Seia: Jornadas do Couro começam hoje em Vila Verde

Quando se assinalam as bodas de prata do Centro Cultural e Recreativo de Vila Verde, a Associação de Desenvolvimento Samarreiros de Vila Verde surpreende a população com a realização de uma iniciativa nunca antes vista naquela localidade da freguesia de Tourais.

Vulgarmente conhecida como terra de “samarreiros” – o nome serve de designação à Associação de Desenvolvimento da localidade – Vila Verde acolhe hoje e amanhã, uma iniciativa ligada aquele que tem sido um dos principais motores de desenvolvimento da localidade, o sector dos curtumes.

Designada por “Jornadas do Couro”, a iniciativa arranca hoje às 21h00 com a realização de duas palestras no salão de festas do Centro Cultural da localidade.

O empresário Antenor Santos – curtidor de tradição familiar e autor do livro “Vila Verde Terra de Samarreiros” – será o primeiro a intervir, incidindo a sua exposição nos antigos processos de conservação, comercialização e curtimenta de peles, de tradição na aldeia, até às modernas técnicas industriais, novos artigos fabricados e suas aplicações genéricas, por exigência da moda.

O segundo conferencista, Franklin Pereira – investigador desde 1979, bolseiro da Fundação Gulbenkian e autor de diversas obras sobre a Arte e a História do Couro – irá referir os usos das manufacturas do Couro e destacar as criações actuais sobre o couro de artistas de vários países.

Para sábado, 24 de Outubro, as jornadas reservam a realização da Oficina de Artesanato em Couro. Com início às 10h00 e entrada gratuita, o workshop será dinamizado por uma artista do Couro, Ana Caldas, e Franklin Pereira.

Aberta a todas as idades, a oficina irá permitir a elaboração de porta lápis, carteiras e outras manufacturas artesanais, cortando, furando e cosendo. Durante as Jornadas, estará em exposição uma série de artefactos em couro, das colecções particulares de Antenor Santos e Franklin Pereira.

Com uma tradição ligada ao couro que remonta a medos do século XIX, a localidade de Vila Verde aguarda agora pela criação do museu dos curtumes, como forma de dar a conhecer e perpetuar uma actividade que continua viva, embora de forma mais industrializada, na conhecida terra de “samarreiros, surradores e curtidores”

LEIA TAMBÉM

Ministro Pedro Marques garantiu em Nelas que a aposta em infra-estruturas de transporte passa pela ferrovia e IP3, ignorando IC6 e IC12

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, assegurou ontem em Canas de Senhorim, Nelas, …

José Carlos Alexandrino lança suspeitas sobre queijeiras de Seia nas descargas ilegais no rio Cobral

Como regresso da chuva, os habitantes que vivem próximo do rio Cobral temem que voltem …