“Queremos transformar a Eptoliva no grande centro de formação profissional da região”

 

… traçou metas ambiciosas de direcionar a escola para a área de formação profissional.

Quebrando aquilo que tem sido a tendência de redução do número de alunos visível um pouco por todo o país, a Eptoliva – Escola Profissional com sede em Oliveira do Hospital e pólo ativo em Tábua surpreendeu ao anunciar a admissão de 100 novos alunos.

Números que refletem um aumento de inscrições na ordem dos 34 por cento comparativamente ao alcançado no ano letivo anterior, em que a escola admitiu 66 novos alunos, mas não conseguiu abrir nenhuma nova turma no pólo de Tábua.

Na abertura oficial do novo ano letivo que, esta manhã, concentrou alunos e encarregados de educação na Casa da Cultura César Oliveira, o presidente da Adeptoliva – associação que gere o ensino profissional em Oliveira do Hospital e Tábua não escondeu a satisfação pelo bom resultado registado pela escola. “Este ano com um grau de exigência maior – as turmas deveriam ter entre 24 e 30 alunos – conseguimos abrir quatro turmas, uma das quais no pólo de Tábua”, referiu Artur Abreu, notando que a escola disponibiliza uma “mescla formativa”, já que para além de continuar a apostar no curso de técnico de mecatrónica – “é uma referência para a escola”, refere – e no de técnico de Turismo, destaca-se também pela inovação ao avançar com os cursos de técnico de Gestão Desportiva e técnico de Auxiliar de Saúde (pólo de Tábua).

“Aliamos a nossa experiência à inovação”, referiu o responsável que também colocou em evidência a possibilidade que os alunos da Eptoliva têm de efetuar estágios no estrangeiro. “É para nós uma satisfação, porque demonstra que a nossa formação é boa” referiu o responsável que, hoje, também apresentou a nova equipa diretiva que surge com Joel Vasconcelos no lugar de diretor executivo, Maria José Falcão de Brito, na qualidade de diretora pedagógica, Maria José Antunes na direção financeira e Cristina Figueiredo no lugar de adjunta de direção.

“É uma equipa que vai aliar experiência e juventude”, disse Artur Abreu, certo do bom desempenho da nova equipa que tem, entre mãos, o desafio, de “alargar a escola à formação profissional direcionada a adultos”.

Um desafio a que o novo diretor executivo da Eptoliva já acedeu. “Queremos transformar a Eptoliva no grande centro de formação profissional da região”, referiu Joel Vasconcelos, que em mente tem um conjunto de projetos que conta levar por diante no sentido de “contribuir para o sucesso deste território”. À frente de uma escola que espera não seja “uma mera fábrica para construir bons profissionais”, Vasconcelos disse ser sua vontade que a escola sirva para “continuar a construir bons homens para o futuro”. “Quero alunos críticos, ativos e atentos e que nos ajudem a construir uma escola melhor”, frisou, confiante de que a Eptoliva não seja um ponto final na formação dos alunos, mas antes um ponto intermédio.

Tranquilizando os encarregados de educação com a certeza de que “fizeram uma boa opção”, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital destacou as mais valias do ensino profissional na hora de procurar um posto de trabalho.

Do mesmo modo, José Carlos Alexandrino revelou-se confiante naquele que é o grande desafio imposto à Eptoliva. “Acredito que é possível tornar a Eptoliva num grande centro de formação profissional”, afirmou o autarca, revelando que o próprio Projeto Educativo Local está a ser orientado no sentido de fazer da Eptoliva “uma grande marca”, porque o objetivo não é manter a Eptoliva por mais dois ou três anos. “Quero a Eptoliva para longo prazo”, referiu o autarca, assegurando que o município oliveirense não quer deixar cair o projeto de ensino profissional no concelho.

Na cerimónia desta manhã, a diretora pedagógica, Maria José Falcão de Brito teve ainda oportunidade de apelar a um maior envolvimento dos pais no dia a dia dos seus educandos.

Para além de servir de receção aos novos alunos, a sessão possibilitou também a entrega de prémios de mérito aos alunos que melhor se destacaram no ano letivo transacto.

LEIA TAMBÉM

Alunos da ESTGOH consideram “Oliveira do Hospital uma cidade acolhedora”

ESTGOH atrai 110 alunos na primeira fase de acesso ao ensino superior, curso de Gestão das Bioindústrias sem grande adesão

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH) preencheu 110 das …

Amianto vai ser retirado da Escola Secundária de Oliveira do Hospital, oposição critica “timing”

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital anunciou ontem que assinou um contrato de adjudicação …