Simulacro de sismo “para todos” na sexta-feira

A Autoridade Nacional de Proteção Civil vai promover, na sexta-feira, em todo o país, um simulacro de sismo que consiste na realização dos três gestos de autoproteção: “baixar, proteger e aguardar”.

O exercício “A terra treme” vai ter a duração de um minuto e qualquer cidadão pode participar, individualmente ou em grupo, através da realização dos “três gestos de proteção e que podem salvar vidas em caso de sismo”, disse à agência Lusa Anabela Saúde, da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

De acordo com a mesma responsável, durante o exercício, os cidadãos devem baixar-se sobre os joelhos, posição que evita cair perante o abalo sísmico, proteger a cabeça e o pescoço com os braços e as mãos e, por último, aguardar até que a terra pare de tremer.

Anabela Saúde afirmou que “estes gestos simples de proteção” são fundamentais para a prevenção em casos de sismo, por isso, os portugueses devem estar preparados, enquanto responsáveis de primeira linha pela sua proteção em situação de emergência.

Até porque, sustentou, os serviços de proteção civil “não são suficientes” nos primeiros dias após o sismo.
Anabela Saúde esclareceu que o exercício apenas consiste na realização dos três gestos, não envolvendo a mobilização de meios da proteção civil.

Para que um maior número de portugueses participe no simulacro, a ANPC conta com o apoio das corporações de bombeiros, delegações da Cruz Vermelha Portuguesa e os 18 Comandos Distritais de Operação de Socorro (CDOS), que localmente vão promover o exercício, nomeadamente em escolas, centros de dia, centros comerciais e hospitais.

Anabela Saúde admitiu que “é difícil mobilizar os portugueses para fenómenos que não acontecem todos os dias”, mas alertou para o risco sísmico que Portugal corre, sobretudo nas regiões do Algarve e Lisboa.

jn.pt

LEIA TAMBÉM

Um morto em Viseu devido a acidente

Um homem de 35 anos morreu ontem à noite na sequência de um acidente na …

MAAVIM acusa Ministro da Agricultura de ignorância

O Movimento Associativo Apoio Vítimas Incêndio Midões (MAAVIM) acusou hoje em comunicado o Ministro da …