QREN chumba candidatura apresentada pela Câmara Municipal para instalação da ESTGOH em Lagares da Beira

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital (CMOH) não conseguiu aprovar uma candidatura submetida ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), com vista a obter financiamento para a construção das novas instalações da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH) no antigo Centro de Negócios da Acibeira, em Lagares da Beira.

Apesar de o chumbo daquela candidatura, apresentada em 2008, já ser conhecido há vários meses, a CMOH nunca divulgou a informação publicamente e não informou sequer o executivo camarário nem a Assembleia Municipal daquela decisão.

Esta notícia acaba de ser confirmada ao correiodabeiraserra.com pelo novo presidente do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC). Contactado por este diário digital, Rui Antunes, que tomou posse há pouco mais de um mês, salientou que aquela candidatura “não é da responsabilidade do IPC”, uma vez que – conforme especificou – a entidade promotora “foi a Câmara Municipal”.

Questionado sobre as razões que terão estado na origem da não aprovação do projecto pelo QREN, Rui Antunes salvaguardou que a candidatura foi apoiada pelo IPC – durante a presidência de Torres Farinha –, mas disse não a conhecer “em pormenor”. “O director da ESTGOH disse-me que não foi aprovada”, explicou o agora responsável máximo do IPC.

Instado pelo CBS online a pronunciar-se sobre o futuro da ESTGOH, Rui Antunes disse que “é um problema que terá que ser resolvido e visto em parceria com a Câmara Municipal”, e adiantou a este diário digital que, no início de Setembro, vai solicitar uma reunião ao presidente da autarquia oliveirense no sentido de analisar a questão, já que a situação terá que ser “repensada”.

Também contactado por este diário digital, Mário Alves optou pelo silêncio do costume. “Não quero conversa convosco”, afirmou o presidente-candidato do PSD num contacto efectuado pelo CBS online para o seu telemóvel.

 Vereador do PS questiona “secretismo” da candidatura

Questionado sobre este assunto, o vereador do PS, José Francisco Rolo, mostrou-se estupefacto por ter sabido da notícia através do correiodabeiraserra.com. “Estou surpreendido pela forma como o processo foi conduzido (…) isto é mais um tipo de situação em que o presidente da Câmara passou das marcas. Então a Câmara Municipal candidata um projecto em nome da autarquia e não informa todos os seus vereadores? Porquê este secretismo”, questiona-se aquele vereador da oposição, frisando que “nesta situação muito estranha até parece que o senhor presidente da Câmara queria que o projecto não fosse aprovado para depois vir criar um falso caso político”.

Invocando desconhecer as razões que terão motivado a Câmara a apresentar um projecto “quando não tem a tutela sobre a ESTGOH”, Rolo diz também estranhar o facto de esta situação, que remonta a 2008, “aparecer agora a dois meses das eleições autárquicas”.

Para o vereador do PS, também não deixa de ser curioso que a CM tenha “apresentado uma candidatura em segredo” para as novas instalações da ESTGOH, quando nem sequer foi “capaz” – de acordo com o que declarou – de formular “um projecto de candidatura para um verdadeiro centro escolar na cidade”.

Em jeito de conclusão, o autarca do PS, que ocupa o segundo lugar da lista de José Carlos Alexandrino às eleições autárquicas, afirma também que “o QREN está em vigor até 2013, e um novo presidente da Câmara tem condições para, em diálogo com o Governo e outras entidades, conseguir levar a bom porto a construção das novas instalações da ESTGOH”.

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …