A 8ª jornada da Proliga não podia ser pior para a equipa da Beira Alta. O Sampaense sofreu a maior derrota desde que milita na competição semi-profissional.

Sampaense desabou sob um Física muito forte!

Naquele que poderia ser o jogo que voltava a recolocar a equipa tri-campeã nacional nos lugares de topo da tabela, voltou-se a assistir a uma fraca exibição caseira onde os erros colectivos fizeram lembrar a derrota contra a equipa do Benfica.

 O jogo iniciou-se em tons de equilíbrio, disputado a um nível muito elevado com jogadas rápidas e um basquetebol muito atraente. Ambas as formações aproveitaram as hipóteses de ataque e o jogo prometia pela qualidade mostrada nos primeiros minutos. Perto do final do primeiro período, os níveis de concentração da equipa da casa começaram a baixar e o Física foi para o segundo período a vencer por 24-31. Quando todos esperavam uma reacção do Sampaense, nos segundos 10 minutos, foi quando os visitantes encontraram mais facilidades.

Sem hipóteses no jogo interior, os jogadores do Sampaense optaram por uma postura individualista que só trouxe maus resultados. Com Karrem Collins a tentar resolver o jogo sozinho, o Física viu inúmeras hipóteses de, em contra ataque, aumentar a vantagem. Muito fortes no jogo colectivo os homens de Torres Vedras mereceram ir para intervalo a vencer por 36-51. Em campo, pela equipa forasteira estava a jogar Miguel Barroca, que na época transacta representou as cores de S. Paio de Gramaços e nas bancadas só se falava na excelente exibição que o agora jogador do Física estava a protagonizar.

O terceiro período não trouxe nada de novo ao jogo. O Sampaense continuou apático, sem soluções atacantes e ao Física bastou gerir a vantagem que trazia do primeiro tempo da partida. Mas, aproveitando o desnorte completo da equipa da casa, conseguiram ampliar ainda mais a vantagem e foram para os últimos 10 minutos a vencer por 54-79. No último período, e adivinhando a derrota que haveria por se concretizar, Jorge Dias aproveitou e deu minutos de jogo a todos os jogadores, incluindo o estreante vindo dos juniores André Santos.

Com uma exibição muito abaixo do exigido a uma equipa que se habituou a ganhar, o Física foi um justo vencedor e levou uma vitória avantajada para casa. O resultado final foi de 72-103 e marca a maior derrota sofrida pelo Sampaense na Proliga. O MVP da partida foi Miguel Barroca do Física com 31 pontos e 5 ressaltos. No Sampaense destacaram-se Kareem Collins com 17 pontos e Justin Marshall com 15 pontos.

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …