Rali de Oliveira do Hospital regressa à zona norte e reserva super especial diurna (Veja o vídeo)

Já teve início a contagem decrescente para 3ª edição do rali de Oliveira do Hospital. A prova pontuável para o Open de Ralis realiza-se no dia 29 de junho, na zona Norte do concelho e com super especial diurna.

Pelo terceiro ano consecutivo, os oliveirenses e demais amantes da modalidade são brindados com o Rali de Oliveira do Hospital. Depois de em 2011 a prova ter decorrido na zona norte do concelho e de, em 2012, ter tido lugar na parte sul, o rali retoma este ano as provas especiais da primeira edição, com a particularidade de acontecerem no sentido inverso. Pontuável para o Open de Ralis, Portugal Júnior de Ralis e Regional de Ralis do Centro, a prova vai contar com as especiais “Cordinha”, “Anta da Arcainha” e “Oliveira do Hospital”, recaindo a novidade na prova especial “Ervedal – Pisão” para agrado de vários participantes.

À semelhança do que já aconteceu em anteriores edições, toda a organização da prova vai ficar centralizada no recinto da feira de Oliveira do Hospital, onde também estará instalado o parque de assistência de viaturas. A partida para o rali será dado às 10h00, sendo que as quatro provas especiais percorridas no período da manhã, serão repetidas à tarde, perfazendo um total de oito provas especiais e um percurso total de prova de 141,88 quilómetros. O terminus do rali está previsto para as 17h00.

Responsável por atrair muitos apreciadores da modalidade ao rali de Oliveira do Hospital é também a super especial que, contrariamente ao que aconteceu em anos anteriores, este ano vai ter lugar durante o dia, em espaço de terra batida junto ao recinto da feira mensal. “Concluímos que a Super Especial teria mais impacto durante o dia e no próprio dia do rali para juntarmos ali milhares de pessoas”, informou ontem o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital na sessão de apresentação da prova que vai ter lugar no concelho no último fim de semana de junho. José Carlos Alexandrino contou que ele próprio teve dificuldade, no ano passado, em assistir à super especial que teve lugar à noite e em que só conseguiu ver “luzes”. Com a mudança da super especial e com a centralização de toda a organização no recinto da feira, o autarca não tem dúvidas de que o rali se irá traduzir “num grande dia e numa grande jornada para Oliveira do Hospital”. Expectativas elevadas que José Carlos Alexandrino centra num evento desportivo que, numa colaboração com o Clube Automóvel do Centro (CAC), conseguiu recuperar para Oliveira do Hospital e cujo investimento “vale a pena”. “Este rali dá visibilidade e afirma a identidade de Oliveira como marca, cidade e concelho”, referiu o autarca, mostrando-se disponível para lhe dar continuidade.

Da 3ª edição do rali de Oliveira do Hospital faz ainda parte o Rali Capital do Cobre e Latão que decorre no âmbito da 4ª edição da iniciativa “Há Festa na Zona Histórica” que decore em Oliveira do Hospital no mesmo fim de semana. “Vamos ter dois ralis, pelo preço de um”, comentou o presidente da Câmara.

Quem também deposita expectativas acrescidas na realização do rali é o presidente do Clube Automóvel do Centro que, ontem, chegou a contabilizar as presenças que, em anos anteriores, a prova registou na comunicação social e imprensa da especialidade. “Isto é um resultado brilhante”, comentou o Armando Fidalgo que não tem dúvidas de que o “modelo” seguido pelo CAC na organização do rali é o mais acertado. Na contagem decrescente para o Rali de Oliveira do Hospital, o responsável só espera que “o esforço assumido pelo CAC, acompanhado pelo entusiasmo do município oliveirense, sejam mais uma vez dignos do crédito e da confiança depositada na capacidade de organização”.

Numa altura em que se ultimam preparativos para o Rali, o presidente da Câmara já centra atenções na Volta a Portugal que já tem presença assegurada em Oliveira do Hospital, no próximo dia 16 de agosto. “A Volta a Portugal regressa não com uma chegada como eu desejaria, mas com uma partida e com a etapa mais bonita e mais difícil que ligará Oliveira à Torre”, contou o presidente, notando que a partida “dará a volta a quase todo o concelho”. Um investimento no desporto que Alexandrino, “um homem do desporto”, não considera desmesurado, atendendo até que o município gasta mais na área da Cultura do que na desportiva. Notou porém que “todas estas coisas têm espaço no concelho”. “O que não deve ter espaço é a miséria e as pessoas viverem mal”, concluiu.

LEIA TAMBÉM

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Filho preso por suspeitas de ter matado mãe com martelo em Viseu

O homem de 37 anos suspeito de ter matado a mãe em Santarinho, no concelho …

Um morto e dois feridos em acidente em Viseu

Uma colisão entre dois veículos ligeiros hoje de manhã, em Sátão, distrito de Viseu, provocou …

  • mmmeo

    Boa tarde gostaria de perceber uma coisa porque é que o Regional só andam da parte da tarde? Eu sendo um amante de ralis não vou conseguir acompanhar o rali todo vendo todos os participantes em mais de duas pecs. Outra coisa que me está a deixar preocupado é como é que os pilotos do Regional vão abastecer ou ter assistência uma vez que só tem tempo no início e no fim? Não consigo compreender…