António Lopes diz que saída de Liliana Lopes se deveu a linha editorial do CBS e acusa “encomendadores de notícias” de lhe deverem mais de 232 mil euros

“Se é tudo transparente, porque é que não me fornece os documentos?”

António Lopes continua sem resposta ao pedido de informações que dirigiu à mesa provisória da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, a propósito de um conjunto de situações de que tem “dúvidas” e que pretende ver clarificadas.

Numa altura em que é público o pedido de auditoria que o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital dirigiu à Inspeção Geral de Finanças com base naquele pedido de informações, o destituído presidente da Assembleia Municipal oliveirense continua sem compreender o motivo pelo qual continua sem obter resposta à missiva que dirigiu ao seu sucessor provisório, e na qual solicitava um conjunto de informações sobre várias situações, entre licenciamentos e ampliação de espaços industriais, atribuição de subsídios, gastos com eventos, listagem de funcionários contratados pela ADESA e participação do município na BLC3 e encargos dali decorrentes. Em causa estão situações de que o deputado municipal diz ter “dúvidas” e que “gostaria de ver resolvidas”.

“Se é tudo transparente, qual é o problema do presidente da Câmara Municipal? Porque é que não me fornece os documentos que solicito?” questiona António Lopes, queixando-se de estar “há mês e meio à espera” da resposta, contrariamente ao período de 10 dias que é determinado pelo artigo71º do código do procedimento administrativo, bem como ao período de 15 dias determinado pelo regime jurídico de urbanização e edificação (artigo 110º, nº2). “Não compreendo”, afirma António Lopes que numa situação de rutura com o presidente da Câmara Municipal diz ter conhecimento de “irregularidades graves e muito graves, que até foram discutidas em reuniões do executivo municipal, como atestam as atas municipais”. “Não quero sair do mandato com dúvidas e quero tudo limpo”, refere, esclarecendo porém que daquela forma não pretende fazer finca pé da existência de irregularidades, mas antes “ajuizar se as coisas estão corretas”. Porque, “tenho dúvidas e não as quero manter”, sustenta.

Refira-se que na última reunião pública do executivo municipal, o próprio presidente da Câmara fez questão de informar da receção do pedido de informações e documentos que foi endereçado por António Lopes com a intenção de os fazer chegar à Inspeção Geral de Finanças, adiantando na ocasião ter-se antecipado naquele propósito, solicitando junto do responsável daquela estrutura uma auditoria para aferir da legalidade das situações levantadas pelo deputado. “Este executivo não tem medo dos seus atos” e “nunca contrariou decisões que venham dos técnicos da sua estrutura”, afirmou José Carlos Alexandrino.

Em causa estão dúvidas de António Lopes que estiveram na base do seu desentendimento com o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e que, juntamente com outros processos, resultou na destituição do deputado do lugar de presidente da Mesa da Assembleia, em reunião de 26 de abril.

Na condição de deputado António Lopes viu negada na, última semana, a inclusão do ponto “política de licenciamentos no concelho de Oliveira do Hospital”. Uma decisão que o presidente da Câmara Municipal justifica com o argumento de que não existe política de licenciamento no concelho, cumprindo o município o que a lei determina. Uma justificação que não colhe junto do deputado municipal que tomando por base a lei (69/90 , artigo º3º), está certo das competências municipais sobre a política de urbanismo e licenciamento, notando que “é à Assembleia Municipal que compete analisar e aprovar os planos municipais que compreendem também o PDM que vai a discussão na próxima reunião”.E uma vez rejeitada a inclusão do ponto solicitado – “farei requerimento na Assembleia”, avisa – é exatamente no ponto relativo ao PDM da ordem de trabalhos, que António Lopes espera questionar o executivo sobre as matérias de que diz ter “dúvidas”.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • IOGURTE

    Este caga centimos é mesmo patético. Tenho mesmo pena do homem. Tu não vês que já ninguém te liga. Fica lá do outro lado da serra porque deste lado já sabes que não passas de um simples bobo da corte. Ao menos diz à senhora que põe aqui as notícias para colocar outra foto onde não apareças com cara de parvo. Eu sei que vai ser difícil encontrar uma, mas ao menos tenta.
    Não tens mesmo noção do ridículo!

    • Homenagem

      Tens aqui a cara de um e de outro.

      Está melhor nesta? E o que está atrás? O que te parece?

      Aproveito para lhe perguntar qual a definição de “noção do ridículo”?

      http://correiodabeiraserra.com/wp-content/uploads/2012/06/lopesvf.jpg

      • Trombinhas

        Olha que carinhas “bonitas”. estavam alegres.
        O da frente ainda não estava louco e falido. O de trás já estava louco, mas a câmara ainda tinha uns tostões.

    • olhos de ver

      não me digas que também andas a comer aquilo que eu desconto dos meus impostos, pois quem sabe verdadeiramente trabalhar não anda junto com os boys e não é parasita, pois o homem pagou duas campanhas eleitorais era o melhor e era um homem honesto, agora já é corrupto

  • Só dá para rir

    O teu problema, é que o homem atravessa a serra.
    Pois é, as ilegalidades vão-se pagar caro. Então não há politica de licenciamentos no concelho? Boa, é dado o aval com moeda ao ar?

  • Zeca Diabo

    Olha lá, ó “leite azedo”: Eu também pergunto: Se é tudo transparente porque é que ainda não lhe entregaram os documentos? Mês e meio não chega? Eu percebo: Só vejo o presidente ou em festas ou em “jogos florais” Carnaval disto, Páscoa daquilo, dia de não sei quem,marchas, confrarias …é o que eu vejo..? Vê se te vais habituando que com o Lopes é politíca a sério, não é aquilo a que estavam habituados. É alguma surpresa..?

  • Não pára

    Não sejam assim, o Alex anda numa correria para ver se convence os Sampaienses a vender o campo de futebol á Sonae Industria.

    Aquilo ali para os lados da Câmara anda uma confusão total, já se fala que cabeça vai rolar.

    A oposição toda a dormir pois não se vê ninguém a pedir esclarecimentos.

    Continua tudo na mesma como a lesma.

    Os documentos não irão aparecer, já se fala pelos corredores onde é que eles andam…