O “Aquilo Teatro da Guarda” apresenta amanhã, pelas 21h45, no palco do cine-teatro da Casa Municipal da Cultura de Seia a peça de teatro “A Cantora Careca” de Eugéne Ionesco.

Seia: “A Cantora Careca” no cine-teatro da Casa Municipal da Cultura

Imagem vazia padrãoEugène Ionesco, é considerado um dos autores mais expressivos do Teatro do Absurdo que floresceu na Europa no início do século XX, conhecido por retratar a solidão do ser humano e a insignificância da sua existência em cenas caracterizadas por uma total banalidade em que o surrealismo verbal é dominante.

O próprio dramaturgo assume que as situações que apresenta constituem “uma anticomédia”, ou seja, sendo aparentemente cómicas, pertencem ao foro do profundamente trágico.

Ionesco problematiza o quotidiano e leva o espectador a questionar: o que é que se esconde por detrás das nossas conversas fúteis e vazias? Porque é que temos medo? Do que é que temos medo? Quem nos quer cegos, surdos e mudos? Quem nos quer tirar a capacidade de ver as coisas como elas são? De exprimir o que vemos? De termos convicções e sentirmos emoções? De agirmos segundo as mesmas? O que podemos fazer para melhorar este admirável mundo novo, cheio de vazios e preenchido com ausências e irrelevâncias?

LEIA TAMBÉM

Ministro Pedro Marques garantiu em Nelas que a aposta em infra-estruturas de transporte passa pela ferrovia e IP3, ignorando IC6 e IC12

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, assegurou ontem em Canas de Senhorim, Nelas, …

José Carlos Alexandrino lança suspeitas sobre queijeiras de Seia nas descargas ilegais no rio Cobral

Como regresso da chuva, os habitantes que vivem próximo do rio Cobral temem que voltem …