Secretário de Estado da anuncia requalificação do Centro de Saúde e reforço da importância do Hospital de Seia

O Secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, deslocou-se, esta manhã, ao Concelho de Seia, onde inaugurou as obras de remodelação da Extensão de Saúde de S.Romão e visitou o Centro de Saúde de Seia. A visita daquele membro do membro do Governo aconteceu a convite do Presidente da Câmara Municipal, Filipe Camelo, que procurou sensibilizar a tutela para os problemas no sector dentro do concelho e que se têm agravado nos últimos cinco anos. E não esqueceu o que se passa com o Hospital de Seia. Os pedidos de Filipe Camelo tiveram acolhimento.

Manuel Delgado compreendeu e anunciou a intenção do Governo em avançar com a requalificação das instalações do Centro de Saúde de Seia e deixou garantias relativamente ao reforço da importância e do papel do Hospital de Seia, nomeadamente com mais meios, valências e serviços. Para agilizar um conjunto de procedimentos e orientações, o governante deixou mesmo a promessa de reuniões entre o Ministério e a Câmara Municipal nos próximos dias, agindo em estreita articulação com os diferentes actores: Unidade Local de Saúde da Guarda e Administração Regional de Saúde do Centro.

Antes, o membro do governo ouviu Filipe Camelo recordar o encerramento, ao mesmo tempo, de mais de uma dezena de extensões, bem como a degradação dos equipamentos de saúde, com particular destaque para o Centro de Saúde de Seia, cuja requalificação, que já havia sido adjudicada, foi suspensa, sem qualquer explicação à empresa e à Câmara Municipal. Referiu ainda que os problemas têm vindo a ser sinalizados junto do Ministério, tendo manifestado a disponibilidade da Câmara (inclusive financeira) para, em conjunto com o Governo, se proceder à requalificação do edifício, garantindo maior conforto e comodidade aos profissionais e utentes.

O autarca, depois, colocou no topo das preocupações a questão relativa ao Hospital de Seia, referindo o progressivo esvaziamento de serviços e valências. “Está instituído na comunidade que esta unidade hospitalar perdeu importância e influência, sendo hoje rotulada como um apêndice do Hospital da Guarda”, frisou o autarca.

Filipe Camelo exige que o Concelho de Seia tenha outro tratamento, porque ninguém compreende que o Hospital de Seia disponha de condições estruturais (novo edifício) para prestar cada vez mais e melhores cuidados de saúde e o que esteja a acontecer seja o inverso, algo incompatível para uma cidade com a dimensão de Seia, onde a permanência destes serviços públicos são de vital importância, atendendo à sua centralidade, ao conjunto de serviços de que o Concelho dispõe, aos seus indicadores de desenvolvimento, à sua demografia, localização estratégica, população estudantil e tecido empresarial.

LEIA TAMBÉM

Incêndios destruíram mais 500 hectares em Seia

Autoridade Nacional de Protecção Civil alerta para risco de incêndios nos próximos três dias

O Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) …

GNR de Coimbra aposta no combate à sinistralidade com tolerância zero na velocidade

GNR intensifica controlo de velocidade a partir de amanhã e até domingo

A GNR intensifica a partir de amanhã e até ao próximo domingo, em todo o …

  • Aníbal

    Por cá, em Oliveira, é mais visitas do presidente da Ordem dos Médicos que não decide coisa nenhuma, mas serve para levantar o ego do senhor presidente da Câmara. Os nossos vizinhos levam ao local quem, na realidade, tem capacidade para resolver os problemas. Uns ficam com o ego satisfeito e com os problemas por resolver. Os outros, sem tanto alarde, resolvem as dificuldades de quem os elegeu e fazem o concelho andar para a frente. Nós ficamos pela cidade da moda e sem nada.

    • Bruxelíssimo

      É o velho carrossel do “Eu trouxe cá!” …
      Na sábia gíria popular, mais ou menos, entende-se que “Eu, trouxa, fui …”
      Apenas para a fotografia.
      Mas ficam – mal! – nessas fotografias! – mais tarde , ou mais cedo, hão-de entendê-lo.
      A logia já não é o que era. Agora, é só para negócios.
      É só (má ) propaganda!
      Na moda!

  • Guerra Junqueiro

    Seia mostra-nos como se trabalha a saúde, o queijo, o turismo, a indústria, enfim têm um presidente de câmara competente.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • António Lopes

    “Projecto Normal de Saúde”. Dentro da normalidade tudo se resolve.Quando se pretende “Projectos Revolucionários” acaba-se sem “revolução” Como eu digo : É só fogachos.SEm querrilha, sem sangue, os concelhos vizinhos vão resolvendo os seus problemas.Nós é o que se sabe…E quem é que os convence que não nasceram para esta vida..?