Tábua: Lino e Campos visitaram variante e defenderam investimento em vias do interior

Numa visita fortemente marcada pela crítica à postura assumida pela direcção nacional do PSD contra os investimentos públicos em vias do interior do país e em defesa da construção de mais um túnel em Lisboa, Mário Lino e Paulo Campos sublinharam, ontem em Tábua, a importância das obras públicas para dar ânimo à economia do interior.

O ministro que chegou a trocar o nome de Tábua, por Tabuaço pegou no número de trabalhadores que as obras envolvem para dar conta da importância dos investimentos públicos para as regiões do interior. “Esta obra está a ocupar 127 empresas, mais de 700 trabalhadores”, referiu o governante, apoiado pelo secretário de Estado adjunto que revelou que o governo “é a favor deste investimento e das outras concessões no interior do país”.

Explicando que, contrariamente ao que vem sendo dito pela oposição, dos 3500 quilómetros de estradas, “apenas 23 por cento são em auto-estradas, Paulo Campos revelou também que há neste momento 90 empreitadas a decorrer no país e 15 concessões em curso.

Sobre a variante ontem visitada, Paulo Campos referiu que é uma das obras mais aguardadas, quer pela sua importância para Tábua, quer pelo facto de permitir “”rasgar todo o interior do distrito”.

O presidente da Câmara Municipal de Tábua subscreveu os argumentos dos governantes, sublinhando que fruto do investimento nas vias rodoviárias “não há uma casa vaga em Tábua” e também a restauração dá sinais positivos.

Ivo Portela chegou mesmo a falar de “um impacto extraordinário na economia local”, numa referência directa à instalação da maior fábrica de sofás e colchões da Península Ibérica que, como referiu, estima uma movimento diário de 200 camiões TIR e que será facilitado com a abertura da variante.

A variante de Tábua e o troço do IC-6 Nó de Côja/Nó de Tábua, estarão concluídos em Setembro, enquanto o troço Nó de Catraia dos Poços/Nó de Côja estarão concluídos em Março de 2010. O investimento nestas obras é de cerca de 52 milhões de euros, numa extensão de 23 quilómetros.

LEIA TAMBÉM

Ana Abrunhosa entregou quatro habitações reconstruídas em Seia

A presidente da CCDRC, Ana Abrunhosa, entregou as chaves de quatro habitações (três na freguesia …

Dez detidos por tráfico de estupefacientes em Seia e Manteigas

O Comando Territorial da GNR da Guarda deteve dez pessoas, com idades entre 18 e …