Seia teme encerramento definitivo de 11 extensões de saúde

 

Segundo um ofício da Unidade Local de Saúde da Guarda (ULSG), a que a Lusa teve acesso, foram encerradas na segunda-feira (4) – situação para se manter “durante o período de férias” – 11 extensões de saúde no concelho de Seia.

A ULSG justifica estes encerramentos com a escassez de médicos e o risco de “rotura do serviço de urgência no hospital Nossa Senhora da Assunção, em Seia”. Aquela entidade de saúde considera, ainda, que sem esta reorganização seria “inviável a manutenção sem rotura de atividade na sede do centro de saúde e na extensão de S. Romão”.

A câmara de Seia, por seu turno, “protesta contra a forma como estas mudanças foram anunciadas”, o que “evidencia da parte da ULSG uma total falta de respeito, não só pela autarquia como pelos doentes”.

Segundo o município, “trata-se de criar mais um obstáculo à prestação de cuidados de saúde que se querem de proximidade, gerando descontentamento e o protesto legítimo das populações”.

“Estas mudanças têm de ser operadas com equilíbrio, ponderação, bom senso e justiça, no sentido de não colocar em causa padrões de coesão social e territorial”, afirmou o presidente Filipe Camelo.

Segundo o autarca, o município está a “fazer todos os esforços para trazer para o concelho mais três ou quatro médicos”, que possam colmatar a falta de clínicos.

Desde segunda-feira estão encerradas as extensões de Valezim, Teixeira, Vila Verde, Sameice, Santa Marinha, Girabolhos, Sases, Alvôco da Serra, Santa Eulália, Travancinha e Lajes.

(LUSA)

LEIA TAMBÉM

Ministro Pedro Marques garantiu em Nelas que a aposta em infra-estruturas de transporte passa pela ferrovia e IP3, ignorando IC6 e IC12

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, assegurou ontem em Canas de Senhorim, Nelas, …

José Carlos Alexandrino lança suspeitas sobre queijeiras de Seia nas descargas ilegais no rio Cobral

Como regresso da chuva, os habitantes que vivem próximo do rio Cobral temem que voltem …