Santa Casa da Misericórdia de Galizes proposta para receber medalha de Ouro do Município

A Santa Casa da Misericórdia de Galizes é a entidade que a autarquia vai apresentar na próxima Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital para ser galardoada com a Medalha de Ouro do Município no dia 7 de Outubro. A proposta partiu do Presidente José Carlos Alexandrino e foi aprovada em reunião do executivo. Já a Cooperativa Agro-Pecuária da Beira Central de Oliveira do Hospital, Francisco Borges Garcia, Higino da Costa Borges, Manuel Oliveira Cruz e Vicente da Costa Pinto são os nomes indicados para as medalhas de Mérito Municipal.

A Santa Casa da Misericórdia de Galizes, ou Irmandade da Misericórdia, é uma instituição fundada em 1668, pelo Padre João Alves Brandão, Vigário Geral do Bispado de Coimbra e actualmente funciona como instituição particular de solidariedade social, do foro canónico. Desenvolveu esforços no sentido de praticar a solidariedade social, com destaque nas áreas da infância, família, deficiência e terceira idade. Promove a autonomia e a integração dos portadores de deficiências, o desenvolvimento intelectual e motor das crianças, o bem-estar e equilíbrio físico e psicológico do idoso e a manutenção do acesso a medicamentos pela comunidade. Recentemente, inaugurou a Casa de N.ª Sr.ª da Visitação, um novo Lar residencial para a área da deficiência, também com valências de Residência Autónoma e Centro de Actividades Ocupacionais.

Fundada em 1964, Oliveira do Hospital, e estando hoje presente também em Arganil, Tábua e Seia, a Cooperativa Agro-Pecuária da Beira Central surge como uma das entidades indicadas para receber uma das medalhas de Mérito Municipal. O executivo de José Carlos Alexandrino justifica esta proposta por se tratar de uma instituição que pretende promover serviços de excelência ais seus 4650 cooperantes, visando o desenvolvimento socioeconómico e fomentando práticas agrícolas e florestais sustentáveis.

O líder durante vários anos da concelhia do PS Francisco Borges Garcia, nascido em Lagares da Beira a 12 de Junho de 1943, é outro dos nomes apresentados para receber a Medalha de Mérito Municipal. Francisco Borges Garcia filiou-se no PS logo após o 25 de Abril e integrou algumas listas da vereação e da Assembleia Municipal, um lugar que ainda hoje ocupa.

Higino da Costa Borges, se a proposta for aprovada, vai receber a homenagem a título póstumo. Falecido a 2 de Outubro de 2005, aos 73 anos, Higino distinguiu-se ao serviço dos corpos sociais do Clube Desportivo e Recreativo Vasco da Gama e foi um dos fundadores da Casa do Povo de Seixo da Beira. Em 1989 foi eleito Presidente da Junta de Freguesia de Seixo da Beira. Foi ainda membro da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital.

Considerado como um exemplo na defesa da cultura e tradições da Freguesia de S. Gião, Manuel Oliveira Cruz, 84 anos, é outro dos nomes que surge para receber a medalha de mérito. Finalmente, o outro dos nomes propostos para homenagear é o do médico veterinário, nascido em Meruge, em 1924, Vicente da Costa Pinto.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • cristina

    festa sobre festa . Pergunto se toda esta gente que gere o concelho não se envergonha de há 6 anos a esta parte o continuarem a destruir e não saberem fazer mais nada para além de showbarracada. Deviam ser obrigados a devolver o dinheiro que ganham .São uns tristes convencidos que fazem alguma coisa .

  • Fim das medalhas vai a coleira

    Uma praceta para a falecida mãe do Presidente da Assembleia Municipal, uma rua para o falecido pai do Presidente do PS e da Junta do Ervedal, uma medalha para o falecido pai do Presidente da Junta do Seixo…
    Ainda me hão de explicar porquê? O PS a distribuir louvores pelos que ajudaram à vitória não pára. E nesta altura da campanha dá cá um jeito, e tudo pago com o dinheiro do povo. Assim vale a pena.

    • António Lopes

      No que toca à praceta com o nome da minha falecida e saudosa mãe, acho de uma hipocrisia e um provincianismo atroz. A minha mãe tendo sido uma grande mulher, para quem a vida não foi nada fácil até nos criar, não fez mais que todas as outras mães.Nome numa praceta a que título?Estas coisas são para distinguir actos e comportamentos relevantes e excepcionais, não são para vulgarizar. Já o filho, dentro do que por aí se faz até se poderia aceitar… Sempre me opus a nomes de rua, em vida, e fiz sentir isso a quem entendeu por insistência por lá o meu nome.Mas uma vez que virei o inimigo publico nº1, acho que o melhor é tirarem as placas.Considerando o que de mim têm dito não quero que se sintam incomodados, nem o Concelho comprometido.Arranquem.Quanto às medalhas propostas,pelos motivos conhecidos, considero que a Assembleia Municipal está a funcionar ilegalmente e, como tal não voto.Juridicamente tenho-me abstido porque se não o faço, aprovam por unanimidade.Se votasse votava favoravelmente todas as propostas.No Caso da Santa Casa da Misericórdia de Galizes, penso que só perde por ir tarde.Considero uma das instituições mais meritórias do Concelho e aproveito para enviar o meu agradecimento pelo trabalho desenvolvido e os meus parabéns pela merecida nomeação.Não voto mas vou enaltecer.Quanto ao meu amigo Francisco Garcia tenho intenção de lhe manifestar todo o meu apreço e satisfação.Ele tudo fez, e faz, para que outra fosse e seja a democracia neste Concelho. Sei que nem todos o compreendem mas considero- o político mais probo e empenhado de todos os que estão no activo, neste momento, no Concelho.No estado de saúde que tem tido, não falha a uma assembleia nem às iniciativas políticas.Considero-o um bom exemplo do que deve ser um político e um cidadão. Quanto ao Senhor Higino Borges, convivi muito pouco com ele mas conheço o seu histórico. Penso que é muito bem entregue. Os demais não tive nem tenho o prazer de conhecer.Acredito que são bastante merecedores.Quando muito poderei discordar do elevado número que todos os anos são atribuídas.Mas desde que se deu a nove pastores, de uma só vez, e nas condições que foi, é pregar no deserto.