'Resgate' autárquico obriga a corte na despesa com pessoal

Recurso a FAM pelas autarquias obriga a corte na despesa com pessoal

A adesão por parte das Câmaras Municipais ao Fundo de Apoio Municipal, dá conta esta quarta-feira o Jornal de Negócios, terá um custo que recairá sobre a despesa com o pessoal. O jornal, os 19 municípios forçados a aderir ao fundo vão ter de cortar na despesa com pessoal. Mas podem optar por reduzir o peso do pagamento de horas extraordinárias ou entrar em programas de rescisão por mútuo acordo.

No país existem 19 municípios que terão de aderir ao Fundo de Apoio Municipal para fazer face aos seus compromissos financeiros. Mas o acordo assinado com o Governo implica uma redução dos custos com pessoal, explica o Negócios, adiantando que a diminuição dos custos com os trabalhadores pode seguir rumos diversos, estando em cima da mesa, por exemplo, a redução do pagamento de horas extraordinárias ou a aplicação de um programa de rescisões amigáveis.

O objectivo é tentar um reequilíbrio orçamental, sendo que a possibilidade de rescindir com os trabalhadores foi um dos incentivos dados pelo Governo para que os municípios dessem o seu sim à constituição do FAM. Quem aderir ao Fundo, segundo as regras estabelecidas, está também obrigado a colocar todos os impostos ao máximo, incluindo o IMI, imposto que tem o seu limite máximo traçado na fasquia dos 0,5%. O IRS e IRC sofrem alterações, passando para os valores mais elevados possíveis.

Uma forma de reduzir a despesa e aumentar a receita, sendo que as autarquias ficam ainda obrigadas a lançar novas taxas municipais, limitar o investimento e inventariar património municipal e serviços para alienar, concessionar ou ceder.

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …

  • Guerra Junqueior

    Dou conta que o Sr Presidente da Câmara, prof. José Carlos Alexandrino, responde ás noticias do CBS, pegando no mesmo tema na Folha do Centro. O engraçado é que contratou e paga com o dinheiro de todos nós o ordenado do Director de Comunicação, e paga também à Folha do Centro e também com o dinheiro de todos nós para ser o seu Director de Comunicação.
    Não me esqueço que o mesmo fez na CentroTV por várias vezes, sendo também de lá, o Director de Comunicação. Apetece-me perguntar, se já falou com o António Lopes para lhe arranjar o mesmo lugar no Correio da Beira Serra, como o Homem está falido, pode ser que aceite.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • incompetentes

    5 anos + 8 de incompetencia, prepotencia,demagogia, incapacidade.
    um concelho sem rumo à beira do abismo.
    Como outros o fizeram e a continuar assim as festas, comilagens, porcos no espetos, peixeiradas, vinhos e petiscos, lagaradas, jogatanas, maçonatas e outras mais iguais vão conduzir ao triste cenário de continuado abandono da juventude e desvalorização de tudo quanto aí existe excepto os caminhos alcatroados para os amigos a electricidade e uns quantos empregos, favores e serviços à conta do nosso dinheiro para pagar promessas de eleiçoes e rapazinhos sem experiencia e que sugam o ordenado.
    Sem hotel como nos anos 70. Com cenário de fim de empresas e nenhuma industria em criação . Estrada -népia.
    Só treta . 14 anos de treta e de obras sem sentido onde se destruiu jardins para fazer estacionamentos em zona onde nem sequer há comércio . Brilhantes mentes .
    boys , cheios deles. de qualquer forma ou feitio .
    Subsídios, para desporto-is e festanças é mato .e nem há tempo para mais !
    Resta a continuada má educação que já vem desde 2006 . Os bochas a atirar para a esperteza jumental , os que ficam mal na fotografia, os crápulas , os novos talibãs.
    Os que ontem eram bons e hoje são maus e os que ontem eram maus e hoje são bons. Eis um concelho que mais cresce na mentira e no afundanço entre o mar e a serra.
    Fantasias de incompetentes, incapacitados que os partidos e o povo vai apoiando a troco de bolos, sopas e febras e uns serviçinhos , mesmo que depois se vá fazer umas curas de soro .Já que não há curas de mente nem de coerência.
    Este concelho já não tem razão de existir . Tal como e bem foi feito nas freguesias há que extinguir concelhos , onde impere e seja governado por este tipo de estirpe politica e incompetente.

  • Cristina Dias

    O nome de Fundo de Apoio Municipal é um título pomposo dado a Resgate Autárquico. Incompetentes, garotos e farristas. Mas o povo gosta

    • Um habitante da Kambra

      Bravo Cristina Dias.O povo gosta enquanto não souber de certas coisas,pois o mestre é sábio na mentira,ou melhor arranja sempre uma saída esfarrapada,para se livrar, e para deixar outros com as culpas.Não conhecem o Alex.(e é um artista português)!…..