Seia contrai empréstimo para pagar dívida de 45 milhões

 

A Câmara Municipal de Seia está em condições de contrair um empréstimo destinado à liquidação de um montante de dívidas até 45 milhões de Euros. O executivo chefiado por Carlos Filipe Camelo recebeu luz verde do Tribunal de Contas para pôr em curso o Plano de Reequilíbrio Financeiro apresentado há cerca de ano e meio.

“Trata-se de um instrumento que vem dar um novo fôlego às finanças municipais, permitindo não só uma nova gestão de tesouraria ao Município, com reflexos muito positivos na economia local, mas também um planeamento de atividades, consubstanciado e alicerçado no tempo”, considera a autarquia que, em comunicado, também verifica que tal decisão permite aferir que “a Câmara Municipal é, hoje, uma instituição respeitada, credível, séria, honesta e responsável”.

A par do empenho na liquidação da dívida, o executivo de Carlos Filipe Camelo está igualmente apostado no corte das despesas. Só em iluminação pública, o executivo estima poupar, em 2012, mais de 200 mil Euros, através dos ajustamentos que têm vindo a ser realizados na rede da colocação de dispositivos redutores da potência e, consequentemente do consumo.

Cortes que também são extensíveis aos subsídios canalizados às coletividades – a redução é na ordem dos 20 por cento – escapando porém as áreas do social e da educação.

O executivo que também está a enveredar por estratégias de poupança no domínio da despesa corrente, decidiu pelo segundo ano consecutivo abdicar da iluminação de Natal. Pela primeira vez num passado recente, a autarquia também não vai realizar o habitual jantar de Natal dos trabalhadores à custa do orçamento municipal. A autarquia garante que, na quadra natalícia, não faltará animação apropriada e dá também como certa a existência de som nas ruas por parte de privados que já manifestaram vontade nesse sentido, tendo como contrapartida a exploração comercial.

“Não somos, de forma alguma, insensíveis ao comércio tradicional e temos vindo a envolver todas as associações empresariais, tendo em vista encontrar formas alternativas de promover e incentivar as compras no comércio local”, refere o presidente da Câmara Municipal de Seia, que espera fazer refletir a sua aposta de “poupança e racionalização” no próximo orçamento municipal, excetuando as áreas do social e educação, onde vai sendo necessário “suprir algumas carências que vão surgir em algumas franjas da nossa população”.

LEIA TAMBÉM

Ministro Pedro Marques garantiu em Nelas que a aposta em infra-estruturas de transporte passa pela ferrovia e IP3, ignorando IC6 e IC12

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, assegurou ontem em Canas de Senhorim, Nelas, …

José Carlos Alexandrino lança suspeitas sobre queijeiras de Seia nas descargas ilegais no rio Cobral

Como regresso da chuva, os habitantes que vivem próximo do rio Cobral temem que voltem …