Restauro em Oliveira do Hospital “não cumpre” critérios

A Associação Profissional de Conservadores-Restauradores de Portugal (ARP) considerou hoje, numa carta aberta, que a intervenção efetuada no Santuário da Nossa Senhora das Preces, em Oliveira do Hospital, “não cumpre claramente os critérios fundamentais” do restauro.

De acordo com o presidente da ARP, Rui Pedro Borges, que assina a carta, a intervenção realizada por Miguel Vieira Duque em 13 esculturas do santuário evidencia “uma ausência total do respeito pelo valor original e único de todo e qualquer bem cultural”.

No documento, o presidente da associação afirma que o restauro “é contra os princípios essenciais do código deontológico que rege a profissão”.

lusa.pt

LEIA TAMBÉM

IP3 cortado na zona de Penacova devido a avaria de pesado

A avaria de um pesado, pelas 14 horas, provocou o corte do trânsito no IP3, …

Denuncia do grupo do empresário Fernando Tavares Pereira coloca IMT sob investigação do DIAP

Duas empresas do grupo Tavfer, do empresário Fernando Tavares Pereira, a CIMA – Centro de …