RTP 2 transmitiu ontem documentário sobre a vida de um exilado político filho de Ervedal da Beira

A RTP2 transmitiu ontem o documentário realizado pela professora universitária brasileira Guiomar Ramos “Por parte de pai” em que a autora revê a trajectória do seu pai, Vítor Ramos, um exilado político filho do Ervedal e no qual procura dar a entender o significado de morrer de emoção. Guiomar Ramos esteve em Maio do ano passado esteve a filmar em Ervedal da Beira, altura em que conversou com o CBS (ver aqui), e contou nesta sua passagem por Oliveira do Hospital com a ajuda do actual candidato do PSD à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, João Paulo Albuquerque.

Guiomar Ramos mostra nesta obra a trajectória do seu pai entre Portugal, França e Brasil, contando a história de Vítor Ramos, nascido em Lisboa, em 1920, mas que passou grande parte da infância em Ervedal da Beira na companhia da mãe e dos avós maternos. O trabalho venceu o II Concurso Doctv – CPLP Audiovisual e é exibido nas estações de televisão estatais dos nove países da Comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), sendo que hoje passa, pelas 23 horas locais, na TV Brasil.

A história de vida de Vítor Ramos foi passada em grande vida exilado no Brasil. Era professor de literatura francesa na Universidade de São Paulo e militante político e desde jovem que se envolveu na luta contra a ditadura portuguesa. Reuniu a diáspora anti-salazarista e organizou uma oposição através do jornal Portugal Democrático. O seu 54º aniversário, a 25 de Abril de 1974, coincidiu com a Revolução dos Cravos, mas um aneurisma cerebral, naquela mesma semana, acabou com o sonho de rever o seu país após 20 anos de exílio.

Pode ver aqui o clip do documentário.

LEIA TAMBÉM

Oliveira do Hospital entre os concelhos com mais baldios ardidos no Distrito de Coimbra

A Associação Cooperação Entre Baldios do Distrito de Coimbra (Cobalco) assegurou hoje, em comunicado, que …

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …