Relvado sintético vai avançar em Lagares da Beira

… em Assembleia Municipal com sete abstenções e um voto contra.

Com uma equipa sénior na divisão de Honra da Associação de Futebol de Coimbra, a Associação Desportiva de Lagares da Beira (ADLB) está prestes a concretizar um sonho antigo. Trata-se do desejado relvado sintético que, na última reunião da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, obteve luz verde em matéria de financiamento municipal.

Em causa está uma obra estimada em perto de 333 mil Euros e que a Câmara Municipal pretende apoiar financeiramente por via da entrega faseada de tranches até 2016. Por ocasião da assinatura do contrato programa entre a Câmara Municipal e ADLB, o município procede à entrega de cerca de 83 mil Euros, reservando para os anos seguintes, até 2016, a entrega de 62.500 Euros.

Para o feito, a ADLB fica obrigada a contrair um empréstimo de 250 mil Euros, com juros a cargo da autarquia oliveirense, correspondente à diferença do montante entregue pelo município em 2012 e o valor global da obra. Os financiamentos municipais subsequentes estão sempre sujeitos à apresentação por parte da ADLB de documento comprovativo de cada pagamento efetuado ao empreiteiro.

“Esta medida ajuda a dignificar a classe política”, começou por referir o presidente da Junta de Freguesia de Lagares da Beira, referindo-se ao facto de o executivo municipal estar a cumprir uma promessa feita em campanha eleitoral, sem deixar porém de criticar, os que em período de campanha prometeram o mesmo e, em sede de reunião do executivo, votaram contra a medida.

Raul Costa disse estar em causa “uma reivindicação de há muito tempo”, até porque de entre os três clubes com equipas em competição, apenas a ADLB não dispunha de um relvado adequado à prática desportiva. “Não era dignificante para o concelho”, referiu o presidente de Junta, que sem deixar de questionar “as prioridades em tempos de crise”, verificou que o “prémio” dado à ADLB não se dirige apenas àquela coletividade. “Servirá para as camadas jovens e zona Norte do concelho, onde não havia um único relvado”, disse Raul Costa.

Sem deixar de felicitar a freguesia de Lagares da Beira, o presidente da Junta de Freguesia de Lagos da Beira, José António Guilherme não perdeu a oportunidade de também questionar sobre o prometido relvado sintético para aquela freguesia. Do mesmo modo, também Aníbal Correia, autarca de Meruge, disse não serem mais questionáveis os prometidos 25 mil Euros para a construção do complexo desportivo naquela freguesia.

“Este dinheiro não vai faltar para apoiar as pessoas?”, questionou Rafael Costa, deputado do movimento independente “Oliveira do Hospital Sempre”, lembrando ao presidente da Câmara que “nos tempos que correm, não nos podemos dar ao luxo de em cada freguesia ter um campo de futebol e um ringue”.

“Isto é uma PPP (Parceria público privada) caseira”, afirmou o social-democrata Rui Abrantes, manifestamente contra a intenção de “atirar para a frente os custos para este investimento” e de ser imposta à ADLB a obrigação de contração de um empréstimo de 250 mil Euros.

Da bancada socialista, Carlos Maia falou da justeza daquela obra na freguesia de Lagares da Beira. “Se Oliveira do Hospital e Nogueira do Cravo podem ter, porque é que Lagares da Beira não pode ter?”, questionou o presidente da Junta de Freguesia de Ervedal da Beira, opondo-se à posição de voto assumida em reunião do executivo pelo vereador independente José Carlos Mendes e o social-democrata, Mário Alves.

“Não tenho nada contra, mas não deixo de questionar aquilo que não vai para Vila Franca da Beira”, referiu também o autarca João Dinis, notando que a “piscina aquecida coberta não é um luxo” na Cordinha.

Visado nas intervenções, o vereador do movimento independente José Carlos Mendes fez questão de esclarecer que, em período de campanha, nunca prometeu relvado sintético para Lagares da Beira, mas apenas uma intervenção no campo de jogo. Para além disso, lembrou que “a realidade dos dias de hoje é diferente da de há três anos”.

“Sou um homem de palavra”

Para o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital a instalação do relvado sintético em Lagares da Beira vai no sentido daquilo que foi a sua promessa em tempo de campanha eleitoral e que, por várias veze, também assumiu já no exercício de funções autárquicas.

“Sou um homem sério e de palavra”, afirmou José Carlos Alexandrino que apesar de admitir que não se trata de uma obra prioritária, recordou que a mesma faz parte do seu manifesto eleitoral. “Está lá”, disse o autarca, assegurando porém que o investimento financeiro que vai ser feito não vai inviabilizar a realização de outras empreitadas.

“É o executivo em permanência que faz os timings e não as comissões políticas dos outros partidos”, reagiu, informando ainda o deputado Rui Abrantes de que o modelo de financiamento que vai ser seguido na instalação do relvado de Lagares da Beira é igual ao que foi utilizado por ocasião da instalação do relvado na Associação Desportiva Nogueirense, em Nogueira do Cravo. “Eu estou aqui a ser coerente”, disse o presidente.

LEIA TAMBÉM

Candidato do PSD a Travanca promete “um presidente para todos os dias e não apenas para o fim-de-semana”

O PSD apresentou ontem publicamente a lista candidata à Assembleia de Freguesia de Travanca de …

Festival “Origens” de Travanca de Lagos agendado para o próximo fim-de-semana

Os Jovens da Liga de Travanca de Lagos apresentam, de sexta-feira a domingo, mais uma …