“Se hoje temos um serviço de ação social que serve de exemplo, muito se deve a Isabel Almeida”

 

… à profissional que “todos respeitam”.

Foram múltiplos os elogios que, no jantar de homenagem ao profissional promovido, no último sábado, pelo Rotary Clube de Oliveira do Hospital, foram dirigidos a Isabel Almeida. A técnica de ação social que há mais anos se encontra no ativo no concelho de Oliveira do Hospital assistiu ao reconhecimento de toda uma vida de dedicação profissional, sem esquecer também a sua participação no grupo CPM – Centro de Preparação para o Matrimónio.

“Se Oliveira do Hospital, hoje, tem um serviço de ação social que valorizo e serve de exemplo muito se deve a Isabel Almeida”, referiu a presidente do Rotary Club de Oliveira do Hospital, valorizando todo o trajeto profissional da técnica de ação social que iniciou atividade no Centro de Dia da Bobadela, passou pelo Centro Paroquial de Solidariedade Social de Santa Ovaia e é hoje diretora técnica na Obra D. Josefina da Fonseca, em Oliveira do Hospital.

Paula Mendonça aludiu em particular ao modo como Isabel Almeida se relaciona com a comunidade e à forma como se destaca entre os profissionais de ação social concelhios. “Quando fala e da forma como fala, todos os colegas a respeitam”, registou Paula Mendonça, notando estar em causa um “respeito pela profissional e pelo ser humano”.

Uma homenagem que, no entender do vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital primou pela pertinência. “Hoje é o tempo da solidariedade social e em nome do município quero agradecer o olhar atento do Rotary Club de Oliveira do Hospital”, afirmou José Francisco Rolo que, também na qualidade de vereador da Ação Social na autarquia oliveirense aludiu ao momento difícil por que passa o país e do qual o concelho não se consegue alhear.

“No concelho há mais de mil desempregados, 33 casais desempregados e mais de uma centena de jovens com qualificações superiores sem acesso ao mercado de trabalho”, informou o autarca, referindo que hoje não há ninguém que não tenha alguém por perto atingido pelo drama do desemprego. Uma realidade que, referiu o vice-presidente, é bem conhecida pela homenageada no âmbito das suas funções, à qual reconhece o mérito de no imediato tentar encontrar solução para um problema que se lhe coloca.

“Sei que é uma boa técnica de serviço social. Experiente, presente e em continuada aprendizagem”, referiu José Francisco Rolo, revelando a gratidão do município por “tudo aquilo que tem dado à nossa comunidade”.

Hoje um dos responsáveis pela presença de Isabel Almeida no concelho, o padre António Borges de Carvalho recuou no tempo para recordar o dia em que a jovem técnica lhe foi apresentada e que em boa hora decidiu admitir. “Hoje a nossa Isabelinha é reconhecida como profissional dedicada”, disse visivelmente orgulhoso.

“A sua dedicação, empenho, sabedoria, humanismo que põe em tudo o que faz é o fundamento desta justa homenagem”, afirmou também Maria José Freixinho, parceira no CPM, louvando o Rotary Club oliveirense por “ao longo dos tempos mostrar que está atento à sociedade e aos elementos que são dignos de destaque”.

Palavras elogiosas partilhadas por colegas de profissão de Isabel Almeida e outras pessoas com quem ao longo dos anos teve oportunidade de trabalhar.

“Tudo o que somos é muito do trabalho de Isabel Almeida”, sublinhou Clara Caçador, responsável pela Obra D. Josefina da Fonseca, instituição onde a homenageada desempenha funções de diretora técnica. “Ela é uma grande orientadora, está presente, estrutura e organiza”, enumerou a responsável que não dúvidas de que “as boas direções, não são mais do que o reflexo dos bons profissionais”.

“Gosto do que faço”

Alvo de uma homenagem sentida também partilhada pelo marido, Artur de Almeida – vincou a dedicação total à profissão – e pela filha , Alexandra Almeida – “agradeço pela mãe que és, pela profissional e pelo modelo que és para a sociedade”, referiu – a técnica de serviço social disse ter consciência de que tem cumprido com o que se propôs com “amor e dedicação”.

“A minha tarefa tem sido facilitada porque gosto do que faço”, continuou a homenageada que, muito grata pela homenagem que lhe estava a ser dirigida, recordou todos os que com ela se cruzaram e que muito a enriqueceram. Uma “sorte” que, considera, tem a mão de Deus que “tem sido muito generoso” para consigo.

Num olhar pelo passado, Isabel Almeida tem a recordar “anos de trabalho desafiante”, admirando-se até de “fazer tanto com tão poucos recursos” . Um trajeto que – não deixa de registar – só foi possível com “o contributo da família”.

LEIA TAMBÉM

Ana Abrunhosa entregou quatro habitações reconstruídas em Seia

A presidente da CCDRC, Ana Abrunhosa, entregou as chaves de quatro habitações (três na freguesia …

Dez detidos por tráfico de estupefacientes em Seia e Manteigas

O Comando Territorial da GNR da Guarda deteve dez pessoas, com idades entre 18 e …