida dos alunos, das famílias, dos professores e pessoal auxiliar”. “Esta iniciativa do PS ganha reforçada pertinência em função das profundas alterações introduzidas no sector da educação do concelho da responsabilidade do Governo e da ex-DREC”, refere a estrutura concelhia do PS em comunicado.

A dominar as preocupações dos socialistas está, por esta altura, a “redução da rede escolar concelhia” e que se traduz na “redução alarmante do número de turmas no concelho de Oliveira do Hospital, que passarão de 156 para 119 turmas propostas pelo Ministério da Educação para o ano lectivo 2013 / 2014 (redução de 37 turmas)”.

A par da redução de turmas, o PS está igualmente preocupado “com as implicações que tal decisão tem em termos de prejuízo da qualidade pedagógica e sucesso educativo, para além de conduzir ao desemprego professores e auxiliares de educação”.

“Perante o reconhecido investimento do município na área da educação, que o PS reconhece como louvável, repudia-se esta postura de ataque do governo e seus representantes à qualidade educativa do concelho”, refere o PS que, na referidas reuniões de trabalho conta também abordar matérias como as consequência decorrentes da constituição do mega agrupamento, a redução do número de horas das AEC (Actividades de Enriquecimento Curricular), e as perspectivas ao nível da ação social escolar.

LEIA TAMBÉM

Autarcas avançam para tribunal para travar fecho dos CTT nas Beiras e Serra da Estrela

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) anunciou hoje que vai avançar …

Líder parlamentar do PSD questiona António Costa sobre a reconstrução das casas afectadas pelos incêndios.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, pediu ontem explicações ao primeiro-ministro sobre o reduzido número …