Sem argumentos para vencer

O Illiabum é, tal como o Sampaense, um dos sempre candidatos à vitória na competição e os embates entre ambas as equipas são sempre alvo de muitas atenções. Entre estes clubes já se disputaram muitos jogos com resultados diversos, facto que eleva sempre as expectativas de quem acompanha o basquetebol nacional.

O jogo iniciou-se com um ritmo muito elevado com domínio dos visitantes. Poucos minutos estavam decorridos quando o Sampaense passou para a frente, mas devido a uma fraca defesa, essa superioridade foi rapidamente anulada. O primeiro período termina com o resultado de 23 – 32. Os segundos 10 minutos voltam com um Illiabum forte, apoiado num Daniel Félix imparável, a praticar um basquetebol muito eficaz e com um jogo exterior de um acerto fora do comum. O Sampaense mostrou o seu pior segundo período desta época e não conseguiu fazer frente ao seu adversário.

O jogo vai para intervalo com o resultado de 44 – 59 no marcador. O terceiro período foi o melhor que os beirões produziram, onde conseguiram uma maior pressão sobre o seu adversário, mas os frutos foram insuficientes para superar a pontuação acumulada no período anterior.

A partida vai para o último tempo com o resultado de 71 – 83. Emanuel Seco tentava de todas as formas motivar os seus jogadores, mas estes não conseguiam responder em campo, mostrando fragilidades nada comuns a esta experiente equipa.

Entretanto o Illiabum mantinha a qualidade inicial do seu jogo colectivo e, de cada vez que havia uma reacção da equipa da casa, resolvia a questão com mais uns “tiros” do exterior da área.

O jogo termina com o resultado justo de 87-109 e marca a maior diferença pontual desta época nas derrotas sofridas pelo Sampaense.

O MVP da partida foi Daniel Félix com 34 pontos e 6 ressaltos. No Illiabum destacaram-se também James Robert com 28 pontos e Miles Daniels com 21 pontos. No Sampaense estiveram em evidência Kendell Craig com 26 pontos, Kevin Jolley com 21 pontos e Jorge Sing e Nuno Soares com 12 pontos

Por PNV

LEIA TAMBÉM

O Bava da Bola

Um tal Bava, Zeinal de primeiro nome, foi presidente executivo durante anos da PT. Em …

Aquela máquina…

Dois golos de Cristiano Ronaldo e um de André Silva asseguraram a vitória de Portugal …