Depois dos apupos e das vais recebidas em Coimbra, o Primeiro-Ministro José Sócrates foi estar tarde recebido, em Tábua, com entusiasmo por centenas de trabalhadores da empresa Aquinos, que aguardavam com expectativa a chegada de Sócrates para participar no lançamento da primeira pedra de um novo investimento daquela conhecida indústria de mobiliário, que emprega actualmente 450 trabalhadores.

Sócrates em Tábua para lançar investimento que vai gerar 400 novos postos de trabalho

Imagem vazia padrãoO projecto em causa, representa um investimento de sensivelmente 15 milhões de euros e vai contribuir para a criação de 400 novos postos de trabalho directos e 200 indirectos.

Com uma capacidade produtiva, ao nível de sofás, de 1 milhão de lugares por anos – “em dez anos conseguiremos sentar todos os portugueses”, ironizou o presidente do conselho de administração da empresa, Carlos Aquino –, “a exportação irá absorver 80 por cento dos sofás produzidos” e representará, a título de curiosidade, “um fluxo de mais de 10 mil camiões por ano”.

Depois de concluída esta nova unidade industrial – Sócrates foi desde logo convidado para a inauguração, prevista para Maio de 2009 –, a Aquinos “será o maior fabricante de sofás da Península Ibérica e um dos maiores da Europa”.

A realização deste investimento por uma empresa que apesar de estar no interior do país, foi reconhecida 5 vezes a melhor empresa nacional do sector nos últimos 6 anos, resulta de uma parceria estabelecida com uma mutinacional sueca – a IKEA –, que passará a absorver a produção de sofás da nova unidade da Aquinos.

Para o ministro da Economia, Manuel Pinho, este foi “o melhor presente” que o Governo poderia ter recebido depois “do conturbado momento” que o país atravessou, com a paralisação dos camionistas. Enaltecendo a “capacidade empreendedora” dos três irmãos Aquinos, Pinho disse que “cada vez há mais portugueses que querem passar a tomar conta dos seus próprios destinos” e considerou que neste momento “estão a surgir projectos no interior do país como não se via há já muito tempo”.

Imagem vazia padrãoJá José Sócrates, que no final da cerimónia foi presenteado com um sofá “made in” Tábua, notou que “este investimento não caiu do céu”. O Primeiro-Ministro deu conta dos esforços feitos pelo governo português, já que conforme frisou, “o primeiro investimento internacional pelo qual este governo lutou – havia quatro países a disputá-lo, incluindo a vizinha Espanha – foi precisamente o da IKEA”, que agora passará a trabalhar em parceria com a empresa de Tábua.

“Venho aqui prestar homenagem a quem não se resigna e a quem não quer deixar tudo na mesma(…) temos apreço pelo que construíram e orgulho pelo que fizeram”, referiu o chefe do executivo sobre uma empresa que iniciou a sua actividade em 1985 e com apenas 6 pessoas.

LEIA TAMBÉM

O ódio à escola. Autor: Renato Nunes

7h00. O despertador toca e Mauro enrola-se nos cobertores, assim que consegue silenciar o maldito …

Quem compra pássaros? Autor: Renato Nunes.

Todos os sábados, quando ainda mal amanhece, saio de casa em direcção ao mercado semanal. …