Seia acolhe 20º CineEco que conta com 74 filmes de cinema ambiental a concurso

Seia acolhe 20º CineEco que conta com 74 filmes de cinema ambiental a concurso

O CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que este ano celebra 20 anos de existência contínua, vai ter nesta edição 74 filmes a concurso, provenientes de 24 países. O evento decorrerá na Casa Municipal da Cultura de Seia, de 11 a 18 de Outubro, e incluiu curtas, médias e longas-metragens, repartidas por várias secções competitivas, entre longas e curtas Internacionais, séries de televisão, Lusofonia e Panorama Regional. Paralelamente, irá estrear um documentário retrospectivo do festival, o único de cinema ambiental em Portugal.

Nas longas-metragens da Competição Internacional destacam-se, desde logo, vários títulos: “Beyond Metabolism”, onde é abordada uma certa utopia da arquitectura, que imagina a vida nas sociedades futuras, grandes estruturas flexíveis, questionando simultaneamente o futuro idealista na era de elevado crescimento económico. “Brasimone”, por sua vez, questiona o impacto do nuclear na harmonia da natureza, enquanto, em “Costa da Morte” o realizador dá-nos conta da dureza da vida nos mares da Galiza. “Footprints” realça os ataques militares e suas consequências alarmantes sobre o ecossistema, pela contaminação radioactiva, e o documentário “Refugiados na Sua Terra” permite um retracto íntimo de um homem e o que lhe pertence, numa luta interior forjada pelas forças da natureza.

Narrado por Liam Neeson, “Love Thy Nature” é um documentário que leva os espectadores a uma viagem cinematográfica inspiradora, para a beleza e a intimidade da relação do homem com o mundo natural. Em “The Hope of Green” há a adoção de uma criança abandonada, que é educada no amor pela natureza. Apesar do ambiente hostil e assustador, a criança gradualmente recria um universo particular.

No documentário “Planets- Four Variations of Detachment” existe uma conexão entre quatro cenários, espaços e personagens, onde silenciosamente um homem com uma camara examina as pessoas e lugares que reflectem as condições emocionais, artísticas e tecnológicas que permitem o seu próprio cinema.

Em “The Carbon Crooks” desenrolam-se os meandros dos mercados de crédito de carbono. Já em “The Land Between” sobressai uma visão íntima sobre a vida escondida de migrantes da África Subsariana, que vivem nas montanhas do norte do Marrocos, sonhando com uma vida melhor na Europa. Em “The Ghosts In Our Machine” entra-se no reino dos animais através das lentes e coração de um fotógrafo aclamado, enquanto em “The Lost Sea” há um tipo de animal que existe no mar há mais de duzentos milhões de anos e um grupo de pessoas que vivem do mar há pouco mais de trezentos anos, resultando daí uma luta desigual. O documentário “Unplugged” acaba por ser uma alegoria existencial sobre a ligação há muito perdida com alegrias simples da natureza e, por fim, em “Last Call” surge a interrogação se ainda haverá tempo para uma última chamada, em face do crescimento ilimitado num planeta finito e à beira do colapso.

 

 

LEIA TAMBÉM

Estudantes da FCTUC produzem combinado de fruta e algas 100 por cento natural, um alimento que promete ajudar os diabéticos e os intolerantes à lactose e ao glúten

Medronhos, amoras silvestres e algas são os ingredientes que constituem o Gratô, um produto alimentar …

Casas abandonadas. Autor: Renato Nunes

A partir do momento em que a minha avó materna faleceu, já lá vão 22 …