Salão Nobre de Oliveira do Hospital encheu-se para evocar Tarquínio Hall

 

“Um chá com… Tarquínio Hall” serviu de mote à iniciativa realizada, sábado à tarde, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital em jeito de homenagem póstuma ao ilustre oliveirense.

Repleta de amigos que tiveram o “privilégio” de privar com a emblemática figura, natural de Lagos da Beira, que ao longo da vida se destacou no domínio cultural, literário e político, a iniciativa serviu para recordar Tarquínio Hall.

“Reflitamos no homem e no artista”, desafiou José Vieira, que na condição de amigo e conhecedor do percurso de Tarquínio hall, foi um dos principais mentores do “Chá com…”, organizado pela Biblioteca Municipal e Rotary Club de Oliveira do Hospital.

Uma iniciativa que decorreu num espaço pouco habituado àquele género de eventos, mas que acabou por acolher dada a motivação maior. “Foi deputado municipal por mais de uma década e esteve na tomada de decisões importantes para o nosso concelho”, esclareceu a vereadora da Educação e Cultura, Graça Silva.

Reservando a apreciação à vida de Tarquínio Hall para os verdadeiros conhecedores da vida do ilustre oliveirense, Graça Silva apreciou o legado de Tarquínio Hall em prol da sua terra.

A vereadora reportou-se em concreto ao espólio literário que legou a Lagos da Beira e a própria habitação que, no ano passado, foi objeto de inauguração na condição de Biblioteca Museu Tarquínio Hall.

“Era uma pessoa muito simples e com uma cultura acima da média”, foi o modo como o presidente da Junta de Freguesia de Lagos da Beira se referiu ao saudoso filho da terra, com quem não teve oportunidade de partilhar grandes conversas.

“Falámos algumas vezes”, revelou José António Guilherme, contando que após a sua morte a Junta logo se apressou em dar cumprimento àquele que foi o seu desejo, de que a sua casa fosse transformada em biblioteca museu para acolher o espólio literário. “Foi sempre nossa preocupação projetar o nome dele”, contou o autarca, notando que a vontade de Tarquínio Hall foi cumprida. “A biblioteca museu está lá e foi o melhor que poderíamos ter feito”, referiu.

Ainda que com dificuldade em falar de Tarquínio Hall pelo facto de não “ter tido o privilégio” de com ele privar, o presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital deu conta do seu agrado por poder participar na iniciativa destinada e evocar ilustre nome.

“É para mim um privilégio estar aqui presente, porque tal como eu, Tarquínio Hall gostava muito de história e passou 10 anos nesta casa”, referiu António Lopes, referindo-se igualmente à “grandeza da sua poesia”.

LEIA TAMBÉM

Festival “Origens” de Travanca de Lagos agendado para o próximo fim-de-semana

Os Jovens da Liga de Travanca de Lagos apresentam, de sexta-feira a domingo, mais uma …

Seia aposta na cultura com a realização da 15ª edição do Festival de Artes de Seia – ARTIS

O município de Seia, em parceria com a Associação de Arte e Imagem de Seia, …