Sampaense com fim-de-semana “desastrado”

 

Se do jogo frente ao Benfica não se esperava um resultado demasiado optimista, já frente ao Física se antevia aquela que poderia ser uma vitória fundamental para garantir os “play-off” visto o jogo ser frente a uma equipa condenada à descida de divisão.

Sampaense 66 – 79 Física de Torres Vedras

Primeiro período muito equilibrado com ambas as equipas a lutarem por um bom arranque. O início mais forte foi da equipa da casa que nos primeiros minutos conseguiu um parcial favorável de 6-0.

Na reacção, o Física conseguiu recuperar e saiu vencedor dos primeiros 10 minutos por 16-17. No segundo período cabia aos beirões dar a volta aos acontecimentos, mas tal não aconteceu, muito à custa de uma defesa perdulária que não permitiu ao colectivo ter a solidez necessária para o conseguir. O jogo vai para intervalo com o resultado de 35-43.

No reatar da partida, o Sampaense mostrou maior convicção, trouxe mais empenho do balneário e conseguiu minimizar a diferença, ao fim de 30 minutos de jogo, para somente um ponto. O terceiro período terminou com o resultado de 54-55.

Tudo em aberto para os últimos 10 minutos, que era o tempo restante para o Sampaense conseguir dar a volta a um jogo que teve tudo para ser de solução fácil para os da casa.

No derradeiro período, o Física viu os seus adversários abrirem portas a uma vitória forasteira, devido a uma prestação colectiva menos positiva da equipa do Sampaense.

O jogo terminou com o resultado de 66-79 e a equipa beirã viu comprometida a sua participação no “play-off”.

O MVP da partida foi Mário Neves do Física com 10 pontos e 7 ressaltos.
No Sampaense destacaram-se Bobby Madison com 17 pontos, Jorge Sing com 16 e Jabyron Wilson com 13 pontos.

Benfica 105 – 71 Sampaense

Jogo difícil frente ao campeão nacional, equipa que sofreu a primeira derrota na LPB somente na jornada anterior frente ao F.C. Porto. Foi um jogo com uma história reduzida, muito por culpa de duas lesões de peso que assolaram a equipa visitante nos últimos dias.

Mesmo reduzidos em número e poder de ataque nas tabelas, os jogadores do Sampaense conseguiram equilibrar os primeiros minutos perdendo o parcial inicial por apenas três pontos.

Num jogo onde se destacou o tiro exterior de ambas as formações, foi o Benfica que precisamente por esse factor conseguiu superar-se na partida e criar a maior vantagem na partida. O jogo foi para intervalo com o resultado de 55-33.

Na segunda parte manteve-se a melhor prestação da equipa da casa que com alguma facilidade atacava o cesto com fraca oposição, devido às lesões de dois homens altos que jogam no interior da área. O terceiro período termina com o marcador fixo em 74-54.

No último período, devido ao desnível verificado na pontuação, ambas as formações rodaram o seu banco e aproveitaram para dar minutos às suas unidades menos utilizadas.

O jogo termina com o resultado de 105-71 e mostra de forma inequívoca o porquê do Benfica ser o actual campeão nacional.

O MVP da partida foi João Balseiro do Sampaense com 21 pontos e 6 ressaltos.

Em igual evidência estiveram Bobby Madison com 21 pontos e Jabyron Wilson com 19 pontos.

No Benfica, o melhor foi Carlos Barroca com 19 pontos.

Após estas duas derrotas ficaram a faltar três jogos para o final da fase regular e o Sampaense vê-se agora obrigado a vencer pelo menos dois deles para poder aspirar à participação na fase final do campeonato da LPB.

Por: PNV

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …