Sampaense perdeu frente ao Benfica

Em S. Romão, casa emprestada do Sampaense Basket, os encarnados derrotaram esta equipa por 105-82.

Os 3 minutos finais do 2º quarto, período durante o qual a eficiência befiquista no tiro exterior foi fantástica, acabaram por fazer toda a diferença no encontro. Permitiu aos visitantes construir uma vantagem de 15 pontos, ponto de partida para um triunfo fácil.

Contrariamente ao que ambos os técnicos afirmaram antes do inicio da partida, não foi através da defesa que os dois conjuntos se evidenciaram. Num encontro marcado pela elevada marcação de pontos, o Sampaense foi capaz de acompanhar o ritmo encarnado até bem perto do final da 1ª parte, altura em que perdia por apenas 2 pontos de diferença (39-41).

Os últimos 3 minutos da etapa inicial foram terríveis para os visitados, muito por culpa do acerto das águias no lançamento exterior – 12/16 de 2 pontos (75%) e 10/17 de 3 pontos (59%) – bem como da imaturidade da turma do Sampaense que, para além de insistir, sem sucesso, nas acções individuais, deixou de recuperar defensivamente, permitindo sucessivos contra-ataques em situação de superioridade numérica.

O recomeço da segunda parte teria de ser obrigatoriamente favorável para a equipa da casa, caso os comandados de Cláudio Figueiredo desejassem manter-se na luta pela vitória. Mas o objectivo dos encarnados era bem diferente e fizeram questão de o demonstrar no reinício do encontro, resolvendo-o durante o 3º período (89-58).

O último quarto perdeu em emoção, mas manteve a espectacularidade, com as ambas as equipas a proporcionarem bons momentos de basquetebol a um público que enchia por completo o pavilhão.

A boa pontaria de Sérgio Ramos (30 pontos e 4 ressaltos), MVP do encontro, João Santos (19 pontos, 5 ressaltos e 3 roubos de bola) e Nick Dewitz (22 pontos, 7 ressaltos e 2 desarmes de lançamento) foi fatal para o Sampaense.

Do lado dos visitados, o destaque vai para Ricondo Crutchfield (22 pontos e 7 ressaltos) e Alexandre Gama (18 pontos, 2 ressaltos e 2 roubos de bola).

Nota: Nos momentos anteriores ao jogo dois elementos da comitiva do Sampaense envolveram-se num trágico acidente automóvel onde ambos acabaram por ser hospitalizados devido à gravidade do mesmo. Ser uma equipa, no global sentido da palavra não passa somente pela falta material dos mesmos, quer na altura do jogo em que grande parte das actividades extra-desportivas ficaram incompletas, quer durante e após o jogo em que todos são fundamentais no apoio ao decorrer do mesmo.

Passa sim pela preocupação comum que se apoderou de todos os que são Sampaense que ao ver dois dos seus debilitados num acidente não conseguiram mais pensar em outra coisa que não no bem-estar dos ausentes Nestes momentos a família desportiva que é este clube do interior fecha-se na sua preocupação e deseja com toda a força do mundo uma rápida e completa recuperação ao Hugo Duarte e ao António Fonseca. Se há uma coisa de que todos temos a certeza é que enquanto não estiverem novamente entre nós o Sampaense não estará certamente no seu melhor.

Por: www.fpb.pt

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …