“Sei que incomoda, a ideia também é essa”

António Lopes revelou-se hoje numa voz incómoda no decorrer da reunião da Assembleia Municipal. A pugnar por intervenções sucessivas, o destituído presidente da mesa daquele órgão foi mesmo convidado a interromper as suas intervenções.

Impedido de fazer incluir um ponto na ordem de trabalhos da Assembleia Municipal e a aguardar pelo esclarecimento da Câmara Municipal a um conjunto de situações que reportou, o ex presidente da Mesa da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital desdobrou-se,hoje, num conjunto de intervenções na sessão ordinária daquele órgão, que decorreu entre as 09h00 e terminou perto das 16h00 deste sábado.

A começar por fazer fortes reparos ao modo como decorreu a reunião de abril onde foi destituído, António Lopes foi ao longo de toda a Assembleia uma voz incómoda. Aconteceu também por ocasião da votação para a constituição da nova mesa da Assembleia e assim sucessivamente, fazendo ainda uso do período antes da ordem do dia para requerer o inclusão do ponto alusivo às políticas de licenciamento na ordem de trabalhos, bem como para requerer a apreciação à recusa por parte do município de entrega de documentos com o objetivo de serem enviados à Inspeção Geral de Finanças. “Eu nunca disse que são desonestos, porque para mim a honra das pessoas vale muito dinheiro. Mas se eu tenho dúvidas, tenho direito de as esclarecer”, afirmou na ocasião António Lopes, não poupando críticas às notícias veiculadas após a sua destituição, fazendo por isso questão de entregar à mesa da Assembleia uma declaração de não dívida. A entrevista cedida pelo presidente da Câmara Municipal foi igualmente objeto de reparo. “Será que um presidente que invade a vida pessoal de outro, denegrindo-a, deve merecer ser presidente da Câmara?”, chegou a questionar António Lopes num desfiar de outros considerandos que efetuou ao conteúdo da referida entrevista.

Acabou por ser no ponto I da ordem de trabalhos que o deputado municipal, na condição de independente, se revelou mais acutilante, questionando o presidente da Câmara sobre assuntos como “cartas de conforto”, atrasos nos pagamentos a coletividades e juntas de freguesia, pedido de devolução do “empréstimo de 100 mil euros” que fez ao kikas. “O António Lopes está a arder”, referiu o deputado que, independentemente dos boatos de que está “falido e que ando a pedir o dinheiro que dei”, entende que “o que é dado eu esqueço, o que empresto quero de volta”. “Há leis neste município?” questionou ainda António Lopes fazendo-se acompanhar por um conjunto de cartas que dirigiu para acertos de contas, mas que “o carteiro não conseguiu entregar” .

Interrogações que, tal como aconteceu no ponto seguinte reservado ao Plano Diretor Municipal, incomodaram a Assembleia, com a a maioria socialista a revelar-se desconfortável com as excessivas intervenções. Escusando-se a tecer qualquer consideração sobre o Kikas, o presidente da Câmara Municipal informou da inexistência de qualquer carta de conforto emitida pelo município. “Há subsídios aprovados, não há cartas de conforto”, explicou José Carlos Alexandrino, informando que “os subsídios estão a ser pagos dentro da lógica da sustentabilidade da Câmara Municipal. O autarca esclareceu ainda que “as Juntas já receberam a 1ª tranche, tal como estava prometido” e que os atrasos às coletividades decorrem do facto de a Câmara estar a definir uma política de atribuição de subsídios mais igualitária.

“Admito intrigas e injúrias, mas não admito faltas de educação”

“Será que eu estou mesmo louco?”, chegou a perguntar António Lopes, quando no ponto 2 viu questionado o teor da sua intervenção sobre política de licenciamentos quando estava em análise a aprovação da revisão do Plano Diretor Municipal. Impossibilitado de prosseguir na intervenção, o deputado lembrou que enquanto presidente da Mesa nunca tirou “palco” a ninguém, pelo que criticou o o facto de o presidente da Câmara poder falar uma hora e a si só lhe serem dados 10 minutos. “Naturalmente que haverá problemas. A lei é só para mim?”, questionou António Lopes que, voltando a ser interrompido na intervenção que fazia a propósito de alegados favorecimentos na BLC3 , disse: “sei que incomoda, mas a ideia também é essa”.
Tendo, no decorrer da Assembleia, referido que os deputados “não percebem” as suas intervenções e voltado a aludir ao interesse nas senhas de presença que ali auferem, o socialista André Duarte viu-se na necessidade de defesa da honra pela forma “no mínimo indecorosa” como António Lopes se dirigiu à Assembleia, informando não ser burro e não estar naquele órgão pela senha de presença. “Já entreguei uma e posso entregar-lhe a próxima”, referiu o jovem deputado socialista que disse admitir “intrigas e injúrias”, mas não admitir “faltas de educação”. António Lopes respondeu não ser o próprio a querer que a Assembleia termine “antes das quatro da tarde”.

LEIA TAMBÉM

IP reforça meios de prevenção e limpeza de gelo e neve nas estradas da Serra da Estrela com novo Silo de Sal-gema na Guarda

A Infra-estruturas de Portugal (IP) instalou na Guarda, um novo silo de sal-gema com capacidade …

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

  • O Carteiro

    Sr. António Lopes, está a ver, não conseguiu entregar as cartas. Eles desaparecem. Não há hipóteses.
    Eu entrei em depressão por não conseguir fazer o meu trabalho com êxito, e agora, já estou a ver, vou voltar a andar atrás desses caloteiros.

  • O Funileiro

    Viram que valeu a pena terem-me colocado em presidente em exercício.
    Aquilo afinal é fácil, é só mandar calar o Lopes, e fazer uma palhaçadas.
    Não digam nada à minha mulher.

  • Zeca Diabo

    E fala esta gente em democracia? Um senhor que se diz advogado a prestar-se a este papel!!! Têm um medo dos 2/3 que se pelam…Para serem eleitos, que ra pacífico, só conseguiram 26..! Eles sabem o que querem.Pensam é que os outros são burros? O Tula, quando viu que iam falar na 1ª dama da cordinha, começou o sururu…Têm vergonha mas não é sempre!!! Quando é para os encaixarem lá dentro não se envergonham nada..!

    • Direito

      Quem? O funileiro advogado? Esse cegueta e maneta, aleijou-se quando fazia funis, como não dava para nada meteram-no nos ctt, que é o redil do PS, aí, era para passar os dias a coça-los, mas como não os tem, lá começou a estudar e tirou solicitadoria, que é o ramo mais básico de direito, mas não chega a advogado.
      Ele que prove que é advogado, que mostre a sua inscrição na Ordem.
      Qualquer cego, vê que ele nada entende de Lei, como se prova nestas ultimas assembleias, onde só fez ilegalidades.

    • Toma chá

      E um carrinho de linhas? Sabes o que é?
      Vai lá dar beijinhos ao chefe.

  • Marco Brito

    O meu comentário feito noutro campo, mas deixo também neste:

    .———

    Boa noite a todos.

    Não sou natural de Oliveira do Hospital, mas falaram-me deste jornal e do que se passava aqui. Estou a passar por Oliveira do Hospital por me terem falado da zona do colcorinho, os mesmos que falaram deste jornal, e lembrei-me de vir ver os jornais locais online para conhecer mais da região. Este de facto foi o que me fez perder mais tempo, mas pela negativa.

    Perdi uns minutos a ver as notícias e a ler os comentários por curiosidade. Vi que os comentários eram feitos pelos mesmos e sem conteúdo interessante.

    Tenho vergonha que existam pessoas assim e no meu país, que parecem miúdos sem educação e que não têm trabalho nem nada para fazer. Também quero deixar um reparo para o jornal: sendo um jornal online e onde as crianças podem aceder facilmente, é incorreto deixa apresentar os conteúdos que aparecem e que não são exemplo para ninguém. Não sei como podem deixar isto acontecer.

    Mais me envergonha que vejo criticas a coisas positivas. Será que só damos valor ao mal e ao estrangeiro.

    Espero que melhor a cultura das pessoas que perdem tempo aqui para apenas a dizer mal, que o seu nível de educação cresça e seja um exemplo para os mais novos e que AS PESSOAS SE DEDIQUEM MAIS A TRABALHAR DO QUE A FALAR DOS OUTROS.

    Também deixo um comentário final ao Jornal. É necessário que os jornais façam mais o seu papel de informação e que não sejam apenas um local onde existe falta de respeito,

    falta de educação e se deixe que as pessoas que não têm nada para fazer critiquem tudo e todos.

    Cumprimentos,

    Marco Brito

  • P.inóquio.S

    E porque é que o Alex não respondeu ao Lopes quando este lhe disse para explicar porque é que queriam fazer uma lista de independentes e para dizer porque não avançou, essa lista? Era chato dizer que o Rolo não fazia nenhum que o que queria era “pincavalhar no telemóvel..! “passa as reuniões todas naquilo”… “ao fim de semana nunca aparece para nada” “se não tivesse ido buscar o Paulo Rocha estava desgraçado”…Mas agora “tem uma grande equipa”…Lá grande é!!! Parece é que não é grande coisa!!!

    • Quem sabe, sabe

      É verdade. O Alex queria fazer uma lista de independentes. Muito mal ele disse do Bizú, que nada fazia, que de manhã era para esquecer, que passava o dia no telemóvel e a câmara a pagar.
      Sim, que eu não me esqueço do que ele lhe disse, quando foi das facturas que o Mário Alves achou vergonhosas.
      Vamos ver quanto tempo resistem as finanças da câmara sem o Paulo Rocha.

  • pilro

    (alguém tem a lista actualizada??….esta já tem mais de 10 anos….faço ideia agora quantos lá estão….
    MAÇONARIA DE COIMBRA E ARREDORES (Com a devida Vénia)

    Loja «Fraternidade e Justiça» – Coimbra
    ……………
    ……..

    Carlos Artur Simões Esteves Maia
    …………..
    ………..
    José Francisco Tavares Rolo
    …………
    ………….
    …………

    Loja «A Revolta» – Coimbra

    ….

    ….
    .
    Arménio Alberto Tavares da Silva

    ………..

    .
    .

  • Zeca Diabo

    Então tem mais o Carlos Inácio, O António Campos, e o Chico Boticas pai e filho…No último mandato eram todos.O Lopes também foi ao “baptizado” mas, consta, não gostou do que viu… O Rodrigues Gonçalves bem o “ameaçou” com o “frontespício”.Dpois daquilo a que se assistiu nas últimas Assembleias pergunta-se como pode esta gente falar de Liberdade, Fraternidade e Igualdade?

    • Porque não te calas

      São maçons, mas de fraca índole, e sem reconhecimento. No entanto deviam conhecer os ensinamentos Bíblicos, onde reza, “Muitos caíram pelo fio da espada, porém mais foram os que caíram por causa da língua.”. Tão bem estavam remetidos ao silencio. Tanta asneira e tanta mentira tinha ficado por dizer.
      O Mário Alves afirmou-o ao Alexandrino: “O senhor vai morrer pela língua.” Politicamente falando, como é lógico.

  • P.inóquio.S

    “Aviso à navegação”: É perigoso falar com António Lopes, convidá-lo para o que quer que seja.O mesmo com os adversários do Sr.Presidente. Instalaram-se de novo, processos pidescos em Oliveira do Hospital.Sempre que sai um comentário que envolva o senhor presidente em situações que lhe corram mal lá começam as ameaças e a querer saber quem permitiu a fuga.O homem tem um ego doentio..! Anda de cabeça perdida por ter perdido o “emprego garantido daqui a 3 anos na Caixa Agrícola onde queria ser presidente, já que na Câmara, devido à reforma não fica a ganhar nada.A negociação que já tinha feito borregou.Anda fulo com os funcionários da Caixa…Entretanto sabe-se o PS não concelhio não anda satisfeito.E como apoia o Seguro e este vai perder, já se fala em coisas…andeca!!! As bocas que manda em todo o lado a dizer que o Rolo se “descuida muito” também não ajudam nada. esta vergonha de não cumprir as regras democráticas acabam com o resto…

  • António Lopes

    Este foi o ponto onde já não me queriam ouvir.Já tinham começado a mostrar o incómodo no ponto anterior e não me deixaram terminar a leitura das intervenções escritas, praticamente em nenhum ponto.Quando presidente deixei ler uma intervenção do Senhor presidente da Junta de Oliveira sobre a Estgoh que durou dezassete minutos.Normalmente não escrevo nada que leve mais de cinco.Nem antes nem agora.Não me deixaram chegar ao fim em três situações.Publicarei aqui.A certa altura disseram-me que eu queria que estivessem lá até às quatro. Respondi se já estavam cansados.Há tempos ficaram muito aborrecidos por eu dizer que alguns iam-se embora depois de assinar a senha. Perguntei se já estavam incomodados antes de assinar. Em camapanha é “tudo pelas pessoas” Na Assembleia é bater palmas à supressão da democracia e não estão para se aborrecer muito.Fica uma das intervenções:

    A matéria a tratar neste ponto é a que reputo de mais importante para
    o futuro de Oliveira do Hospital. Não é segredo para ninguém que
    sou um profundo defensor da BLC3.Se gerida como deve ser, se for
    olhada com profundidade, seriedade e perspectiva, não tenho
    dúvidas que o futuro passa por ali. Sei da BLC3 menos do que
    preciso.Não que não tenha sido sempre bem recebido. Não que não tenha havido da parte do Sr. Eng. António Campos e do Sr. Eng. João Nunes toda a atenção e
    preocupação em me manter informado e sensibilizado, o que aqui e
    agora, quero realçar e agradecer.Por outro lado, sei da BLC mais do
    que desejava. Mas, não serei eu a explorar as suas debilidades,
    técnicas e funcionais. A BLC3 confronta-se com realidades que não
    são fáceis de gerir nem de resolver. Refiro-me objetivamente à
    fixação dos técnicos, se quiserem dos inventores, cuja qualidade
    preço, não são fáceis de conseguir fixar. Constantemente, e à
    medida que o seu trabalho vai sendo conhecido vão tendo propostas de
    trabalho que a BLC,no atual contexto não consegue satisfazer,
    perdendo assim, constantemente, técnicos de elevada craveira que
    poderiam ser a chave do sucesso. Tenho esperança que com os projetos
    aprovadas e os apoios conseguidos esta realidade se possa ir
    invertendo. Espero, desejo, e desafio a Câmara Municipal a
    acompanhar com maior acuidade e maior rigor, no sentido mais amplo
    da palavra esta âncora do nosso desenvolvimento. A meu ver, não
    cabem na BLC políticas de favorecimentos e colocação. Reputo este
    projeto de demasiado relevante, para sobre ele recairem
    questiúnculas da baixa política. Também aqui, Sr . Presidente ,
    mais de meia dúzia de vezes o Sr. foi questionado acerca de quanto
    ganhava e o que fazia ali, um determinado funcionário, cujo nome,
    por questão de princípio não revelo. Todas as vezes e a novela
    desenrolou-se por mais de 6 meses, conseguiu não responder. Aquela
    sua clareza e transparência..! A BLC não pode estar sujeita a ser
    mais um porto de abrigo dos “nossos” em que em boa parte foi e
    está transformada. Tem que ser um projeto unânime do Concelho. Não
    pode ser alvo da disputa política. Sabe muito bem que um dos
    principais motivos do meu desencanto foi quando numa das visitas a
    esta instituição a porta me foi aberta por quem em meu entender não
    devia. Não devia porque não devia estar lá. O projeto BLC é
    demasiado importante para ser motivo deste tipo de discussões.
    Espero desejo e peço. Ali, não !!!

    Quanto às medidas protagonizadas neste projeto de regulamento, direi que
    de boas intenções está o inferno cheio. Pelo que atrás disse, se
    conseguida a interação BLC3/ tecido empresarial/ inovação, não
    tenho dúvidas, este é o caminho e terá o meu incondicional apoio,
    porque, como já dito, se desenvolvido de forma séria empenhada e
    responsável, temos tudo para que seja o grande motor do
    desenvolvimento concelhio e regional. Mas tudo tem um senão. Talvez
    por dificuldade minha, não consigo, porque não tenho informação
    bastante, saber os parâmetros nem o alcance da medida, nem até onde
    pode ir a Câmara Municipal. É publico que os recursos não abundam.
    É publico que as perspetivas são de redução. A ter o sucesso que
    se espera, oxalá que tenha qual é o montante estimado que se pensa
    possa vir a ser mobilizado para estes apoios? Se efetivamente for um
    sucesso tem a Câmara capacidade de acompanhar as expectativas
    criadas? Prevê algum aporte dos fundos comunitários?
    Conscientemente que estas respostas não serão fáceis de dar mas
    acreditando que a Câmara terá ponderado estas implicações gostava
    de ser esclarecido sobre estas questões. Sendo que “in dubium, pró
    reo”. Nesta linha de pensamento, na esperança que as minhas duvidas
    apreensões e críticas não caiam em saco roto, naturalmente, voto a
    favor.

    • helder do postigo

      Carissimo Antonio Lopes ouvi dizer que o Sr ainda aclarou a situaçao da namorada do presidente da concelhia do PS, o da Junta da cordinha!!
      Essas coisas deviam ser divulgadas e publicitadas. é uma vergonha um individuo que de democrata nao tem nada arranjar favores deste tipo!
      colocacoes de uma namorada que nem habilitacoes tem nem sabe fazer nada!! e sem concursos!
      devia ser denunciado a quem inspeciona
      devia ser divulgado pelo povo. Coitada da cachopa nao tem culpa. ahhahah

      • Veneno

        Diz você que ela não sabe fazer nada.
        Já as más línguas, dizem que ela passou com distinção a prova oral.

  • JP

    JP
    eu estive presente nesta assembleia , que infelismente é a vergonha do nosso concelho. Porque o partido socialista tinha tudo para ser feliz com uma maioria mais que absoluta, anda com estes joguinhos de poder. é vergonhoso como este partido( partido socislista ) fala tanto na democracia e cada vez mais eisto parece uma ditadura antentica, ja se consegue eleger uma mesa sem por o assunto nas ordem de trablho na assembleia e mais grave é que ja estava tudo preparado com urna e boletins de votos para eleger a nova mesa de aseembleia isto é vergonhoso como o puder faz mal as pessoas. Mas o partido socialista não se esqueça que o Estado novo durou 48 anos , mas esta maioria não sei se dura os 4 anos. Porque eu sai daquela assembleia que ja se estava a preparar eleiçôes intercales para câmara municipal.

  • António Lopes

    Não tendo o Senhor Presidente da Câmara Municipal, respondido às questões que lhe coloquei acerca da entrevista que deu ao Folha do Centro, e porque algumas dessas questões eram e são, atentatórias da minha dignidade, apresentei, hoje, nova queixa no Ministério Público, por difamação.Privilegio o debate político só que, o Senhor Presidente que é muito corajoso ,quando se chega a situações de facto, encolhe-se.Os documentos que solicito, não manda. Se é tudo transparente qual é a dificuldade? Às ofensas, na minha presença não respondeu.Disse na AM que, sempre que não me responderem recorrerei aos meios judiciais ou de fiscalização, disponíveis.Para honrar o que me comprometi com os Oliveirenses não preciso da maioria para nada.Como ontem afirmei “a razão da força não pode mais que a força da razão”. Deixo um pequena parte da minha intervenção onde pedia resposta de quem é que me anda a ajudar financeiramente, a que o Sr.presidente não respondeu.Se ele resolvesse o que pediu, para brilhar, e eu estou a arder, fazia melhor figura.

    Deixo a parte da intervenção na AM, que motivou a queixa crime:

    …///…Assumo ainda, que tentei fazer uma lista de independentes e registo esta
    surpreendente mudança de opinião, do senhor presidente, referente a
    parte da sua equipa. Bem diferente era, por aquelas alturas. Deixo
    para o Sr. Presidente, se ele assim o entender, os pormenores. E, se
    o entender também, pode ainda explicar porque é que a ideia não
    avançou. Agradecia muito, que o Sr. Presidente me informasse, quem
    são as pessoas que me andam a ajudar, financeiramente, em Oliveira
    do Hospital. Se mais não for, para lhes poder agradecer. Se quer
    tanto mandar dinheiro para Vila Franca, pergunto porque não está
    feito o saneamento básico e porque não está concluída a obra em
    frente da casa mortuária. Não faziam parte do programa à Junta e à Câmara? E o que mandou e mereceu o meu reparo, foi todo para a Junta? Quando e onde, disse eu, para não dar publicidade ao Folha do Centro?

    Arrogo o que antes assumi, de pretender outro carro mais condigno para o Sr.
    Presidente, principalmente por a questão da respeitabilidade,
    dignidade e honorabilidade do Município. Só que, digo-vos, refinei.
    Agora, e pelos mesmos motivos, a exigência contempla também o
    ocupante. Será que um presidente de Câmara que dá uma entrevista
    focada na vida pessoal de um adversário político, denegrindo-o,
    merece ser Presidente? Será que um Presidente de Câmara que faz das
    meias verdades e da mentira compulsiva uma forma de estar, merece ser
    Presidente? Será que um Presidente de Câmara que num país
    democrático na União Europeia, anuncia uma luta de guerrilha, o
    corte de estradas, o boicote eleitoral e nada faz, lançando o
    descrédito sobre o Concelho, fazendo-os motivo de chacota, merece
    ser Presidente?…///…

    • Bem educados

      Sr. António Lopes;

      Esta gente vulgarizou a Democracia, abusou do poder, tornaram a gestão camarária numa autocracia perigosa. Perseguem quem não comunga das suas ideias. Têm principio duvidosos, pondo o deus euro acima de tudo.
      Neste momento estão desnorteados, é pontapé para a frente e fé em deus. Caminham por cima de toda a folha, sem saberem para onde efectivamente vão.
      Use tudo que tiver ao seu alcance para pôr estes meninos na ordem, os Oliveirenses agradecem. Conte connosco.

    • Toca o bicho

      Ele dava um grande presidente do grupo dos onanistas anónimos.

  • P.inóquio.S

    O “João Garra” lá estava, encostadinho à parede.Viu as cartas mas, nem “chus nem mus”.
    Dos trabalhadores da Fiper, o Lopes já não é gerente desde 2010.Dos impostos apresentou os documentos.E o “Garra” vai limpar o nome , vai pedir desculpa, ou também vai para o MP? O chefe já lá tem duas. Por algum motivo andam todos caladinhos…

    • Carteiro de Oliveira

      Estava lá o “Sr. João Garra”? Não se escondeu? Estou admirado.
      O homem quando me vê esfumasse, desaparece, volatilizasse.
      Eu devia lá ter ido, mas nunca imaginei poder lá aGarrá-lo. Vou andar infinitamente atrás dele. Disseram-me que só vai aos eventos nocturnos. estou a ver que tenho de mudar de turno.
      E os outros dois contemplados? Também lá estavam? Não me diga que sim, pois tinha ali arrumado tudo.

  • Eleitor Chateado

    Depois de todas estas vergonhas que se têm passado na Assembleia Municipal, quais são as posições dos lideres políticos concelhios?

    Dr. Paulo Vilafanha, o que é que o PSD tem a dizer a esta “ditadura da maioria”? Também tem medo? Saiu à Francesa da reunião, sem que ninguém tivesse dado conta. Está comprometido com o Sr Presidente da Câmara?

    Dr. Luis Lagos, qual é a posição do CDS? Parece que meteu o rabo entre as pernas e nem apareceu na reunião para estar bem com deus e o diabo. Que falta de nível, que hipocrisia. Quais são os negócios?

    Prof. João Dinis, o que se espera da CDU? A luta é só com o “Tula”? E o “tudo pelas pessoas”? É tudo para umas e nada para outras? Quem são as pessoas do “tudo”, e quem são as do “nada”?

    Nesta altura do campeonato, já deveria haver abaixo-assinados a exigir ao Sr. Presidente da Câmara as respostas que não foram dadas, e o que o levou a criar esta crise com António Lopes e com os Oliveirenses.

    • Eleitor Chateado

      Errata:
      Não é Paulo, é Nuno. Nuno Vilafanha. O Paulo trabalha na calada da noite.

      • Carteiro de Oliveira

        Se o Paulo trabalha na calada da noite, era o tipo ideal para entregar a carta ao Garra.
        Devem encontrar-se os dois na noite.

    • Cidadão Oliveirense

      Estou contigo.

      Toda a gente com responsabilidades politicas diz que está mal, mas acções concertadas ou não, continuam sem aparecer.

      O Vilafanha coitado, é um lider fraco sem experiencia sem traquejo e sem curriculum.

      Ao contrário temos o Lagos, com traquejo, com curriculum com experiência e um empresário em ascensão, que no lugar dele estava sossegado e dedicava-me ao negócio.

      O Jano sem pescoço, esse é o tipico comodista ou comunista como mais gostarem, que não é lider de nada a não ser na sala de aula aos putos, não aparece pois deve favores aos 2, Lopes e Alex, e a bem da coisa também mais não seriam do que fogachas tipicas dos comunas a velha K7.

      Se olharmos para executivo camarário, estamos realmente perante gente com muita competência, larga experiência e muito curriculum no privado grandes empreendedores, todos eles basta olhar para o Perestrelo e Bizu estamos perante grandes visionários.

      Pelos vistos nós Oliveirenses temos o que merecemos, um concelho a nadar para trás.

      Ou são tomadas medidas ou a coisa vais mesmo descambar, o MA era uma nódoa por ser limitado em termos de horizonte e ser ditadorzito mas não se prestava a este tipo de papel, mas esta gente consegue superar tudo.

      Os jovens que olham para este concelho só pensam nuna coisa, SAIR DELE E RÁPIDO.

      Mas pronto agora vem o verão a festa vai andar tudo distraído até lá para Outubro.

      • Eleitor Chateado

        É verdade, nós os Oliveirenses só temos os que merecemos.
        Repare, o PSD e o CDS na voz dos seus dirigentes, os Doutores Vilafanha e Lagos respectivamente, propõem na Assembleia Municipal uma Moção de Confiança a António Lopes, daqui resulta a expulsa ilegal de António Lopes do seu cargo de Presidente da Assembleia Municipal, depois, de palhaçada em palhaçada, foi colocado pelo PS também ilegalmente nesse lugar Rodrigues Gonçalves. Sendo estes artistas os principais causadores desta situação, agora esfumam-se, não se sabe deles volatilizaram-se. Assobiam para o lado. Irresponsáveis, é o que são, para não dizer rapazolas ou garotos.
        Vamos ver a atitude que tomam depois de aqui serem alertados. Uma coisa sei de fonte segura, alguém está a assegurar que as coisas sejam devidamente tratadas.

        • Cidadão Oliveirense

          Não estive em Assembleias, o que sei é o que vou lendo por aqui e contado por presentes.
          Se houve ilegalidades em sede própria as mesmas serã sanadas, por isso aguardo para ver.
          Os partidos politicos em OHP de uma forma geral, são grupos de amigos que gerem os poucos interesses existentes no concelho.

          O PSD como referi com aquele lider tens os dias contados, sendo certo que terá sempre o tipico apoiante á espera do tacho.

          O CDS afirmo que tem um bom lider, mas não devia perder tempo com a politica.

          O PS é d chorar a rir, é uma manta de retalhos, pior estava quando o Bizu era o lider por e simplesmente não existia.

          Espero que a população, que cada vez está mais desinteressada da politica se erga, pois o caminho que o concelho toma é o precipicio.

          • Observador

            Aconselho a presenciar as Assembleias, ficará mais ciente do quanto mal está o concelho.
            Quanto aos partidos, concordo plenamente, foram tomados por interessados, mas na sua própria vidinha.

  • Sérgio Correia

    Aqui deixo uma notícia retirada do site da rádio Renascença e pode parecer não ter nada a ver com esta notícia, mas na minha opnião tem e muito. A ler ….

    A última Assembleia Municipal de Torre de Moncorvo aprovou por unanimidade o fim dos títulos académicos na Câmara e na Assembleia.

    “Dentro da assembleia são todos iguais”, refere José Mário Leite, presidente da Assembleia Municipal , realçando que o “mais importante é ser deputado na Assembleia Municipal e títulos como doutor ou engenheiro ali não fazem sentido e podem trazer alguma característica de diferenciação que não é pretendida”.

    A decisão foi “tomada na óptica da democracia republicana e da Revolução Francesa”, de onde saíram os princípios da liberdade, fraternidade e igualdade.

    A partir de agora, nas actas dos órgãos municipais passará a figurar a designação de deputado municipal ou vereador.

    No “site” da autarquia, na descrição dos elencos municipais, a medida já está em vigor.

    A Assembleia Municipal de Torre de Moncorvo aprovou, também por unanimidade, a descentralização das reuniões daquele órgão autárquico, que passam a realizar-se nas localidades do concelho que reúnam condições para o efeito.

    José Mário Leite explica que é “uma aposta na democratização e descentralização, demonstrando um cuidado como interior do concelho”. “Temos a noção do afastamento do centro de decisão e temos de dar o exemplo”, frisa o presidente da Assembleia
    Municipal.

    “Queremos que as pessoas assistam às reuniões e dêem a conhecer os seus anseios e as suas reivindicações”, acrescenta.

    As reuniões serão efectuadas em sistema de rotatividade nas freguesias que se candidatarem para receber as sessões da Assembleia Municipal, cabendo à Câmara assegurar todo o funcionamento do órgão autárquico.

    A primeira reunião descentralizada está marcada para a aldeia da Lousa e terá lugar em Setembro.

