Pulseira eletrónica para homem que agrediu mulher em frente à GNR

 

O uso de pulseira eletrónica foi a medida decretada pelo tribunal ao sexagenário, residente na cidade de Oliveira do Hospital, que no final da última semana, agrediu a própria mulher no rosto, na presença de elementos da GNR de Oliveira do Hospital e, assim, incorreu num crime público.

Em causa está um episódio de violência doméstica ocorrido na presença da guarda, depois de a mesma ter sido solicitada pelo indivíduo, vendedor de profissão, que ao chegar um dia mais cedo a casa, estaria convencido de que iria encontrar a esposa com um suposto amante.

“O senhor ligou para o posto e informou que a mulher estava em casa com o amante e, pediu ajuda e apoio à GNR”, informou ao correiodabeiraserra.com o tenente Rui Silva do Destacamento Territorial da GNR da Lousã.

De acordo com a mesma fonte, o homem entrou em casa e verificou que apenas a esposa se encontrava no seu interior. “Mesmo assim, o vendedor agrediu a mulher”, adiantou Rui Silva, indicando que de imediato, os militares presentes deram voz de detenção ao sexagenário, ao qual também apreenderam uma faca de cozinha com 17 cm e uma pistola de calibre 6.35 mm.

Já conhecido por outros actos de violência doméstica, o indivíduo está agora impedido de se aproximar da esposa. De acordo com Rui Silva, o sexagenário terá uma outra habitação por motivos da sua actividade profissional.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …