PS de Oliveira do Hospital exige intervenção nos itinerários da Serra da Estrela

A Concelhia do PS de Oliveira do Hospital exigiu hoje intervenções em três estradas na região da Serra da Estrela – IC6, IC7 e IC37 -, que considera “fundamentais para o desenvolvimento” para a região.

A intervenção naqueles itinerários complementares são “fundamentais para o desenvolvimento desta região” e, caso tal não aconteça, irá assistir-se a um “acentuar da desertificação e esvaziamento” dos concelhos afetados, alertou à agência Lusa Carlos Artur Maia, presidente da Concelhia do PS de Oliveira do Hospital, à margem da conferência de imprensa realizada na sede do partido.

Carlos Artur Maia disse ter recebido com “espanto” e “desagrado” a notícia de que nenhuma das três obras surge na lista de 30 projetos prioritários para o investimento em obras públicas, definido pelo grupo de trabalho para as infraestruturas de elevado valor acrescentado, no relatório entregue ao Governo, a 27 de janeiro.

O dirigente socialista recordou que o IC6 termina, neste momento, “no meio de um pinhal, à saída de Tábua”, querendo que este troço “chegue a Oliveira do Hospital e que continue, passando por Seia e Gouveia, fazendo assim a ligação à A25 [autoestrada que liga Aveiro a Viseu]”.

A intervenção nos três troços da região da Serra da Estrela, segundo o presidente da Concelhia do PS, iria “beneficiar muitos concelhos, onde existem umas centenas largas de empresas que precisam de acessibilidades como de pão para a boca”.

O problema, “que existe há anos”, se fosse resolvido, poderia também “fortalecer o turismo da região”, assim como garantir melhores acesso ao litoral e à Europa, sustentou.

“Os jovens até gostam da sua terra, mas, cada vez mais, eles têm de largar a sua terra porque não há condições para aqui fazerem as suas vidas”, frisou Carlos Artur Maia, considerando que a melhoria das vias seria fundamental para “ajudar a fixar as populações”.

“Queremos troços de estrada condignos. Também somos portugueses e também pagamos impostos”, disse à agência Lusa, sublinhando que já “se gastou muito dinheiro em estudos de engenharia, de impactos financeiros, de impactos ambientais, para agora esses estudos e o dinheiro gasto irem para o lixo”.

O presidente da Concelhia do PS de Oliveira do Hospital afirmou ainda que “os municípios e as populações não vão aceitar a decisão” de exclusão das três intervenções, avançando que poderá haver a possibilidade de futuras manifestações, que, “a seu tempo, serão anunciadas”.

O Conselho Empresarial das Beiras e Serra da Estrela, o presidente da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela e o Movimento de Apoio à Construção dos Itinerários Complementares da Serra da Estrela também já mostraram o seu descontentamento público por as três vias não estarem nas prioridades para obras públicas.

noticiasaominuto.com

LEIA TAMBÉM

Autarcas avançam para tribunal para travar fecho dos CTT nas Beiras e Serra da Estrela

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) anunciou hoje que vai avançar …

Líder parlamentar do PSD questiona António Costa sobre a reconstrução das casas afectadas pelos incêndios.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, pediu ontem explicações ao primeiro-ministro sobre o reduzido número …

  • Ouvido na barbearia

    – Estes socialistas que temos cá no concelho, são mesmo de trazer por casa.
    – É verdade, enterraram o País a fazerem estradas com grandes negociatas pelo meio. Acabaram por colocar portagens nas SCUT’s, e vêm agora dar conferências com uma moral desenvergonhada.
    – Então e o Presidente da Câmara, que até esteve num programa de televisão a defender quem fez estas asneiras! Vira agora o bico ao prego? Anda ao sabor do melhor vento?
    – Parece que anda a lamber o cu ao PS para ir para deputado ou para Bruxelas.
    – E o Jano! Quer aumentar as estradas com o dinheiro que vergonhosamente temos de pedir à troika, para depois as andar a cortar com legumes estragados e leite coalhado. Que tenha vergonha.
    – E o genro do Duarte, que na altura que o sogro fez a marcha lenta andou a servir sardinhas assadas aos participantes, que vai fazer agora? Com certeza preparar uns carapaus com molho de escabeche.

  • alvaro cunhal

    os socialistas sabem que esta não é uma luta só sua. Deve ser uma luta de todos os oliveirenses e de todas as pessoas desta zona da Serra da Estrela. Somos Portugueses de primeira e não de segunda e tambem pagamos impostos. Temos direito a uma estrada com dignidade como a têm outras regiões aqui nossos vizinhos. Quem não pensar assim não é bom oliveirense nem sente a sua terra nem as suas gentes. Acho que o PS, o seu Presidente e o Presidente da Câmara estiveram bem ao tomar esta posição. Foi para isso que foram eleitos, para defender os interesses das populações.

    • Olho vivo e pé ligeiro

      Já tinham sido eleitos quando negaram esta “luta”.
      Têm estas “lutas” quando interessam!!!
      E empresas? Está uma fechada na Cordinha porquê?
      E hotéis? O Ferta fechou o dele porquê? Está contra o das Caldas porquê? O dos Fiais está parado porquê?
      O PDM está resolvido? As águas já baixaram de preço? A ACIBEIRA já funciona?
      Caro Álvaro Cunhal, deixe trabalhar quem sabe, as estradas estão a ser tratadas pelo governo, como tal, estão a ser bem tratadas. Preocupe-se com as “lutas” que nos dizem respeito, e que são muitas.

  • Por um PSD ganhador

    Este Paulo Campos devia ter vergonha, quer dizer quando tá no governo cancela a obra, tinha o dinheiro, tinham tudo para esta obra estar feita e não a faz e foi por pura politica pois na altura a câmara de Oliveira e Gouveia era PSD e nas do PS foi fazer a obra (Tábua e Seia). Estar na oposição é muito lindo mas fazer obra pelo concelho que o ajudou a eleger 2 vezes tá quieto e o Alexandrino que é mafioso vai atrás do seu partido mais o ideias do Francisco Rolo.
    Esta comissão politica do PSD e a distrital de Coimbra vai demonstrar sem populismos a comandita socialista como se trabalha, pois estes socialistas é prometer mas quem resolve os problemas são sempre os mesmos o PSD.