    • Não Concordo

      Caro Sérgio Correia;

      É uma medida popularucha. Os graus académicos são para serem respeitados. Obriga a quem os sustenta a respeitar e a dar-se ao respeito.
      O respeito, ou melhor, a falta dele, é o que mais tem contribuído para nos arrastar onde chegamos.
      Quanto ao local da Assembleia, pela sua importância, deve ser no seu local de excelência, ou seja, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.
      Não nivele tudo por baixo. Exija sempre mais e melhor. Nivele por cima. Os de Torre de Moncorvo com o tempo lá voltaram aos bons hábitos e costumes.

      • hilario

        se calhar o(a) NãoConcordo deve ser daqueles(as) novos que gostam de ostentação!
        Desde quando é que os titulos impoem respeito??
        Até há bem pouco tempos tratavamos por dr apenas os médicos que eram pessoas de respeito! agora qq um é dr mesmo que nao seja!
        Ora porra hahhahahahahha

        • Não Concordo

          Dr hilario;

          Os títulos, não são graus académicos. Está a ver a falta que lhe faz um.
          Estou-me borrifando para a ostentação, mas sei que dificilmente um individuo sem formação tenha a mesma responsabilidade do que outro sem ela. Uma asneira dita por um diplomado, fica muito pior do que a mesma asneira dita por um iletrado.
          O problema do País, é falta de formação, mas acima de tudo de cultura. Pois uma pessoa pode ser diplomado e pouco culto, assim como outro pode ser muito culto e sem diploma.
          Passando a informar; Um médico é formado em medicina, só será Doutor se for doutorado, neste caso, em medicina ou num ramo da mesma.
          Doutor, é um elevado grau académico, mas há bem mais elevado.
          O hilario pode tentar um doutoramento em “novas oportunidades”, no entanto não deixará somente de andar carregado de livros.

  • Zeca Diabo

    Artigo 18.º

    – Violação de regras urbanísticas

    1-O titular de cargo político que informe ou decida favoravelmente processo de licenciamento ou de autorização ou preste neste informação falsa sobre as leis ouregulamentos aplicáveis, consciente da desconformidade da sua conduta com as normas urbanísticas, é punido com pena de prisão até 3 anos ou multa.
    2 – Se o objecto da licença ou autorização incidir sobre via pública, terreno da Reserva Ecológica Nacional, Reserva Agrícola Nacional, bem do domínio público ou terreno especialmente protegido por disposição legal, o agente é punido com pena de prisão de 1 a 5 anos ou multa. Parece que tem quem esteja nestas condições, por estas bandas…

    • Visitante

      Não me digam que temos que lá ir levar cigarros?
      Mas o homem não fuma! OK, levamos lá uns queijos.

  • António Lopes

    Sérgio Correia: Na Campanha eleitoral, em StºAntónio do Alva, eu falei nesse assunto,e frisei que era capaz de ser bonito uma Assembleia Municipal naquele mesmo lugar. A AM é quem representa o Concelho.Essas assembleias descentralizadas, como diz o presidente de Torre de Moncorvo, servem para pôr os cidadãos em contacto com a vida concelhia e com a essência e o debate da democracia.Só que, em Oliveira do Hospital, nem um gabinete havia para a Assembleia.Não há grupos Municipais, não há comissões especializadas.Quando comecei a tentar que a Assembleia não fosse uma caixa de ressonância da voz e da vontade do Sr.presidente e tentei que cumprisse as obrigações legais previstas na lei,foi o que se sabe.Porquê? Porque há membros da Concelhia que não se conseguiram licenciar mas já têm emprego definitivo.As namoradas, as filhas os genros tudo se encaixa.A lei não deixa, na Câmara, então, vão para a ADI, depois rodam para a ADESA, depois passam nos POCs, depois vão à BLC, depois, se fizer falta, voltam a rodar.Nós pagamos, eles divertem-se.Quando perguntei se era assim, disseram-me que não eram anjos e que, agora, era a vez dos “nossos”.Por estas e outras parecidas, este País tem tudo mas, os seus filhos têm que emigrar.

    • Vão Rezar

      Hoje, fui à missa, ouvi um excelente sermão sobre a salvação de Jerusalém, por um Messias que entrou pela porta secundária num pequeno jumento e combateu pelo Amor e pela Razão de uma causa, contra os carros de combate e os soldados treinados para a luta e guerra pertencentes ao poder. Demorou mas ganhou.
      O que dizer? Continue Sr. Presidente, a sua destituição não tem valor para os Oliveirenses, que já viram onde está a Razão.