“Temos um executivo desnorteado, sem ideias e a vender sonhos aos oliveirenses”

Várias dezenas de pessoas participaram ontem no regresso, três anos depois de ser interrompida, da XX edição da festa do PSD das Caldas de S. Paulo. Os sociais-democratas aproveitaram o momento para fazer um balanço dos últimos anos da governação socialista na Câmara Municipal de Oliveira do Hospital. E as criticas foram muitas. Desde a ausência de infra-estruturas estruturantes, até aos gastos em eventos que, na opinião do PSD, não têm qualquer retorno para o concelho. O líder da concelhia classificou mesmo os sete anos de liderança do município por parte de José Carlos Alexandrino como um período em que o executivo andou desnorteado, sem ideias e a vender sonhos aos oliveirenses sem resultados práticos. João Brito, que contou com a presença do secretário-geral do PSD, Matos Rosa, e do presidente da distrital do partido, Maurício Marques, bem como do presidente da distrital do CDS, Luís Lagos, prometeu apresentar no próximo ano “as melhores pessoas e as melhores opções” para reconquistar a liderança da autarquia e inverter a actual política.

Caldas de São PauloComeçando por recordar que José Carlos Alexandrino disse ter a garantia em Dezembro do ano passado de investimentos para o IC6 e requalificação da EN17, João Brito lembrou que, quase um ano depois, nada foi feito. “O presidente do executivo, em 8 Dezembro 2015, que dava como certo um investimento de 2 milhões de euros das Infra-estruturas de Portugal para a requalificação dos 17 Km do limite de Tábua até ao início do Distrito da Guarda. No dia 22 de Dezembro, do mesmo ano, anunciava que tinha acordo com o Governo para que se efectuasse o IC6 até Oliveira do Hospital, num investimento de 25 milhões. Quase um ano depois destes anúncios, tendo o senhor Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital uma conjuntura tão favorável, pois tem um executivo PS e um governo central PS, uma alta influência das esferas do poder (segundo as suas palavras), perguntar: o que é que correu mal? Quem mentiu?”, questionou, para responder de seguida: “O folclore que o senhor Presidente da Câmara faz à volta das questões importantes para o concelho traduz-se nisto: em pouco mais de nada”. Brito lembrou ainda que José Carlos Alexandrino não só não cumpriu aquilo que prometeu, como deveria informar os oliveirenses que “não existe qualquer programação para a realização do IC6”.

“EXPOH é um fiasco que consome 100 mil euros ano”

Aquele que é o único vereador social-democrata na autarquia criticou depois aquilo que classificou de folclore sem retorno para o concelho. Lembrou os vários eventos que foram realizados nos últimos sete anos em nome da promoção do território e que, em sua opinião apenas serviram para gastar dinheiro público. “Tudo serviu para promover a marca de Oliveira do Hospital: rally Cidade de Oliveira, a Volta a Portugal em bicicleta, futebol, a Feira do Queijo e a EXPOH. Quatro anos depois e 3,5 milhões de euros gastos, chegaram à conclusão que o rally cidade de Oliveira não promovia a cidade, o ciclismo não promovia a cidade, o futebol já não promovia nem a cidade nem a imagem do executivo. Baixaram então _DCS0040 (Small)os apoios ao futebol e permaneceu apenas a Feira do Queijo e a EXPOH”, acusou o líder da concelhia, para quem estes dois eventos sobreviventes também estão longe de servirem os interesses da população. “A Feira do Queijo serve para se pagarem autocarros e almoços para trazer até nós potenciais compradores de queijo, pagamos a um canal de televisão para fazer um programa em directo, e no final perguntamos: quanto custou a feira aos contribuintes oliveirenses, qual o resultado líquido, em termos de lucro, que se obteve, que empresas se promovem neste evento? Acho que ninguém sabe”, rematou, classificando depois a EXPOH também “como um fiasco”. “São investidos 100 mil euros todos os anos para a realização de um certame com modelo falido, que não cativa expositores, não cativa público. É um modelo que apenas gera despesa ao concelho”, concluiu, lembrando que os dois eventos se realizam em locais emblemáticos da cidade construídos no tempo em que executivo autárquico era liderado pelo PSD.

O projecto da BLC3 também não escapou às criticas do líder social-democrata que, segundo João Brito, é vendido ao povo oliveirense “como uma incubadora de referencia internacional, tendo potencial para constituir um ex-libris de desenvolvimento científico e industrial para o concelho”, mas que apenas se tem revelado como mais uma fonte de despesa para o município. “A BLC3 recebe cerca de 120 mil euros de subsídio por ano, em seis anos foram mais de 700 mil euros”, referiu, perguntando de seguida quando é que aquela Plataforma será auto-sustentável. “Quantos anos mais anos são necessários para que esta incubadora de referência internacional deixe de ser subsidiada pelo nosso dinheiro e comece a trazer algum retorno económico para o concelho? Pois é, ninguém sabe….”, frisou.

Mais um empréstimo a caminho

João Brito está convencido que o dinheiro gasto nestes eventos e projectos faz falta depois para as obras verdadeiramente importantes. Depois, sublinhou, “não há dinheiro para investimentos locais”. E apontou a título de exemplo a necessidade de contrair um empréstimo de dois milhões de euros para realizar dez empreitadas em várias freguesias do concelho, as quais, no seu entender, deviam ser feitas com as receitas próprias da câmara e durante o mandato. “E não no último ano de mandato como acto meramente eleitoralista”, disse, antes de criticar os sucessivos recuos nos montantes anunciados para Oliveira do Hospital na candidatura ao Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU).

_DCS0037 (Small)“Foi anunciado, em Setembro do ano passado, uma candidatura ao PEDU o valor de 21 milhões de euros. Em Abril do corrente ano, foi anunciado que Oliveira tinha sido contemplado com 7 milhões de euros, contudo em Junho foi então anunciado um investimento de 5.600 mil euros. Ora, destes 5.6 milhões, cabe ao município pagar 15 por cento, aproximadamente 850 mil euros”, acusou o único vereador social-democrata na autarquia, para quem este investimento irá muito provavelmente obrigar a autarquia a recorrer novamente à banca. “Como tudo indica, será contraído mais um empréstimo para fazer face a este investimento de um milhão de euros”, concluiu.

Por estas razões, João Brito considera que Oliveira do Hospital necessita de outro tipo de política. “Precisa de inovação, precisa de políticos que criem mecanismos reais para atrair empresas que gerem emprego reais e não empregos precários. Queremos atrair empresas de carácter tecnológico para criarmos riqueza no concelho e dar condições aos empresários oliveirenses, para que estes invistam cá e não invistam nos concelhos vizinhos”, sublinhou, adiantando que é preciso encontrar soluções cabais para as estruturas de saúde existentes no nosso concelho. “Não basta prometer falsas condições para atrair novos médicos e mascarar a resolução das questões”, disse antes de concluir que a solução passa pelo PSD que “saberá apresentar nas autárquicas de 2017 “as melhores pessoas, as melhores equipas, as melhores opções para o futuro do concelho”.

LEIA TAMBÉM

Caça praticamente proibida no concelho de Oliveira do Hospital até Maio de 2018

A caça está proibida até 31 de Maio de 2018 nas zonas consumidas pelos fogos, …

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …

  • oculum

    oculum

    Focalizem…

    Nas Caldas ( nas nossas, não confundir com as Caldas…da Rainha…) que vimos nós ? Focalizem…
    Os «estilhaços» de um partido, o PSD, que já foi um partido nos tempos do trauliteiro PPD e que agora navega à bolina sem alma, sem centelha e sem paixão. Uma lástima ! «Quoque nocens!».

