“Resultados obtidos pela CDU confirmam que existe e que é concretizável uma alternativa política e programática”

Em comunicado enviado ao correiodabeiraserra.com, a CDU de Oliveira do Hospital regozija-se com a “nova avançada” alcançada nas eleições europeias realizadas no último domingo.

Comparando com os resultados obtidos em idênticas eleições em 2009, a CDU sublinha o aumento do número de eleitos – passa de 2 para 3 deputados – de percentagem e do número total de votos, pese embora, “o quadro de aumento record de abstenção”. “Estes resultados obtidos pela CDU confirmam que existe e que é concretizável uma alternativa política e programática. Com a CDU há esperança num futuro melhor”, refere em comunicado, João Dinis, o porta voz da CDU no concelho de Oliveira do Hospital.

Ao mesmo tempo que enaltece a “avançada” conseguida pela CDU, João Dinis debruça-se sobre o resultado conseguido pelo PSD e CDS/PP e que considera como “o pior de sempre e em todos os parâmetros: número total de votos, número de deputados eleitos (passam de 10 para 7) e percentagem”. “Assim, registam uma estrondosa derrota que deve ter as correspondentes consequências políticas com a demissão deste Governo”, refere em comunicado.

Quanto à força mais votada, a CDU lembra que “o PS vence as eleições mas tem a menor vitória de sempre em que supera “pouco” – tem mais apenas cerca de 4% – a coligação PSD e CDS/PP e elege mais um deputado que em 2009, passando de sete para oito. “Aliás, juntos, PS mais PSD mais CDS/PP – os partidos da malfadada tróika – têm o pior resultado de sempre”, frisa João Dinis, considerando de igual modo que “a vitória pouco expressiva do PS também demonstra que este partido, sozinho, não é alternativa política à direita “pura e dura”.

Atendendo à “subida” da CDU em Oliveira do Hospital – “PSD e CDS/PP perdem quase 1500 votos comparativamente a 2009”, frisa – no distrito de Coimbra e no país, passando “para a 3ª força política”, João Dinis está certo de que “a estrondosa derrota do PSD e do CDS/PP acentua o indisfarçável isolamento político e social do actual governo que perde, assim, qualquer réstia de legitimidade democrática para continuar a (des)governar o país e a aplicar o programa de desastre nacional promovido pelas tróikas”. O porta voz da CDU defende por isso a “demissão do governo e convocação de eleições antecipadas”. “É exigência democrática que se faz ao presidente da República”, remata.

LEIA TAMBÉM

O Governo aberto a negociar com municípios aumento da verba e prazo para limpeza de terrenos

As Câmaras municipais estão obrigadas a substituir-se aos privados se estes não limparem os terrenos …

Acessos à Serra da Estrela cortados devido à queda de neve

Algumas estradas de acesso à Serra da Estrela estão hoje de manhã cortadas devido à …

  • António Lopes

    “Tudo pelas pessoas”!!! Creche de Travanca em vias de fechar…

    • Pensador

      As crianças vão para a obra que se está a remodelar da Liga.
      O Sr. Presidente pensa em tudo. Pensa é mal.

    • aatento

      será que é como o lar que já fecharam lá em travanca. Agora a creche …….depois vai a escola .

    • bisbilhote

      Já agora, sempre é verdade que a namorado do candidato a deputado foi colocada a chefiar um serviço na Camara??
      Sim aquele baixito, pinta de rufia, democrata faz de conta, que é presidente da junta lá dalém da cordinha e que foi eleito presidente do ps em oliveira…..
      è mesmo vergonhosa esta forma de cliente lis mo. E querem eles ser governo alternativo.
      Mas será que esse partido socialista vai a algum lado com gente desta??

  • Que horas são?
  • Pensador

    Que o PS esteja dividido sobre a sua liderança parece-me normal e tal acontece sempre um dia nos partidos democráticos.
    O que não se entende nem aqui nem em qualquer outro lugar do planeta Terra é que o PS esteja dividido acerca da votação da moção de censura do PCP onde além das pérolas do costume sobre a economia, a apologia da saída do euro… se lê o seguinte sobre o próprio PS: «A mais grave situação nacional desde os tempos do fascismo torna indesmentível o retrocesso económico e social a que conduziu a política de direita executada nos últimos 37 anos por sucessivos governos, agravada nos últimos anos pela execução dos PEC e do Pacto de Agressão assinado por PS, PSD e CDS com a troica estrangeira do FMI, BCE e Comissão Europeia.»
    Misteriosa é também a escolha do ano de 1977 (que rica maneira de excluir o PREC, á maneira do PCP) como o patamar último do nosso avanço, patamar esse de que não temos cessado de descer graças, segundo o PCP, também aos governos do PS.

  • Ó João, e os socialistas

    Um diário desta manhã dá a notícia que F. Hollande decidiu reduzir de 22 para 14 as regiões administrativas em França.
    Algum porta-voz do Largo do Rato se pronunciará sobre esta medida ou andam atarefados com as “directas e as primárias” ?