Emagrecer ou Mudar de vida? Autor: Luís Marques

Tempo útil… do exercício físico. Autor: Luís Marques

Como professor de educação física sempre balizei os meus comportamentos pedagógicos, enquanto monitor/orientador de uma aula prática, pelo tempo útil de prática efetiva no exercício físico, ou seja, o tempo que efetivamente o aluno realiza atividade física. Nas minhas aulas, quer em contexto pré-escolar, 1º ciclo ou 2º ciclo, o objetivo principal das aulas é manter as crianças em constante atividade, com variações de intensidade e, acima de tudo, com níveis de concentração exigentes para não se constatarem os chamados “comportamentos desviantes”, ou por outras palavras, o mau comportamento!!!! Crianças sentadas a ouvir??? Crianças sentadas a olhar para o professor??? Crianças elétricas, com tempos de estudos brutais, altamente sedentárias, sentadas a ouvir e olhar o professor???

Ui ui ui

Também no contexto do exercício físico adulto, quer na prática ao ar livre, ginásios ou meio aquático importa referir a pouca rentabilidade que o adulto dá ao tempo disponível, ou seja, o tempo efetivo de prática. A maioria das pessoas que não pratica exercício físico aponta a falta de tempo como a causa principal, mas é irónico perceber que quem pratica perde muito tempo no treino!!!! A grande diferença entre atletas e pessoas “normais” é que os atletas treinam diariamente, muitas horas e com diferentes estímulos com vista à performance, e as pessoas normais treinam pelos mais diversos objetivos, mas treinam de forma intercalada com os seus afazeres profissionais e familiares, daí a necessidade de uma eficaz rentabilidade do tempo do treino. O praticante de exercício físico não orientado perde, no mínimo, 50% do tempo que dispõe para o seu treino, tornando-o pouco rentável, do ponto de vista físico e anímico.

Inscrevi-me recentemente num ginásio com o objetivo de elevar os meus níveis de força geral e para complementar os meus treinos de longa duração, quer da natação, corrida e ciclismo. A cada dia que passa fico cada vez mais perplexo com o que vejo, adultos que pagam uma mensalidade, se equipam a rigor e que passam a maior parte do tempo do treino, ou a conversar, ou a trabalhar os dedos no seu smartphone!!! As séries de 10 a 15 repetições precedem-se de longas paragens, já para não falar do monstro do treino convencional, ou seja, treinar um grupo muscular em detrimento do movimento global do seu corpo. Em suma, e num treino de 1 hora, 10 exercícios com 3 séries de 15 repetições e com 5 min de treino cardiovascular, sobra muito tempo ao treino!!!

Daí a expressão “mais vale pouco e bom do que muito e ruim”!!!!!!

Bons treinos

Autor: Luís Marques

LEIA TAMBÉM

Nogueirense a dois passos da liderança

O AD Nogueirense voltou a vencer na 9ª jornada da fase de manutenção e ocupa …

Maldito IC6. Autor: Tozé Cardoso.

O cantor, compositor, multi-instrumentista norte-americano e vocalista convidado dos AC/DC  e fundador dos Guns N’ …