Trail Running Serra da Estrela

“Trail Running” internacional em Seia para promover turismo sem neve na Serra da Estrela

Há quem se preocupe em demonstrar que a Serra da Estrela é muito mais que um destino turístico de Inverno ligado à neve. O município de Seia é um dos que procura levar a quem aprecia a natureza o potencial do Parque Natural da Serra da Estrela. Com a quinta edição do (OMD) – Ultra Trail Serra da Estrela, que irá decorrer de 5 a 7 de Junho, a cidade tem uma oportunidade importante para divulgar essas potencialidades. Contará com três centenas de participantes, provenientes de 15 países, que vão percorrer trilhos vários concelhos da Serra da Estrela, onde os meios motorizados não atrevem a ir. O Trail Running, reconhece a autarquia, é um meio de excelência para promover o território para o turismo fora da época da neve.

Trail Running Serra da Estrela“Digamos que o é uma caminhada rápida pela natureza. Conhecida no meio como maraturismo, uma mistura de maratona e turismo”, conta o responsável pela empresa Horizontes, Paulo Garcia, que organiza este evento, com o apoio do município de Seia e da União das Freguesias de Seia, São Romão e Lapa dos Dinheiros. E não é uma iniciativa qualquer. É a maior prova da modalidade em Portugal Continental e uma das maiores do mundo. “Para quem participa, este é um momento de evasão e superação. Permite que o interveniente entre noutro estágio de consciência”, continua Paulo Garcia, sublinhando que a modalidade exige “forte capacidade mental e física”, até porque os atletas, nestes dias, vão percorrer mais de 500 quilómetros pela Serra da Estrela. Sem receberem qualquer prize money, tendo como prémio apenas um cajado produzido pela IPSS Casa Santa Isabel. “É o símbolo da serra, da resistência”.

 Atletas do mundo nos trilhos da Serra da Estrela

Mesmo sem aliciante monetário, as inscrições já estão encerradas e chegaram dos Trail Running Serra da Estrelaquatro cantos do mundo. Do Japão (dois elementos) ou Espanha. Aparentemente a qualidade da organização e a beleza do espaço foram suficientemente convincentes. Embora, o facto do Ultra Trail Serra da Estrela já estar incluído no circuito internacional também ter ajudado. É que está colocado entre as competições que ajudam a seleccionar os 1200 atletas que vão disputar o Ultra-Trail du Mont-Blanc, que tem como palco os Alpes e é considerada a caminhada mais difícil do mundo: com um percurso que inclui três países (França, Itália e Suíça), uma distância de aproximadamente 166 quilómetros e atingindo um pico com altitude de 9.600 metros.

Na Serra da Estrela, os atletas vão caminhar diferentes distâncias. Desde as provas Ultra (com mais de 42 quilómetros), que tem como prova rainha o circuito de 160 quilómetros (na qual os atletas têm 44 horas para completar um circuito que tem início e final em Seia), passando por uma de 100 e outra de 70. E duas mais modestas: uma de 20 e uma caminhada (esta composta por um circuito de oito a dez quilómetros).

Retorno estimado de 400 mil a 500 mil euros

1 (Small) A prova serrana, que teve a sua primeira edição em 2011 em Manteigas, de onde partiu também a segunda, passando depois pela Covilhã, fixou-se em 2014 em Seia, pela insistência do presidente da União das Freguesias de Seia, São Romão e Lapa dos Dinheiros que viu neste evento a forma de mostrar ao mundo “que a Serra da Estrela será é muito mais que neve”. “Tínhamos de ter esta visão para promover Seia e esta região que tem de mudar em termos de turismo. É uma forma excelente de atrair visitantes durante todo o ano”, conta orgulhoso Paulo Pina. “As pessoas vêm, visitam, compram e acabam por voltar”, explica.

Sendo esta a primeira vez que a prova está sediada em Seia, este autarca ainda não tem números de qual será o retorno em termos de receitas, embora apontem para algumas quatro ou cinco centenas de milhares de euros, segundo os responsáveis da empresa organizadora. Paulo Pina, por seu lado, limita-se a referir que está a ter boas indicações por parte dos comerciantes locais. “O nosso objectivo é transformar este evento numa referência, até porque a população, o comércio local e a Câmara Municipal sabe receber”, remata.

Autarquia promove 14 trilhos para pedestrianismo

Como complemento para este tipo de turismo, o município de Seia, através do CISE – Centro de Interpretação da Serra da 3 (Small)Estrela está a implementar uma a rede de percursos pedestres das Aldeias de Montanha, agora constituída por 14 rotas, com cerca de 100 km. “Os Caminhos de montanha têm como objectivo dar a conhecer a riqueza natural e cultural das paisagens e das comunidades das aldeias. Mais do que um simples destino de neve, o território das Aldeias de Montanha tem potencialidades para se afirmar como um destino turístico, capaz de oferecer aos seus visitantes verdadeiros tesouros. O pedestrianismo, além de ser um instrumento de interpretação e conservação da paisagem, também representa um produto estratégico de promoção do território junto de um público muito específico e em grande expansão”, explica a Câmara Municipal de Seia, sublinhando que o investimento está longe de ser considerável. “Estes percursos e aqueles que foram marcados para o Ultra Trail Serra da Estrela, vão ficar para o futuro. É oportunidade que se abre ao turismo nesta região”, prevê, em jeito de conclusão, Paulo Pina.

Fotos: Pedro Antunes

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …