Rodrigues Gonçalves é o novo presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital

Rodrigues Gonçalves é o novo presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital. A lista apresentada pelo PS colheu 26 votos a favor e 3 votos brancos. Bancada PSD ausentou-se da sala e o “independete” António Lopes escusou-se a votar, por considerar que a nova mesa continuará “em contexto de ilegalidade”.

A nova composição da Mesa da Assembleia Municipal é resultado do pedido de demissão que, no arranque dos trabalhos da reunião deste sábado, foi apresentado pela mesa provisória da Assembleia saída da reunião de 26 de abril, data da destituição de António Lopes de presidente da mesa daquele órgão autárquico.

“Que a Assembleia Municipal legitime de forma democrática esta mesa”, afirmou o presidente em exercício, Carlos Mendes, sendo seguido naquele propósito por Rodrigues Gonçalves. “Deve ser apresentada proposta para nova mesa”, afirmou o deputado, acabando por surgir à cabeça de uma lista, seguido por Carlos Mendes e Aldina Neves, apresentada pela bancada socialistas, defendendo a constituição de nova mesa para “não ficar um vazio nesta Assembleia Municipal”.

Uma “palhaçada” em que o PSD se recusou a participar, optando por toda a sua bancada se ausentar do Salão Nobre da Câmara Municipal. “Não compreendo como é que um ponto desta importância não consta da ordem do dia”, firmou Luís Correia. “Estão a gozar, não vamos participar nesta palhaçada”, registou o deputado municipal.

“Se é legítimo porque é que não colocam ponto na ordem de trabalhos como é legal?”, questionou o destituído presidente da Assembleia Municipal. A aguardar pelo resultado do pedido de impugnação da última reunião da AM, António Lopes considerou que “a nova mesa não deixará de estar eleita em contexto de ilegalidade”, optando depois por “passar” na hora de votação daquela que foi a única proposta de constituição da mesa.

Eleito com 26 votos a favor e três votos brancos, Rodrigues Gonçalves foi eleito presidente da Assembleia, assumindo no imediato o comando dos trabalhos. “Agradeço a confiança. Tentaremos melhorar a eficiência da AM. Tentaremos honrar o voto dos que votaram em nós e dos que não votaram”, afirmou Rodrigues Gonçalves que, agora no lugar de António Lopes, não deixou de lhe agradecer por, desde 2009 ter trazido “democracia a esta Assembleia, que era aqui muito mitigada”.

No lugar de presidente da mesa da AM, o socialista garantiu intervir “o menos possível”, “não arrastar os trabalhos da mesa com intervenções pessoais” e a cumprir o regimento. O novo presidente da Mesa – o terceiro em oito meses de mandato – disse ainda não estar na nova função “para fazer a vontade a ninguém”, nem para entrar naquilo que são as competências da Câmara Municipal. “Nunca procurarei ir além da chinela e entrar em assuntos que não são da Assembleia Municipal”, assegurou o socialista rejeitando ficar com o “ónus” de ter provocado a crise política no concelho por ter sido “dos que tentou evitar tudo o que se passou”.

“Não sei como pode iniciar um mandato com base na ilegalidade”, reagiu António Lopes considerando “ilegal” o modo como decorreu a eleição da mesa, não tendo havido admissão do ponto na ordem de trabalhos, nem reconhecimento da parte da AM da urgência de deliberação. “Os senhores têm problemas com os 2/3”, verificou o anterior presidente da Assembleia.

Satisfeito com a composição da nova mesa da Assembleia, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital revelou-se confiante numa “relação institucional com delimitação de funções que estão bem escritas na lei”. “ Não entraremos em guerrilhas que nos desgastem”, afirmou José Carlos Alexandrino.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • Má lingua

    Duas assembleias, dois presidentes em exercício. A que estamos com um ritmo.
    O gordo não se aguentou, com o medo de lhe entregarem a carta. O cego, maneta também se vai aguentar pouco tempo. Mal a mulher saiba os papelinhos que anda a fazer na assembleia, dá-lhe umas latadas. É cego e maneta mas diz que ouve bem.

