Rapada, a nova cerveja de Oliveira do Hospital para conquistar a Serra da Estrela

Um grupo de três amigos com ligações a Oliveira do Hospital juntou-se para criar uma cerveja artesanal. Algo novo, com uma receita própria, que tivesse um sabor ligado aos produtos tradicionais da Serra da Estrela. Conseguiram-no. Marca: Rapada. Um nome que pretende recordar a antiga designação de Santo António do Alva, a aldeia que irá receber, pelas 22h00, no Bar da Associação, a apresentação pública do novo “néctar”. “É uma bebida que estamos convencidos será óptima para acompanhar o queijo da Serra da Estrela”, explica Rui Nunes um dos mentores da ideia, juntamente com Luís Rosa e Sérgio Cruz.

Os promotores garantem que desenvolveram todos os esforços para criar uma receita única, baseada nos paladares típicos da Serra da Estrela, e que se adaptasse bem ao sabor do queijo. “É uma junção de aromas desta zona. O nosso mercado, de resto, é a 10392468_1603570236540036_2476574065285954947_nSerra da Estrela, queremos promover o que é regional e endógeno”, frisa Rui Nunes que há muito pretendia ter algo ligado à sua terra natal. “O objectivo passa por distribuir por todos os concelhos da Serra da Estrela, mas também associarmo-nos a empresas que já exportam produtos tradicionais”, continua, sublinhando que a ideia surgiu no momento em que se aperceberam que existia esta lacuna na Serra da Estrela.

A Rapada vai aparecer em dois tipos, Pilsener e Stout (esta com um toque a café) e será vendida em garrafas de meio litro já a partir de Janeiro. “Vamos colocá-la nos bons restaurantes e queremos que seja pedida como quem pede um bom vinho”, esclarece Rui Nunes, empresário, actualmente a viver durante a semana em Aveiro e nos fins-de-semana em Santo António do Alva.

Para já foram produzidos 100 litros, numa cervejaria artesanal de Aveiro, a eleita depois de uma pesquisa intensiva dos três intervenientes sobre quem lhes poderia ofereceria melhor qualidade. “Tínhamos de fazer isso porque A Rosa Nunes Cruz [empresa criada pelos três elementos responsáveis pelo novo “néctar”] não sabia fazer cerveja”, explica com um sorriso Rui Nunes, mostrando-se convencido que a nova bebida irá fazer parte dos produtos tradicionais da Serra da Estrela.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • Pedro Sousa

    Apenas 100 litros e tanto alarido? A marca ainda nem está registada…

    • Guerra Junqueiro

      Caro Pedro Sousa;

      Deixo-lhe esta passagem do evangelho de Mateus:

      «O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda, que um homem tomou e plantou no seu campo; o qual grão é, na verdade, a menor de todas as sementes, mas depois de crescido, é a maior das hortaliças e faz-se árvore, de tal modo que as aves do céu vêm pousar nos seus ramos.» (Mateus 13:31-32)

      É assim que reage ao empreendedorismo? Vá lá beber minis.
      Quero dar os parabéns por a excelente ideia. Quanto aos 100 litros… seja ela boa que depressa se produzirá mais.

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro

      • Pedro Sousa

        Amen!

  • Politicalex

    “Propaganda é informação” Franklin Delano Roosevelt. Se não houver “alarido” como é que se sabe que existe.Eu, não sabia.Um dia destes vamos lá,um grupinho, 100 sai na hora…legalidade por aqui, não é problema. Está instalada a política do vale tudo…Qual registo qual quê…

  • Rui Avilez Valente

    Isto está no bom caminho, daqui a uns tempos no país das maravilhas descobre-se que na zona x existe um produto y e ai descobre-se a pólvora… não existe uma cerveja para esse produto y e depois… fazem-se dois ou três estilos e vamos ver se é boa e se pega.

  • El Konarro

    Já que se faz queijo da serra com leite espanhol, porque não cerveja da zona da Serra da Estrela fabricada em Aveiro?

    Boa iniciativa mesmo assim!

  • Guest

    Cuidado, a ” Rapada ” espero que não venha fazer comcorrência às águas termais do Prof. Francisco!.