“Resultados obtidos pela CDU confirmam que existe e que é concretizável uma alternativa política e programática”

Em comunicado enviado ao correiodabeiraserra.com, a CDU de Oliveira do Hospital regozija-se com a “nova avançada” alcançada nas eleições europeias realizadas no último domingo.

Comparando com os resultados obtidos em idênticas eleições em 2009, a CDU sublinha o aumento do número de eleitos – passa de 2 para 3 deputados – de percentagem e do número total de votos, pese embora, “o quadro de aumento record de abstenção”. “Estes resultados obtidos pela CDU confirmam que existe e que é concretizável uma alternativa política e programática. Com a CDU há esperança num futuro melhor”, refere em comunicado, João Dinis, o porta voz da CDU no concelho de Oliveira do Hospital.

Ao mesmo tempo que enaltece a “avançada” conseguida pela CDU, João Dinis debruça-se sobre o resultado conseguido pelo PSD e CDS/PP e que considera como “o pior de sempre e em todos os parâmetros: número total de votos, número de deputados eleitos (passam de 10 para 7) e percentagem”. “Assim, registam uma estrondosa derrota que deve ter as correspondentes consequências políticas com a demissão deste Governo”, refere em comunicado.

Quanto à força mais votada, a CDU lembra que “o PS vence as eleições mas tem a menor vitória de sempre em que supera “pouco” – tem mais apenas cerca de 4% – a coligação PSD e CDS/PP e elege mais um deputado que em 2009, passando de sete para oito. “Aliás, juntos, PS mais PSD mais CDS/PP – os partidos da malfadada tróika – têm o pior resultado de sempre”, frisa João Dinis, considerando de igual modo que “a vitória pouco expressiva do PS também demonstra que este partido, sozinho, não é alternativa política à direita “pura e dura”.

Atendendo à “subida” da CDU em Oliveira do Hospital – “PSD e CDS/PP perdem quase 1500 votos comparativamente a 2009”, frisa – no distrito de Coimbra e no país, passando “para a 3ª força política”, João Dinis está certo de que “a estrondosa derrota do PSD e do CDS/PP acentua o indisfarçável isolamento político e social do actual governo que perde, assim, qualquer réstia de legitimidade democrática para continuar a (des)governar o país e a aplicar o programa de desastre nacional promovido pelas tróikas”. O porta voz da CDU defende por isso a “demissão do governo e convocação de eleições antecipadas”. “É exigência democrática que se faz ao presidente da República”, remata.

LEIA TAMBÉM

GNR realizou ontem 40 detenções em flagrante delito, sete das quais por roubo

Filho preso por suspeitas de ter matado mãe com martelo em Viseu

O homem de 37 anos suspeito de ter matado a mãe em Santarinho, no concelho …

Um morto e dois feridos em acidente em Viseu

Uma colisão entre dois veículos ligeiros hoje de manhã, em Sátão, distrito de Viseu, provocou …

  • António Lopes

    “Tudo pelas pessoas”!!! Creche de Travanca em vias de fechar…

    • Pensador

      As crianças vão para a obra que se está a remodelar da Liga.
      O Sr. Presidente pensa em tudo. Pensa é mal.

    • aatento

      será que é como o lar que já fecharam lá em travanca. Agora a creche …….depois vai a escola .

    • bisbilhote

      Já agora, sempre é verdade que a namorado do candidato a deputado foi colocada a chefiar um serviço na Camara??
      Sim aquele baixito, pinta de rufia, democrata faz de conta, que é presidente da junta lá dalém da cordinha e que foi eleito presidente do ps em oliveira…..
      è mesmo vergonhosa esta forma de cliente lis mo. E querem eles ser governo alternativo.
      Mas será que esse partido socialista vai a algum lado com gente desta??

  • Que horas são?
  • Pensador

    Que o PS esteja dividido sobre a sua liderança parece-me normal e tal acontece sempre um dia nos partidos democráticos.
    O que não se entende nem aqui nem em qualquer outro lugar do planeta Terra é que o PS esteja dividido acerca da votação da moção de censura do PCP onde além das pérolas do costume sobre a economia, a apologia da saída do euro… se lê o seguinte sobre o próprio PS: «A mais grave situação nacional desde os tempos do fascismo torna indesmentível o retrocesso económico e social a que conduziu a política de direita executada nos últimos 37 anos por sucessivos governos, agravada nos últimos anos pela execução dos PEC e do Pacto de Agressão assinado por PS, PSD e CDS com a troica estrangeira do FMI, BCE e Comissão Europeia.»
    Misteriosa é também a escolha do ano de 1977 (que rica maneira de excluir o PREC, á maneira do PCP) como o patamar último do nosso avanço, patamar esse de que não temos cessado de descer graças, segundo o PCP, também aos governos do PS.

  • Ó João, e os socialistas

    Um diário desta manhã dá a notícia que F. Hollande decidiu reduzir de 22 para 14 as regiões administrativas em França.
    Algum porta-voz do Largo do Rato se pronunciará sobre esta medida ou andam atarefados com as “directas e as primárias” ?