    • Em Exercício

      Devido ao mau estar causado por mais esta ilegalidade, Zé Manel, posicionou-se desde logo, para ser o terceiro e próximo presidente em exercício.
      Tem mantido a mesma postura desde sempre. Não trata mal ninguém e o seu discurso economicista tem sido sempre idêntico “Dás-me um euro”.

    • quem te avisa teu amigo é

      Ó jornalista, estás a cortar o quê? Gordos, cegos e manetas há muitos.
      Estás vendida ao Alex e companhia?
      Sr. Lopes, ponha esta tipa a andar, eu arranjo-lhe um homem como deve ser.
      Por 750€ mais carro, é só abrir a boca.
      Mande-a para rua. Ela está com os seus inimigos.

  • Zeca Diabo

    Há…por este andar e com o conhecimento que (não) mostram da lei ainda vão ter que eleger muitos…o “Zé Manel” esteve lá a assembleia toda. Acho que estava à espera para ser eleito…Do que gostei foi saber que o presidente criou uma crise directiva numa das maiores associações desportivas, por se intrometer na eleição de António Lopes para presidente, cargo para que fora convidado. A direcção não gostou da interferência e a eleição não se realizou, como estava previsto, ontem…E veio falar de ódios para a Assembleia.Este Alex, mete dó..! Agora porque dá uns subsídios , já quer mandar nas colectividades.Mário Alves, volta. Estás perdoado.Ao pé do Alex, era um anjo…

    • Verdades

      Acho que lá para os lados de Nogueira, ficou com a reputação na lama.

    • Expliquem-me

      Pode passar a explicar essa crise? JCA não quis que António Lopes fosse presidente? Qual clube?
      Não me digam que vai fazer como na AM, vai para lá mandar o ceguinho para presidente em exercício.
      Já nada me admira.

      • JP

        nomeadamente para associação desportiva nogueirense

  • Marco Brito

    Aproveito para deixar o comentário que fiz nos outros campos:

    —-

    Boa noite a todos.

    Não sou natural de Oliveira do Hospital, mas falaram-me deste jornal e do que se passava aqui. Estou a passar por Oliveira do Hospital por me terem falado da zona do colcorinho, os mesmos que falaram deste jornal, e lembrei-me de vir ver os jornais locais online para conhecer mais da região. Este de facto foi o que me fez perder mais tempo, mas pela negativa.

    Perdi uns minutos a ver as notícias e a ler os comentários por curiosidade. Vi que os comentários eram feitos pelos mesmos e sem conteúdo interessante.

    Tenho vergonha que existam pessoas assim e no meu país, que parecem miúdos sem educação e que não têm trabalho nem nada para fazer. Também quero deixar um reparo para o jornal: sendo um jornal online e onde as crianças podem aceder facilmente, é incorreto deixa apresentar os conteúdos que aparecem e que não são exemplo para ninguém. Não sei como podem deixar isto acontecer.

    Mais me envergonha que vejo criticas a coisas positivas. Será que só damos valor ao mal e ao estrangeiro.

    Espero que melhor a cultura das pessoas que perdem tempo aqui para apenas a dizer mal, que o seu nível de educação cresça e seja um exemplo para os mais novos e que AS PESSOAS SE DEDIQUEM MAIS A TRABALHAR DO QUE A FALAR DOS OUTROS.

    Também deixo um comentário final ao Jornal. É necessário que os jornais façam mais o seu papel de informação e que não sejam apenas um local onde existe falta de respeito,

    falta de educação e se deixe que as pessoas que não têm nada para fazer critiquem tudo e todos.

    Cumprimentos,

    Marco Brito

  • P.inóquio.S

    O pobre do senhor andou toda uma vida a concorrer para um lugar cimeiro, nunca o conseguiu.Foi preciso fazer um “golpe de Estado” no regimento e prestar-se ao frete, para conseguir pelo golpe o lugar que o eleitorado nunca lhe deu…Moral, moral, mas prestam-se a tudo…e não queria ser.Imaginem se quisesse!!! Consta que numa das vezes que concorreu a presidente de Câmara vinha a caminho.Disseram-lhe que tinha perdido, voltou para trás..!