    Focalizem…
    Tentam inventar o que dizer por não poderem dizer nada de relevante. Têm todas as culpas no cartório pela situação. No País e no Concelho ! São o que estão a ser e a eles principalmente o devem. Vão penar uns anitos,. Lá, foi já um «deserto» das Caldas.

    Focalizem…

    Estão tão fraquitos, estão com tanto medo de Alexandrino, que já para lá levaram, para as Caldas, o «chefe» local do CDS/PP… tipo cardeal Mazarino. Estão tão fraquitos, os «laranjadas», que já chamam o CDS para parecerem mais…

    Focalizem…

    E o «manhozão-raposão» do «chefe» local do CDS/PP para lá corre, de língua de fora, para ver se continua à boleia – a cavalo – no PSD e se evita ser cabeça de lista pelo CDS à nossa Câmara e assim escusa uma «tareia» grande por parte de Alexandrino… E a ver se assim não compromete vir a ser aquilo que mais quer e que é ser cabeça de lista pelo CDS/PP – Coimbra – nas próximas eleições para a Assembleia da República…

    E o PS ri-se disto…e Alexandrino ainda mais. Por enquanto pelo menos. Mas também estes ainda não estão livres de sérias complicações. Focalizem… Sim, no PS (Lisboa) ainda não está decidido quem vai ser o cabeça de lista pelo PS à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.
    Há «fantasmas» do tempo do Sócrates que continuam a pairar…à espera de oportunidade para assombrarem… «Quid?».

    Oculum

    • Bruxo

      Focaliza-te é no PCP para ver se este ano metes algum na AM.
      Ainda não acertas-te uma. Sabemos que queres o Alexandrino, mas ele está com tanto medo que nem um feijão lhe cabe no cu.
      Fartas-te de atirar, mas não acertas uma. Jano, vai à bruxa.

      • Afonsino

        Ó Bruxo:
        – Acaso, lá na Universidade da Moda que frequentas, nos profundíssimos e científicos estudos em que “lambutas”, te narraram – contaram – a profícua carreira de um ilustríssimo vereador da Câmara Municipal de OH que, sempre que podia – e eu ouvi! -, qual absoluto senhor de terras , almas e máquinas, sem confissão confessa, dizia que “Se eu estivesse no Alentejo era candidato pela APU”? – vai aos calendários e verifica o tempo em que foi….
        E foi, ficas a saber, há tanto tempo.
        E, a saber ficarás, que vereou, vereou, vereou e avariou…e os súbditos concelhios, mesmo destes dislates sabendo, votaram, votaram, votaram…e implodiram, qual bomba de confeitos carnavalescos…
        – É que , “Em terra de cegos, quem tem um olho é rei”.
        – É que, em tempo contemporâneo, quem é bruxo…é rei.

        • Bruxo

          Pois é, também o ouvi dizer tal dislate, ia pelos que ganhavam, era o rei do Alentejo.
          O problema, e esse muito sério, é que estamos numa democracia.

          • Afonsino

            Não, não:
            – Foi aqui, durante muitos e muitos anos, anos, em OH – onde o 25 de Abril apenas tem um dia. Feriado.

          • Bruxo

            O que é isso de 25 de abril?

          • Afonsino

            Para o PPD , PS e CDS de OH, apenas um feriado.
            Provavelmente, a excluir, como outros, do calendário civil.
            Religiosos como são – “ganham-no com o diabo e, depois, vão comê-lo com deus…”, e o Voitila… – ainda voltavam, não fora a democracia – e a implantação da República – aos “dias santos de guarda”.
            O Vereador que vereou, vereou, vereou e, depois, avariou – esse tal que no Alentejo seria comunista – nunca presidentou coisíssima nenhuma.
            Não precisava….dizem as más línguas que mandava mais do que quem presidentava. Pelo menos, nos negócios.
            Ficará bem, pois, ao PPD local, este de OH, uma medalha de partido que mais comunistas – ahahahaha- elegeu para a Câmara Municipal.

          • Bruxo

            Esse “amarelo”, são assim que são conhecidos os da terra dele, possivelmente por estarem perto dos “verdes”, embora de outro concelho e distrito,era a pessoa que apontei.
            Há outros para além de comunistas no concelho? Não tinha dado conta.

          • Afonsino

            Não és bruxo, és cego.
            A tua bitola, como vidente, não te deixa ver mais longe…da sala onde recebes os fregueses…às escuras: nem tu conheces os clientes, nem os clientes te conhecem a ti.
            E tens toda a razão.
            Sobre todos os pontos de vista, OH é uma ilha…dentro do próprio continente . Assim, toda a modernidade é inimiga. E diz-se na Moda…
            OH é uma ilha – há muitos anos fechada.
            É só ver a alegria dos brasileiros, franceses de cá, ingleses do mesmo sítio, lisboetas, portistas, conimbricenses, até americanos, e argentinos, e africanos, e chineses, e algarvios, e turistas aos milhares, de lá, e os de cá, quando vão para lá, e cantam glórias, quando cá chegam:
            – Chegámos às terras de bruxos!
            – Viemos em estradas romanas, alcatroadas…
            – Vias rápidas, só de “aspirador”, , modernos somos, vassoura, já lá vai…
            – Visitámos, sem querer, Portugal na Idade Média, o torrão das nossas origens! Saímos com tamancos, ou descalços e, passados 50 anos, de mercedes, encontrámos tudo na mesma…afora as contas bancárias dos políticos, para melhor, e a situação financeira do país, para pior.
            E até comemos uns queijos e enchidos portugueses que, como Jorge Jesus, o grande doutrinador, já hablan espanhol.
            OH é uma ilha. Com bruxos.
            Se OH se tivesse aberto, há muito, aos ventos democráticos, poderia ser um continente.
            A ilha, serve aos populistas. É por isso que continua fechada.
            Como, na Madeira, serviu a Jardim.
            Imitações.
            De muito baixo grau.
            Como os bruxos, cá da ilha.

          • Bruxo

            Já evoquei as forças do além para que se crie um istmo, mas a justiça não tem deixado. Coisas do diabo.

  • oculum

    oculum
    Focalizem…
    Temos «bruxo» que deve ir à bruxa… Com que então, mete nomes na caldeirada que inventa ? Atenção que as «secretas» de que parece servir-se andam a enganá-lo. Tem «bufozitos» reles ou pretende ser um deles ? Focalizem…
    Sabem lá eles quem os focaliza… Vêem fantasmas. Focalizem… Continuem assim, ignaros, e sereis felizes. Deus, tende piedade dos pobres de espírito !
    Focalizem…
    oculum

    • Bruxo

      Não são necessários bufos, toda a semântica é do ex-presidente de currais de cães.
      Ainda vais na lista com ele e com a Lagos, já ensaiaram na marcha lenta.

      • Afonsino

        Ó Bruxo:
        – Tu, que tudo sabes, que tudo adivinhas, explica lá onde fica essa de curral de cães, na tua cabeça? Que cerebral mapa é esse que tão mal mapeado anda?
        Andas a frequentar acções de formação?
        Astrologia?
        Lojas?
        Búzios?
        Cartas?
        Será que nunca uma cigana, por vinte e cinco tostões, te adivinhou um grande futuro?
        Também já ouves deus?
        Tens que explicar onde tiraste essa carta….e aprendeste a escrever.
        Vais ver que será a Universidade da Moda mais frequentada em OH.
        (Com que então, ” Ainda não acertas-te – boa! – uma!”)
        Que diabo: tu acerta(zeas)-las todas.É por isso que és bruxo.
        Ainda bem que já não vives – nem nós! – nesse teu idílico medieval mundo.
        Ainda serias ser primeiro ministro.

