Quinta do Forninho e Quinta da Moenda conquistam “Chave Verde” da Associação Bandeira Azul da Europa

A Quinta do Forninho, localizada na Catraia de São Paio, e a Quinta da Moenda, em Alvôco de Várzeas, são as duas unidades turísticas do concelho de Oliveira do Hospital a integrar o conjunto de unidades que, no próximo dia 24 de abril, a partir das 9h30, na Biblioteca Municipal de Olhão, vão receber a distinção “Chave Verde”, da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE).

Um feito que para a Quinta do Forninho já não é novidade, dado que a unidade gerida por Francisco Cruz já tinha sido objeto de distinção em 2010 e 2011. Este ano, o espaço, que já atingiu uma média anual de 1500 dormidas, volta a ver as suas boas práticas reconhecidas.

“É o reconhecimento de todo um trabalho que assenta na sustentabilidade ambiental e na boa harmonia entre os hóspedes e a natureza”, referiu Francisco Cruz ao correiodabeiraserra.com, destacando a preocupação da Quinta do Forninho em “preservar a natureza e tudo o que a biodiverisidade proporciona”.

De acordo com o responsável, a unidade que dirige não se esgota no simples de ato de receber os hóspedes, havendo sempre o cuidado de os integrar no espaço envolvente, disponibilizando todo o tipo de informação alusiva à região envolvente e até definindo alguns trajeto passíveis de serem percorridos pelos turistas.

Com sete anos de atividade, a Quinta do Forninho é procurada por nacionais (60 por cento) e estrangeiros (40 por cento) e, através do modelo de apartamento rural – cinco no total – afigura-se como a solução ideal para famílias e grupos organizados.

No inverno, o espaço regista uma taxa de ocupação total, sendo também muito procurado ao longo de todo o ano. A Quinta do Forninho é uma unidade de turismo rural e de gestão familiar.

Nova nestas andanças, a Quinta da Moenda também está entre as unidades distinguidas com o galardão Chave Verde. “É uma distinção muito importante para nós”, referiu o gerente Hans De Herder a este diário digital, destacando o valor que os hóspedes, em particular os estrangeiros, dão à boa conservação da natureza e à relação que o espaço turístico estabelece com toda a área envolvente.

Fruto da recuperação dos antigos moinhos e destilaria, a Quinta da Moenda é considerado um dos locais emblemáticos do concelho e da região e, também disponibiliza alojamento rural, por via de apartamentos – cinco no total – considerados ideais para acolher famílias e grupos organizados.

O espaço recebe turistas nacionais (50 por cento) e estrangeiros (50 por cento) ao longo de todo ano, que ali acorrem para descansar e conhecer a região. A média anual de visitantes centra-se perto de meio milhar.

A distinção Chave Verde conseguida pelas duas unidades oliveirenses faz parte de um programa internacional de educação para o desenvolvimento sustentável que promove a implementação de novas formas de encarar a gestão e a utilização de estabelecimentos turísticos, desenvolve o conceito de turismo sustentável, procurando contribuir para uma nova consciência individual e coletiva.

A par da Quinta do Forinho, também a Quinta da Moenda passa a fazer parte do roteiro europeu de unidades Chave Verde.

LEIA TAMBÉM

Dominado fogo que hoje se reacendeu em Tábua

O incêndio florestal que deflagrou na terça-feira no concelho de Tábua, que esteve em fase …

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Incêndio de Tábua reacendeu-se e mobiliza centenas de bombeiros

O incêndio que ontem deflagrou em Tábua, está novamente activo. O reacendimento aconteceu ao início da tarde …