    • Verdades

      É verdade, nem coragem teve para se apresentar ao eleitorado.
      O funileiro é assim.

  • Zeca Diabo

    Mais um…”Marco Brito”: Nunca vi maior elogio ao CBS. Afinal, de referência, em Oliveira do Hospital, falaram-lhe do Culcorinho (com letra grande) e do Correio da Beira Serra. Esses seus amigos sabem bem o que há de bom e bonito por estas bandas. Como o CBS o fez perder mais tempo, já tivemos o privilégio de o ter por cá mais uns minutos…! Espero que tenho gostado. Volte sempre. Olhe agora eu, que sou de cá, vou dizer-lhe o que temos cá, que é mesmo mau. É a cadeira e o gabinete do Presidente da Câmara. Não sabemos o que é que aquilo tem. Que os torna a todos uns déspotas totalitários e antidemocratas ,disso é que não temos duvidas…

  • JP

    como é possivel este executivo transformar uma maioria absoluta em uma maioria fascista e que so mete inrregularidades atras de irregularidades. como se consegue demitir uma mesa eleger a mesa de assembleia sem estar na ordem de trabalhos e nem quiseram que se pusesse na ordem de trabalhos. vivemos numa républica das bananas

  • Guerra Junqueiro

    Zé Manel à Presidência? Porque não?

    Entre os anos de 1605/06, o dramaturgo inglês William Shakespeare, escreveu a tragédia “Rei Lear”, lendário soberano da Britânia, a quem as duas filhas mais velhas junto com os genros usurparam-lhe o trono e arrancaram-lhe os olhos.
    O pobre rei encontrava-se nesta desesperada situação, quando dele se aproxima Kent, a quem Lear havia anteriormente renegado. Kent, fingindo-se louco guiou o rei privado da visão, pelos caminhos de sua infindável agonia. Num momento de lucidez, Lear apercebe-se de todo o drama que está a viver e diz num desabafo: “Tristes tempos em que os cegos são guiados pelos loucos”.
    Não foi este, o cenário de tragedia teatral que se revelou a última Assembleia Municipal do passado dia 28 de Junho. A tragedia foi de outro caracter mas não menos preocupante, pois o que se passou, foi um acentuar da fuga à legalidade perpetuada na anterior Assembleia Municipal, imposta por a “ditadura da actual maioria socialista”.
    Uma mesa da assembleia ilegalmente eleita, nega com base em desvirtuadas explicações do Sr. Presidente da Câmara, o agendamento de pontos na ordem do dia para esta reunião da Assembleia Municipal. Esqueceram-se no entanto de revelar, que as dúvidas levantadas nesses pontos são de importância tal, que podem levar à perda de mandato do actual presidente da Câmara, caso não estejam devidamente comprovadas, esclarecidas e aclaradas à luz da Lei que as rege e regula.
    Perante o que se passou, i.e., a demissão dessa mesma mesa, leva-nos a deduzir o pior, ou seja, que o que foi pedido para ser esclarecido, não o sendo, está enfermo de perigosas e obscuras ilegalidades.
    A “palhaçal” troca de cadeiras levada a cabo pelos empossados “jograis” com a complacência de 26 “arlequins” que compõe a “trupe socialista” a quem entregamos entre outas a responsabilidade de acompanhar e fiscalizar a actividade camarária, não o fizeram, corroborando, certificando e atestando as dúvidas que levaram António Lopes em última estância, a pedir a fiscalização dessas situações pelo tribunal administrativo. Deste modo, António Lopes vê-se obrigado a impor a ausente democracia, usando os existentes mas demorados trâmites legais. Esperemos que os Oliveirenses “não vejam as trancas na porta depois da casa arrombada”.
    Numa Assembleia em que não houve uma única explicação às questões levantadas, dando razão ao que anteriormente escrevi, frisando que não é António Lopes a querer fazer uma Câmara dentro da Câmara, mas sim Alexandrino que não quer uma Assembleia Municipal a quem a Lei obriga a prestar todos e quaisquer esclarecimentos pedidos por qualquer um dos legais representantes. Uma Assembleia que mais não é do que o palco onde se encena o teatro de bajulações ao Sr. Presidente da Câmara. Uma Assembleia que permite o ócio, a ilegalidade e acima de tudo a falta de democracia, mais não é do que uma Assembleia que tem de alterar. Que urge transmutar, para que possa definitivamente ser uma mais-valia, ou mesmo, a maior-valia da democracia em Oliveira do Hospital. Era este o sonho que António Lopes perspectivava para o seu 2º mandato na Presidência da Assembleia Municipal.
    Por isso pergunto: Porque não o Zé Manel à Presidência? Provocaria este oligofrénico maior rombo na democracia do que o actual Presidente causou na última assembleia? Será o seu retardamento mais cruel para quem tem que ajuizar, apreciar e avaliar do que outras lacunas, insuficiências e imperfeições que assistem qualquer ser humano? Não sei, no entanto, não acredito que aquela criatura, que manteve o seu discurso de pedir um euro para o almoço, pregue partidas à realidade, à honestidade e à vulgocracia como outras entidades, que aclamam “tal religião” mas que não a cumprem, servindo-se de tais discursos com o único propósito de chegarem a posições que nunca alcançariam sem enganarem e ludibriarem os seus iguais.
    Relembrando, que há 2300 anos, deambulou sem sucesso o cínico Diógenes pelas ruas de Atenas e Corinto com uma lamparina na mão para ver se encontrava um homem honesto. Sem êxito continuaria caso tentasse no passado dia vinte e oito obter qualquer reflexo da candeia nos frontispícios da trupe socialista. Acredito porem que perfilharia o rosto do Zé Manel iluminado pela lanterna, quando este lhe fosse pedir uma moeda para almoçar.
    É por isso que nestes moldes, não hesitaria em votar no Zé Manuel em detrimento do actual e ilegalmente eleito Presidente da Assembleia Municipal.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1518299121722802&set=pcb.1518299925056055&type=1