        • Bruxo

          Pergunta ao Oculum, que ele focaliza, e como bom “curraleiro” explica-te onde é.
          Para teres a certezinha:
          http://tracinho.com/acertaste

          • Afonsino

            Tens o teu cérebro mal mapeado…
            Quem assim, ainda, pessoas ou localidades designa, é bruxo.
            É medievo.
            Andas fora do tempo….ou viajas nele.
            Aproveita, mete-te nessa magnífica máquina e escreve sobre o futuro. Ficção medievocientífica!
            Ainda bem bem que nele já não haverá copistas que – a soldo, ou ceguetas, como tu – se enganem nas transcrições de português ! (avançado)

  • oculum

    Oculum

    Focalizem…

    O «bruxo» ignaro e obscurantista afinal pretende ser um elemento esclarecido… Focalizem… Fala em «semântica», alegadamente linguística, para encobrir tendências «pidescas», quiçá «inquisitoriais», que lhe envenenam corpo, alma e «´sprito»…

    Focalizem…

    Ele desconfia…inquieta-se…ele é «bruxo» e, por isso, bruxos vê…Gira tontinho de todo em volta do seu próprio intestino vagamente intelectual.

    Focalizem…

    «Habemus intellectualis maleficus !» (temos um bruxo inteletual).

    Oculum

    • Bruxo

      Tal como todos os comunas, quando nada têm para dar, tratam os outros de “pides”, de “fascistas” e parece que “inquisitores”.
      Eu gostava era de focalizar o que tens para dar, é que na bola de cristal vem um vazio total.

      • Afonsino

        O mais caricato, nesta de comunas, é que poucos, o foram -ou são! – e outros, apregoando aos quatro ventos que o eram, eleitos foram….
        Sabendo nós, há muitos anos, depois de todos os grandes eleitos se terem pronunciado sobre tal assunto, que tal verdade se constata.
        Caricato:
        – Temos tido eleitos, em OH,pelo PPD que, se estivessem no Alentejo, teriam sido candidatos pela APU – julgam eles, que nasceram para ser eleitos.
        – Temos gente do PS que se considera de esquerda – publicidade – aqui, nestes cavaquistas territórios mas que, se no Alentejo estivessem, seriam candidatos da APU…(alguns, até conselhos tiveram de comunistas do Alentejo…e arredores.)
        – Ou seja: os antigos e actuais edis do concelho, se noutro estivessem, não saberíamos que cores defenderiam…mas, como se julgam deuses, em qualquer lugar teriam sido eleitos.
        Estamos em OH.
        (Convenhamos, prezado Bruxo, que, se alguns, por aqui, ainda lambem o cú ao chefe, outros haverá, e são muitos, que lamberam as contas, bem lambidas, – falamos de Euros – ao rico.
        Ao que parece, ainda não lhe devolveram, sequer, o papel higiénico….e as cartas.
        E foram largas dezenas de milhar – ou centenas de milhar…bem lambidas…
        É lata!
        É vigarice.
        E, os Bruxos, sempre se dedicaram a isto.
        A vigarices.
        (Atenção: nos dinheiros públicos, um Bruxo que se preze, não toca. Muito menos em salário: cada cliente dá aquilo que quiser)
        Por isso, Bruxo, não escrevas mais nada…
        És Bruxo.

  • oculum

    Oculum
    Focalizem…
    O «bruxo» continua vesgarolho… Melhor dito, tem um só olho ( o tal…). De resto tenta ver dentro do intenso nevoeiro que lhe tolda o cerebelo (não tem cérebro)…
    Focalizem…
    Vê «comunas» por todo o lado enquanto afirma que «eles» são poucos… Sim, tem «tiques» pidescos e ou inquisitoriais. Este «bruxo», se o deixassem, «censurava», às cegas, todos os comentários que os «oculum» escrevessem. Focalizem… É um «denuntiator maleficus” (bruxo «bufo»).
    Oculum

    • Bruxo

      Para além de pide, fascista e inquisidor, também é bufo acéfalo.
      Só pergunto, com essa inteligência toda focalizada em beijares o cu ao chefe, onde pensas chegar?

      • Afonsino

        Muito bem, Bruxo:
        – Uns, segundo o teu agoiro, querem chegar;
        – Outros, disfarçados de democratas, chegaram.
        (E, qual Zandinga, aconselhaste-los todos!)
        Em vez dessas medievas máquinas de voar- nem de Bartolomeu, ou de Leonardo , te vestes – inventa lá um “sacanómetro” – instrumento de medir sacanas…
        E, depois de o inventares, tenta colocá-lo em ti próprio e, depois, nos muitos dos teus mestres, cá do burgo, que acompanhas, ou acompanhaste, que veneras, ou veneraste, desde o burgo até ao topo nacional.
        E divulga os resultados.
        Tu, como qualquer bruxo, chegaste muito longe.

        • Bruxo

          O Bruxo não agoirou, perguntou: “Onde pensas chegar?”
          Sacanas, há poucos. Têm é muitos adeptos.
          Também és um deles?

          • Descontas

            Não és Bruxo, és uma ave agoirenta…
            Emprenhas pelos ouvidos e achas que, depois de tal emprenhar, autros seguirão os teus conselhos, e defendes o chefe até ao fim.
            És um lambe botas, lambe cús e…. lambe contas.
            Lambes tudo!
            Estás no poleiro, como bem se subentende. E, em vez de calar o bico – come, enquanto tal repasto está disponível!, que a gamela pode acabar… – lambes tudo.
            Eu sei que assim é, a vida.
            Oxalá não vomites, ainda, tudo quanto a tua falsa bruxolice apreguou…
            Nas contas do rico.

          • Bruxo

            Acha?
            Onde fica tal gamela?

          • Descontas

            Se não no teu, no curral mais próximo!
            Aproveita!
            Sempre assim foi.
            Depois de mamar na teta…

          • Bruxo

            Sou alérgico à lactose e intolerante a mamões.

          • Descontas

            Euros, bruxo, euros….
            Vais tratando da vidinha, pois claro.

          • Bruxo

            O que é isso?
            Ainda trabalho com reis.

          • Descontas

            És um “obreiro”, bruxo.Medievo. E só fazes isso.
            Mas, parvo, como qualquer bruxo, não és.
            Euros, pois claro.

          • Descontas

            Ó Bruxo, confessa lá:
            – Nem tu próprio acreditaste, alguma vez, ter chegado onde chegaste.
            Milagre.
            Lambeste tudo!
            Acredito que o teu estômago tenha digerido aquilo que nem uma galinha tenha “comido”.
            Sacanas!

          • Bruxo

            Cheguei assim tão alto?
            Qual Merlin…

          • Descontas

            Achas que sim!-peito não te falta.
            Tens todo o mundo ao teu redor, sem que de obra, mesmo como bruxo, sinal haja…(sabes que milagres, esses, só em Fátima…e no Vaticano.
            É assim.
            Sobrevives, com estas artes, como outros cidadãos que , em labuta, aqueles que ainda vão produzindo alguma coisa, vivem do salário que recebem.
            É por isso que os bruxos – alguns até convidados foram a dar conselhos a reis, papas, presidentes… – sobrevivem.
            Escreve o teu diário…
            E, depois, publica-o!- e não te esqueças de referir , apenas, os milagres que fizeste.
            Em vida!
            Dou-te um 7.
            Lambe-o!

          • Bruxo

            Faço o milagre de te aturar. Claro que depois de saber da tua obra, acredito que o milagre tenha valido a pena.

          • Descontas

            Obras mal.
            Nem erras o chão.

          • Bruxo

            Obro para ti.

          • Descontas

            Obremos, todos, pois, também, para ti.
            És da situação.
            (E não me aturas, a mim, que não sei quem és, nem me interessa…nem onde escondes o gabinete de consultas.)
            E, por tal, barriga cheia, deves ter.
            Vai obrar para quem to deu.

          • Bruxo

            Força. Eu d’obro.