PSD de Oliveira do Hospital pede contas a executivo “populista e demagógico”

… não poupou críticas ao executivo socialista da Câmara Municipal que acusou de “despesismo incontrolado, que levará a autarquia à derrocada económica”.

Num evento destinado a acolher a família social democrata concelhia, foram poucos os rostos que, hoje marcaram presença, na Festa das Caldas de São Paulo, conhecida pelo Pontal da Beiras. A falta de comparência do conjunto dos presidentes de junta de freguesia eleitos pelo PSD foi a que mais saltou à vista. Para além dos elementos da Comissão Política Concelhia e apoiantes diretos, registou-se a presença de anteriores líderes da estrutura como Sandra Fidalgo e Nuno Pereira – José Carlos Mendes e Mário Alves estiveram ausentes – vários rostos concelhios fieis à iniciativa e elementos das várias concelhias do distrito de Coimbra envolvidos, durante o fim de semana, na convenção autárquica distrital que encerrou na Festa do PSD oliveirense. Presenças que, no entender, da estrutura social democrata do PSD oliveirense dão prova da boa mobilização do partido.

Com uma intervenção que encaixa no registo com que, desde que tomou posse já habituou os oliveirenses, o presidente da Comissão Política Concelhia do PSD não se coibiu nas críticas que dirigiu ao executivo da autarquia oliveirense. “Por aqui também temos o PS no seu melhor”, referiu António Duarte que, advindo das críticas que desfiou à atuação do principal partido da oposição ao governo de Pedro Passos Coelho – “se houvesse dignidade já tinha havido um pedido de desculpas aos portugueses por parte do PS”, registou – voltou a acusar o executivo municipal de “festas e foguetórios” e de despender dinheiro com “obras de utilidade duvidosa e outras que servem os interesses do PS”.

O líder social democrata disse não ter dúvidas de que “os destinos da Câmara Municipal estão entregues a monopólios de interesses bancários e empresariais por demais conhecidos” e que fazem o presidente da Câmara julgar que “é dono e senhor do município”.

Voltando a acusar o executivo municipal da prática da “política da festarola, pão e circo”, António Duarte faz uma retrospetiva dos últimos três anos para constatar a inexistência de “uma estratégia pensada” para o município que, pelo contrário, se tem centrado em “delapidar recursos que poderiam alavancar o concelho”. “Há empresários obrigados a investir em Tábua” e “os jovens também se vêem obrigados deixar a sua terra”, denuncia o social democrata que também acusa o executivo municipal de “gastar à tripa forra” os “cofres cheios” deixados pelo anterior executivo PSD. “Despesismo inútil”, refere António Duarte que chega a pedir contas ao “executivo populista e demagógico”.

“Terá que justificar o despesismo incontrolado que levará a autarquia à derrocada económica”, disse o responsável social-democrata aludindo em concreto ao dinheiro gasto em “superficialidades escandalosas” na Feira do Queijo, EXPOH, Volta a Portugal, rali e programas de televisão pagos “exclusivamente para promover o presidente da Câmara Municipal e o executivo socialista”. A despesa com o novo vereador da autarquia também faz parte da lista de contas a saber, bem como o dinheiro gasto com o novo diretor da Eptoliva “recrutado fora do concelho e que por acaso, só por acaso, foi diretor de campanha do PS”. “Será que isto se chama pagamento de favores?”, questionou Duarte, ponderando até que tal facto represente o “processo encapotado de dar início à campanha autárquica paga com o dinheiro de todos nós”.

“Os oliveirenses são gente inteligente e já perceberam que esta política de pão e circo não leva a lado nenhum”,

Numa intervenção onde criticou a atuação da Comunicação Social local e regional – este diário digital nem chegou a ser convidado para o evento – prometendo para breve a divulgação dos dinheiros que a Câmara Municipal canaliza para os órgãos de comunicação, Duarte não levantou o véu em relação ao prometido “messias”, mas revelou-se confiante quanto ao bom resultado nas eleições autárquicas de 2013. “Os oliveirenses são gente inteligente e já perceberam que esta política de pão e circo não leva a lado nenhum”, disse.

Na festa local do partido, Duarte contou com o apoio do deputado do PSD na Assembleia da República, Maurício Marques, bem como com o presidente da Comissão Política Distrital, Marcelo Nuno. “Acredito mais do que nunca, que somos capazes de  fazer mais e melhor por Oliveira do Hospital, para que não siga o desastroso caminho que os mesmos traçaram para o país”, disse o presidente da Distrital, considerando como acertadas as mais recentes medidas de austeridade anunciadas pelo governo em jeito se solução para inverter o estado em que o PS – “não ouvimos uma única alternativa”, criticou – deixou o país.

De novo a dar a cara pelo PSD oliveirense, o secretário geral do partido aplaudiu a capacidade de mobilização da estrutura concelhia. “O PSD dá aqui a prova provada do que é a força do PSD”, comentou José Matos Rosa que, na mesma linha de Marcelo Nuno, apoiou a política seguida por Pedro Passos Coelho e criticou os que hoje se queixam de sofrimento, mas que também assinaram o memorando da Troika.

Na festa desta tarde, foi ainda dada posse à nova equipa da JSD de Oliveira do Hospital.

LEIA TAMBÉM

Incêndios adiam da tomada de posse do executivo da autarquia oliveirense

A catástrofe que se abateu sobre Oliveira do Hospital, com os incêndios, levou a uma …

Incêndio

Anda tudo a gozar connosco!!! Autor: Luís Lagos

Anda tudo a gozar connosco!!! Eu estou absolutamente farto!!! Fartinho!!! Haverá quem leia este post …