Refresh Festival arranca esta noite no Parque de Campismo de S. Gião

O Refresh – Arts & Music Festival está de regresso a Oliveira do Hospital. A 3ª edição do festival que assenta num conceito inovador e ecológico arranca hoje no Parque de Campismo de S. Gião.

É diversificado o leque de artistas nacionais e internacionais – D-Nox & Beckers, Gregor Trasher, Max Cooper, Mandraks e muitos outros – confirmado na 3ª edição do Refresh – Arts & Music Festival 2013 que, a partir das 21h30 de hoje, vai decorrer em Oliveira do Hospital.

Em causa está um cartaz que foi pensado com o objetivo de atrair mais público nacional e internacional ao festival que, pese embora, a jovialidade se tem vindo a afirmar no calendário nacional dos festivais de verão.

A aposta num festival de “qualidade” foi, pelo menos, a preocupação de Francisco Vieira, o jovem oliveirense mentor de todo o conceito associado ao Refresh que, optando por realizar o festival de dois em dois anos, procurou fazer um “upgrade” daquilo que foram as duas edições anteriores no sentido de melhorar o cartaz e criar mais condições aos participantes.

Decorrente daquele propósito está a decisão de deslocalização do Refresh da praia fluvial das Caldas de S. Paulo para o Parque de Campismo de S. Gião. “Tem mais espaço e reúne melhores condições para os campistas”, explicou Francisco Vieira, notando que também em S.Gião é possível manter o conceito de ambiente e ecologia que tem estado associado ao festival e que em cada edição tem sido responsável por atrair cada vez mais público ao evento.

Na contagem decrescente para o arranque da 3ª edição do Refresh, são elevadas as expectativas que Francisco Vieira centra no certame. “Esperamos ter mais gente este ano”, comenta, prevendo receber cerca de quatro mil pessoas, muitas das quais oriundas de países como Espanha, Itália, Alemanha, França, Inglaterra, Brasil e Israel.

“O conceito associado ao festival é do agrado de muita gente”, refere satisfeito Francisco Vieira que, a caminho do terceiro festival, não tem dúvidas de que foi acertada a decisão de apostar num festival que prima pela diferença e onde a natureza, o ambiente e a paisagem funcionam com principal atrativo e surgem em perfeita harmonia com um cartaz de música eletrónica e toda uma oferta cultural.

Práticas saudáveis como meditação, massagens, yoga, entre outras, serão possíveis de realizar junto ao rio. O festival irá também dispor de um mercado com produtos biológicos e artigos reciclados.
.

LEIA TAMBÉM

Autarca de Oliveira do Hospital tem muitas dúvidas sobre a capacidade de se fazer cumprir lei de limpeza da floresta

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital acredita que nenhum concelho vai conseguir …

AVMISP avisa, após reunião Marcelo Rebelo de Sousa, que falta de apoios pode levar empresas afectadas pelos incêndios a encerrar

A Associação das Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal (AVMISP) lamentou hoje, na …