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1518297095056338&set=pcb.1518299925056055&type=1

    • Responsável

      Muito bem Guerra Junqueiro, muito bem mesmo.
      Eu também punha a cruz no Zé, nunca no Xico, O primeiro tem deficiência mental, mas o ultimo, a maior deficiência que tem, é a existencial.
      Nunca pensei que Oliveira caísse tão baixo.

      • Responsável

        Não é Xico, é Tó. Desculpem.

  • Guerra Junqueiro

    Reparem na noticia que consta no facebook da Rádio Boa Nova.
    Se a RBN sabia que ia haver eleições, e que Rodrigues Gonçalves ia ser o presidente, questiono:
    a) Quem mais sabia?
    b) Estava então tudo já combinado com os membros para que votassem em Rodrigues Gonçalves? Como se combinou tal arranjo? Que negociações foram feitas? O que envolveram? Quanto custou?
    A verdade, é que os boletins de voto já estavam preparados.
    c) As pessoas que combinaram isto, estavam cientes da legalidade do processo que levou à exclusão de António Lopes?
    d) Os envolvidos, sabem que participaram numa conspiração, e ao que tal acarreta legalmente?
    Meu Deus, isto está muito mais negro, do que eu mesmo imaginava.
    Afinal, não tiraram a tampa do esgoto. Afinal, isto é o esgoto.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

    _____________________________________________________________________

    Rádio Boa Nova

    28/6

    28/jun – Decorre hoje no Salão Nobre dos Paços do Concelho em Oliveira do Hospital, a Assembleia Municipal

    Sem que estivesse na ordem do dia, foi já eleita e constituída a nova mesa da Assembleia. Rodrigues Gonçalves, e como era já previsto, é o novo presidente.
    —————————————————————————————————————

    Como é que a Radio Boa Nova sabia que já era previsto o Sr. Rodrigues Gonçalves vir a ser o novo Presidente da Assembleia Municipal?
    Já sabia que a mesa se ia demitir, mesmo sem estar na ordem do dia? Eu que me considero um personagem informado e esclarecido fui surpreendido. Não sabia.
    Como é que a RBN sabia e não informou? Ai, que isto anda muito pouco católico.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro.