Sampaense na Taça da Liga

 

No derradeiro encontro do primeiro dia da Taça Hugo dos Santos, a Académica de Coimbra superou o Sampaense Basket (78-59), acabando por ser a última equipa a carimbar a presença nos encontros das meias-finais, defrontando no segundo jogo deste sábado a Ovarense Dolce Vita.

É consensual que o ponto forte da equipa do Sampaense Basket é o ataque, e quando este não funciona as probabilidades de êxito decrescem significativamente. Nem o reforço Bobby Madison, ex-CAB Madeira, em substituição do lesionado Ricondo Crutchfield, conseguiu disfarçar as dificuldades sentidas pela equipa de S. Paio de Gramaços durante toda a primeira parte.

Com uma leitura atenta sobre o adversário, o treinador da Académica, Norberto Alves, insistiu numa forte defesa que proporcionasse rápidos contra-ataques, explorando as debilidades na recuperação defensiva da turma do Sampaense. Foi exactamente utilizando essa arma que os conimbricenses começaram a afastar-se no marcador, atingindo o intervalo a vencer por uma diferença de 15 pontos (40-25), que só não foi maior pela boa ponta final dos comandados de Cláudio Figueiredo.

O descanso foi positivo para os pupilos de Cláudio Figueiredo, que regressaram dos balneários com outra atitude e, principalmente, com uma renovada chama defensiva, que lhes permitiu reduzir a diferença até à dezena de pontos (32-42). Mas tudo aquilo de bom que tinham feito nos primeiros minutos da segunda metade em segundos se desvaneceu, com a equipa de S. Paio de Gramaços a revelar a sua imaturidade ofensiva, por vezes roçando o individualismo.

O final do período chegava com os estudantes a liderarem por 54-37. A diferença na ordem da dezena de pontos viria a revelar-se uma barreira psicológica para o Sampaense, já que no derradeiro quarto, novamente, e por mais do que em uma situação, 48-58 e 50-60, o conjunto do Sampaense não conseguiu fazer baixar a diferença, acabando por repetir exactamente os mesmos erros, com os atletas a perderem por completo os seus papeis dentro de campo.

Demorou algum tempo, mas a partir do meio do decisivo quarto a Académica arrancou definitivamente para o triunfo que lhe dava a passagem às meias-finais (78-59).

O norte-americano da equipa de Coimbra, Manuel Johnson (35 pontos, 9 ressaltos, 4 assistências e 4 roubos de bola), protagonizou uma excelente exibição, enquanto que nos vencidos foi Bobby Madison (19 pontos, 6 ressaltos, e 2 assistências) o atleta mais valorizado.

Por: PNV

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …