Suspensão dos IC: “Oliveira do Hospital sente-se traída em relação ao que foi prometido”

 

Numa altura em que tem marcada, para o dia 8 de Março, uma audiência com o ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital voltou, ontem, à carga para manifestar o seu desacordo relativamente à decisão do governo de adiar a realização da concessão rodoviária da Serra da Estrela, nomeadamente os Itinerários Complementares 6, 7 e 37.

À saída da reunião do Conselho Regional do Centro, realizada em Coimbra e participada pelo secretário de Estado Adjunto das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Alexandrino foi duro em palavras e – de acordo com a edição de hoje do Diário de Coimbra – considerou “uma vergonha a suspensão”.

“Oliveira do Hospital sente-se traída em relação ao que foi prometido”, chegou a sustentar o autarca de Oliveira do Hospital que, em defesa da “coesão do território”, lamentou que em Oliveira do Hospital continue a existir “uma estrada do tempo da monarquia com alcatrão por cima”.

Nas declarações prestadas, Alexandrino acabou por poupar Paulo Campos, verificando que “o problema ultrapassa o próprio cargo dele”. “Isto tem a ver com o ministro das Finanças”, sustentou.

Sem nunca esclarecer o retrocesso do governo nesta matéria, Paulo Campos apenas referiu que a conjuntura económico-financeira leva a que “se pense e reflicta em relação à forma como os itinerários possam ser desenvolvidos”.

LEIA TAMBÉM

O ódio à escola. Autor: Renato Nunes

7h00. O despertador toca e Mauro enrola-se nos cobertores, assim que consegue silenciar o maldito …

Quem compra pássaros? Autor: Renato Nunes.

Todos os sábados, quando ainda mal amanhece, saio de casa em direcção ao mercado semanal. …