Marido detido por suspeita de ter assassinado mulher em Seia e simulado acidente de viação

Rui Andrade nega em tribunal ter planeado a morte da mulher em Seia

O homem de 38 anos acusado de matar a mulher num acidente rodoviário que terá simulado numa estrada municipal do concelho de Seia negou hoje durante a primeira sessão de julgamento no tribunal da Guarda a ideia de ter delineado um plano com tal objectivo.

Rui Andrade, economista, referiu que não elaborou qualquer plano para matar a companheira e, apesar de não prestar declarações sobre o acidente, respondeu que não fugiu do local “porque sabia que não tinha feito nada de mal”. O arguido também declarou, ao contrário do que sustenta a acusação, que, “em momento algum”, a falecida lhe disse “que se queria separar”. “Éramos um para o outro”, referiu.

O economista também não quis falar sobre a instalação de programas no telemóvel da vítima para aceder aos conteúdos, como está acusado.

O advogado de Rui Andrade disse que no decorrer do julgamento a defesa iria “fazer a contraprova do que figura na acusação, depois vertida a pronúncia”, referindo que o economista se confronta “com a suspeita de que o falecimento [da companheira] foi provocado por ele próprio”. O advogado propôs ainda a reconstituição do acidente e a realização de uma nova autópsia para determinar “exactamente como foi que ocorreu o falecimento” da mulher.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …