PSD de Oliveira do Hospital responde em comunicado sobre a recusa de militância a vários jovens

O Presidente da Mesa de Assembleia da Secção de Oliveira do Hospital do PSD, que ontem não se mostrou disponível para responder ao Correio da Beira Serra sobre as razões que levaram à recusar a militância de vários jovens candidatos, optou por responder hoje num extenso comunicado. Para os leitores do CBS aqui fica na integra a missiva assinada por Nuno Fernando Tavares Pereira.

Comunicado:

Em resposta às comunicações vindas a público pelo cidadão André Duarte Feiteira venho, como Presidente da Mesa da Assembleia da C. P. S. do PSD de Oliveira do Hospital e tendo em conta a gravidade das afirmações e falsidades proferidas esclarecer os seguintes assuntos:

O cidadão André Duarte Feiteira não é militante do PSD por motivos alheios a esta CPS do PSD de Oliveira do Hospital, que tomou posse em 8 de Fevereiro de 2014.

O supra citado cidadão questionou-me pessoalmente acerca da sua situação e após ter diligenciado contactos com os serviços de ficheiros do PSD Nacional foi-me comunicado e ao próprio a 9 de Julho de 2014, conforme se pode verificar no (doc.4) que envio em anexo, que o referido cidadão se encontrava em situação de “cessação de inscrição”.

Tentando perceber melhor a situação e após vários contactos e diligências fui informado pelos serviços centrais do PSD que o mesmo havia sido expulso do PSD (doc.2/doc.3) em 27-01-2010, pelo Conselho de Jurisdição Nacional do PSD. Recordo que nesse período e enquanto Presidente da Comissão Política da Secção de Oliveira do Hospital procurei a defesa deste militante, entre outros, conforme se pode verificar no (doc.0) que anexo. Relembre-se que tal situação (doc.1), com finalidade de expulsão, foi requerida verbalmente pelo militante “Mário Américo Franco Alves”, no tribunal de Oliveira do Hospital em 2010.

Depois de todos os factos apurados e porque se pretendia satisfazer a pretensão do cidadão André Duarte Feiteira em se tornar militante do PSD foi o mesmo convidado, por variadas vezes, a efetuar nova inscrição e dirigir-se à secção concelhia com o intuito de se regularizar a situação. Tal facto, comprovadamente, ainda não se sucedeu preferindo o mesmo, sem qualquer réstia de ética, honestidade e integridade moral continuar a veicular mentiras e verborreias em órgãos de comunicação. Como se costuma dizer, não é por se dizer muitas vezes uma mentira que ela se torna verdade.

Esta necessidade de protagonismo e frustração advêm do facto do mesmo querer ser presidente da JSD de Oliveira do Hospital. É uma aspiração legítima, desde que se seja militante do PSD/JSD há pelo menos 6 meses. Como a JSD estava inactiva há demasiado tempo, foi promovida pela CPS uma reunião com a participação do cidadão André Duarte Feiteira e com o Presidente cessante da Assembleia da JSD de Oliveira do Hospital com o intuito de se conseguir reactivar rapidamente a JSD pois, sem sombra de dúvida, é um órgão que faz falta à nossa vida política. Por esse motivo foi comunicado a intenção de informar a Regional da JSD de Coimbra para que, rapidamente fossem marcadas eleições para Oliveira do Hospital, pois é a mesma que tem obrigação para tel.

Obviamente, pelo facto do cidadão André Duarte Feiteira não ser militante, por motivos que só ao mesmo podem ser imputados, e de acordo com os Estatutos do partido o mesmo não poderia ser candidato. Contudo foi-lhe pedido que integrasse a lista como mandatário/secretário, fazendo-se de imediato militante, tendo liminarmente recusado. Segundo o mesmo, ou seria ele o presidente da JSD ou não queria participar em qualquer lista. Ora tal é impossível, e de imediato lhe comuniquei que não poderia ser Presidente da JSD, sem ser militante. Respeitando a autonomia da JSD e em diálogo com a distrital da JSD de Coimbra foi pedido pela minha pessoa à JSD, no dia 7 de Janeiro de 2015, para que tentassem agilizar a realização das mesmas, para que Oliveira do Hospital tivesse uma secção ativa uma vez que, presentemente teria 123 militantes com situação de militância ativa, sendo essa uma responsabilidade da JSD Regional de Coimbra (doc.5).

O mesmo transcreve informações completamente distorcidas da realidade como as eleições para a distrital onde houve lista única apresentada na minha pessoa, conforme (doc.6). O mesmo faz-se representante da JSD e PSD em vários locais sem sequer ser militante. O que será isto? Qual será a ilação a tomar de todos estes comportamentos?

Até ao momento, por uma questão de princípio, de respeito, de ética e de solidariedade nunca questionámos o trabalho efetuado anteriormente por quem quer que fosse. Independentemente das opções tomadas, concordássemos ou não com elas, uma vez que estamos convictos que essas decisões foram feitas em consciência para defender o partido.

Lamentável e vergonhosamente, o supra citado cidadão escreveu propositadamente várias mentiras, falsidades, calúnias, apreciações que poderemos considerar nocivas e enganosas para os militantes e simpatizantes do PSD. Acredito, com pena, que o mesmo tenha feito estas acusações infames e difamações gratuitas num momento de alucinação, por não saber lidar com a frustração e por ser manipulado devido à sua fragilidade e imaturidade. Contudo, não pode ser usado como desculpa.

Relativamente à questão da não-aceitação de candidatos a militantes a que se alude cumpre-me dizer que foram cumpridos todos os requisitos estatutários. Mais, sabendo o lugar que cada órgão democraticamente eleito ocupa e enquanto Presidente da Mesa de Assembleia a Secção do PSD de Oliveira do Hospital tenho o dever de fiscalizar todos os actos da Comissão Política de Secção como aconteceu neste caso. Em reunião de Comissão Política foram apresentados documentos relativos à proposta de inscrição de 18 candidatos a militantes, propostos pela Secção de Miranda do Corvo, via serviços centrais do PSD de Lisboa a 21 de Janeiro de 2015 e sobre os quais tinha a CPS até ao final do mês para se pronunciar (doc.7).

Conforme o regulamento (doc.8), e procedimento do PSD foi enviada uma carta registada, a cada um dos candidatos, a convidá-los a reunirem com a CPS na sede do PSD de Oliveira do Hospital, a fim de nos conhecermos e de conversarmos um pouco uma vez que, obviamente, gostaríamos de saber quem são as pessoas antes de nos podermos pronunciar sobre a sua aceitação ou não, procedimento que acontece para qualquer proponente a militante.

Sabemos agora, pelos desenvolvimentos que estamos a verificar, que esta situação foi programada e criada por alguém que deu entrada das fichas de candidatura de algumas pessoas em Miranda do Corvo e não, como pessoa de boa vontade e de boa índole, no local mais indicado e que seria na secção de Oliveira do Hospital. Houve aqui um claro e vergonhoso aproveitamento dessa pessoa. Mais se informa que a Comissão Política de Secção se pronunciou favoravelmente e com gosto a todos os candidatos que se deslocaram à sede.

Enquanto Presidente da Assembleia de Secção pugno para que todos os militantes sejam tratados da mesma maneira. Não foi a CPS de secção que excluiu alguém. Simplesmente cumpriram-se as regras que estão definidas para todos. Regras essas que devem ser uma prioridade para que o PSD possa dar o exemplo.

Desde o dia 8 de Fevereiro de 2014 até hoje foram aceites mais de 20 militantes, todos eles com vontade de ajudar o partido e não de o destruir, como alguns fizeram recentemente. A liberdade dentro do PSD permite ter opiniões divergentes dentro do partido e até fora, não excluindo qualquer raça, religião ou estrato social, como alguns querem transparecer.

Para nós, contrariamente a muitos que vociferam e destilam o seu ódio e insanidade em alguns locais, não há militantes de primeira ou de segunda. Há que haver regras, princípios e dignidade dentro dos vários partidos e principalmente na nossa vida. E, por esse motivo, não poderei esquecer as palavras do cidadão André Feiteira em reunião e à frente de outras pessoas, a dizer que “…se não fosse militante do PSD, seria de outro partido”, de que “queria seguir carreira política porque tinha aptidão para tal, querendo fazer disso vida”. Estas são algumas das pérolas com que o dito cidadão nos brindou e que mostram bem a sua verdadeira identidade e as suas intenções.

Nós não somos políticos profissionais e não temos pretensões a sê-los. Todos os membros dos órgãos eleitos do PSD de Oliveira do Hospital vivem do seu trabalho e prestam um serviço que não é remunerado pelo partido.

Não temos lugares políticos para dar ou prometidos e muito menos temos qualquer acordo para lugar de Presidente de Câmara ou outro qualquer, conforme as más-línguas e gente sem nível e moral insinua. Não somos daqueles que, por exemplo, quando se apercebem que não vão na lista à Câmara Municipal no lugar de Vice-presidente bate com a porta. Não somos daqueles que se insinuam a cargos para si ou para a família. Não somos daqueles que só ajudam e colaboram se lhes derem algo em troca, como emprego, cargos de assessor ou a presidência de uma juventude partidária e que, por causa disso, atingidos no seu ego, andaram a fazer campanha contra o seu suposto partido. Estes são factos vergonhosos, concretos, indesmentíveis e que aconteceram nas últimas eleições autárquicas no seio do PSD. Estas são as pessoas que se arrogam de moral e de ética? Deveriam era ter um pouco de vergonha, de decência, de educação e de postura. Estes são aqueles que querem pensar em si e pouco no PSD, prejudicando propositadamente o PSD.

Todos passámos 4 anos difíceis. Portugal e sobretudo Oliveira do Hospital, que teve de “sustentar” as ostentações de riqueza e de maus cumpridores do PS local e nacional a que nos levou, principalmente desde Maio de 2011.

Meu caro André Feiteira, não temos nada para dar a não ser trabalho e opiniões para modificar esta situação. Todos fazemos parte da solução e se ganhámos as eleições a 25 de Janeiro de 2014 por mais de 57%, isto deve ter uma leitura. Defender o concelho de Oliveira do Hospital até ao ultimo minuto e quem não quiser pode procurar outro partido, pois o PSD não é lugar para se terem lugares escolhidos, pelo menos enquanto esta equipa cá estiver.

Este assunto ficou encerrado publicamente hoje e todas as comunicações serão efetuadas dentro dos organismos responsáveis do PSD e caso necessário, na Justiça Portuguesa.

Reiteramos o nosso convite a todos aqueles que querem abraçar os ideais do PSD e a contribuir para um país e para um concelho melhor e com mais futuro. Têm a sede do Partido aberta às quartas-feiras na segunda semana e quarta semana de cada mês a partir das 21h30, para debater, trazer e colocar ideias e propostas.

Pelos factos acima apontados e devido à gravidade das acusações que determinados irresponsáveis e incautos cidadãos e militantes proferiram irá ser enviado ao Conselho de Jurisdição Nacional esta comunicação e outros documentos para análise futura, tendo em conta os prejuízos evocados contra o PSD.

 

Nuno Fernando Tavares Pereira

Presidente da Mesa de Assembleia da Secção de Oliveira do Hospital do PSD

LEIA TAMBÉM

Município de Oliveira do Hospital vai vistoriar todas as Associações do concelho para evitar uma tragédia semelhante à que ocorreu em Vila Nova da Rainha

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital já constituiu uma comissão que irá analisar se …

Horário alargado no Carnaval para restaurantes e bares de Oliveira do Hospital

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital decidiu hoje conceder um alargamento do horário de …

  • Já cá havia poucos

    Parece que o Feiteira te faz sombra? Então não eras tu que querias ir para deputado da Assembleia de Republica?
    Os que se candidataram e tu recusaste são de Oliveira do Hospital. Não são de Tábua. e têm a suas residências bem definidas, não habitam numa determinada empresa fechada no Zona Industrial.
    Ficas a saber que podes mandar o que quiseres para o conselho de jurisdição ou para onde quiseres, já aqui li, que se não resolvessem em 15 dias mandavam o cartão ao Matos Rosa. Vê lá o que os intimidas.
    Olha lá, o que é que já fizeste por Oliveira do Hospital? E pelo Partido, para além de dares a presidência ao Alexandrino.
    A verdade é só uma, não conseguem fazer uma lista na mais pequena das freguesias, porque as pessoas não acreditam em ti, nem no resto dessa equipa.
    Acaba lá com o PSD à tua maneira. Pois aqueles que dizes mal, vão-te mostrar como se trabalha.

  • António Saraiva

    O meu amigo, caladinho, era poeta.

    • Saraivada

      O meu amigo, que é amigo de todos, não tenho memória curta, desde 2009 que dizia bem dos outros, caladinho fazia bem mais do que ser poeta, porque não vem cá para fazer nada, a não ser à procura de mama, não é conhecido, a sua família gosta muito de si como gosta de urtigas, para aquilo que cá costuma vir fazer, mais vale ficar onde está e dedicar-se ao ensino. Vá de lacinho que lhe fica bem.

      • laço

        O lacinho do animal condiz com a educação do sr professor. Desde apelidar o executivo de “corja” a outras faltas de educação, é esta a alternativa? Cambada de mal educados! Vejam o que aqui vai! Nem entre eles se entendem.

  • Visconde Vinhal

    Este ferta anda mesmo desatento…Ó ferta arauto da moralidade, ainda te
    lembras quando distribuias t-shirts dos independentes nas caixas do
    correio e fazias campanha contra o teu atual partido?

    • Está em todas

      Não se lembra, está como o 1º Ministro.
      Ó ferta, não te prestes a fretes.

  • Visconde Vinhal

    Ó Ferta e quando pagavas campanhas para a associação de estudantes do secundário à lista do mata em troca de fichas…isso e que eram bons tempos, aí não havia recusas de militantes nem convocatórias.

  • Justiça

    Tanta ignorância. A promoção do Feteira é gratuita no CBS.

  • Farinheiro

    E a farinha ferta?