Sampaense com quinta derrota consecutiva

Embora a classificação de ambas as equipas já estivesse definida para o “play-off”, este era um jogo da Proliga, divisão onde o Sampaense é candidato assumido ao título e seria sempre um bom barómetro para o restante da época.

Embora os beirões estivessem diminuídos no número de jogadores disponíveis, Jorge Sing, Hélder Carvalho e Anastácio Sami todos com pequenas lesões a resolver, o restante plantel tinha a obrigação de mostrar mais qualidade e vontade de vencer.

Quem tem acompanhado os jogos da equipa de S. Paio de Gramaços entende facilmente que um dos maiores entraves na volta da equipa às boas exibições são condicionantes anímicas que têm vindo a fragilizar o espírito de grupo.

O jogo iniciou-se bastante rápido e equilibrado.
Com uma ligeira vantagem inicial, o Sangalhos cedo viu a sua insistência ser superada por jogadas de qualidade da equipa da casa.

A partida passou a ser controlada pelo Sampaense que com naturalidade geria os tempos de jogo ao seu ritmo.

A vencer ao intervalo, o Sampaense entrou na segunda parte um pouco mais relaxado, facto que levou ao equilíbrio da partida por parte do Sangalhos. Naquele que estava a ser um excelente jogo de basquetebol apareceu o ponto mais negativo da tarde, que foi a prestação da terceira equipa em campo. Jogo após jogo se tem verificado que os árbitros destacados para estes embates, não apresentam a mínima qualidade para assumirem uma postura responsável e isenta.

Se fosse um jogo de play-off, muito mais haveria a dizer. Nos momentos finais da partida, a equipa beirã deixou-se cair numa apatia colectiva estagnante, as suas unidades mais rodadas tentaram resolver o jogo individualmente e com essa opção entregaram o resultado final ao adversário que teve o mérito de aguentar sempre muito próximo da vitória e com essa atitude colectiva muito forte colheu os lucros do jogo.

O Sampaense perdeu mais uma vez por culpa própria, os jogadores comandados por Emanuel Seco tardam em dar o seu melhor, como já o fizeram muitas vezes.

Nesta fase da época, a preocupação em torno do estado anímico da equipa começa a ser tema de conversa entre adeptos.

Todos já viram esta equipa fazer jogos muito bons esta temporada, começa agora a ser preocupante o facto da equipa não se encontrar a si mesma dentro do campo.

O MVP da partida foi Juan Wyatt com 22 pontos e 19 ressaltos.

Em igual destaque no Sampaense estiveram Kendell Craig com 19 pontos e Vítor Farinha com 17 pontos. No Sangalhos destacaram-se Joseph Brown com 37 pontos e Marco Pinto e João Carmo com 11 pontos cada.

A próxima será a última jornada da fase regular e o Sampaense vai fazer uma deslocação a casa do Seixal antes do início do “play-off”.

Por: PNV

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …