Emagrecer ou Mudar de vida? Autor: Luís Marques

Suplementação, sim ou não? Autor: Luís Marques

Com os números de pessoas que aderem ao exercício físico a aumentar a cada dia que passa, as exigências são cada vez maiores, as especificidades cada mais complexas, tornando-se fundamental elevar o nível, ou não, simplesmente sentir o ar na cara!!!!!

Uma das maiores discussões no contexto exercício físico/objetivo é o consumo ou não de suplementos.

O que são os suplementos?

São produtos que têm como objetivo potenciar um contexto específico no exercício/treino; ex: força, resistência, repouso, ganho de massa muscular, perda de massa muscular, reforço do sistema imunitário, etc.. Qualquer pessoa consome suplementos, uma simples Vitamina C para as constipações, Glucosamina para as articulações, Magnésio para os períodos de maior fraqueza muscular, etc.. O que importa perceber é que os suplementos são produtos compostos quimicamente que derivam dos mais diversos alimentos e que são fornecidos em grande quantidade em pequenas doses diárias. Um atleta que pretende emagrecer através do exercício físico de certeza que irá procurar produtos do género L-Carnitina, CLA e Proteína magra, todos eles potenciadores de perda de peso (em paralelo à realização de um treino orientado). Um atleta que pretende potenciar o repouso noturno procurará uma proteína de libertação lenta, denominada de caseína. O que pretendo é fazer um quadro contextualizado para o leitor desmistificar o “eterno” consumir de drogas por parte dos atletas, o chamado doping. Este contexto é exactamente tudo que expliquei, ou seja, todos os atletas podem consumir suplementos até uma certa dosagem, o que cria o monstro do doping são as elevadas dosagens. Este panorama está acessível a qualquer um de nós, qualquer farmácia, site, ou mesmo lojas especializadas em nutrição vende suplementos.

Mas o que comemos não tem essas propriedades dos suplementos?

Sim, mas em pequenas percentagens das doses diárias recomendadas, ou seja, a percentagem diária de vitamina C não se traduz na ingestão diária de uma laranja, seriam necessárias muitas mais laranjas, dependendo da qualidade das mesmas. Discute-se a qualidade da alimentação dos dias de hoje, uma vez que o uso de produtos químicos na agricultura e em particular nas criações dos animais levantam muitas dúvidas sobre a qualidade e especificamente dos nutrientes que daí advêm. A suplementação é um contexto menos duvidoso, porque existem entidades avaliadores e reguladoras que permitem elevar a qualidade, contudo os efeitos secundários também são altamente discutidos.

O meu objetivo é fazer perceber que qualquer pessoa pode consumir suplementos, mas que é fundamental aconselhar-se junto de um nutricionista em quais e como os tomar, e acima de tudo se realmente necessita de os tomar.

A minha opinião é muito clara, se o contexto é alcançar um objetivo (correr uma maratona, perder peso, ganhar peso, pedalar um granfondo, etc….algo que requer muito tempo de preparação), estou de acordo com o consumo de suplementos, uma vez que irá, em paralelo com o treino, potenciar o alcance do objetivo. Se o contexto é lazer/saúde e em certos casos estética “sazonal”, então o consumo de suplementos cai por terra, uma vez que o simples facto de realizar exercício físico regular é por si o melhor remédio para se sentir bem.

Vou aconselhá-lo caro leitor, crie um objetivo para 2016, seja Feliz e saudável.

Boas Festas

Emagrecer ou Mudar de vida? Autor: Luís MarquesAutor: Luís Marques

LEIA TAMBÉM

A Conta Solidária de Apoio às Vítimas dos Incêndios Florestais. Autor João Dinis (Jano)

Conta Solidária de Apoio às Vítimas dos Incêndios Florestais (de 15 de Outubro de 2017) …

“Alucinações políticas” autárquicas …em Oliveira do Hospital.

Recentemente saltaram mais uns casos da gestão municipal prática que mais parecem frutos de “alucinações …