Texto a título do direito de resposta de João Nunes, Presidente do Conselho de Administração da Associação BLC3

No seguimento das diversas notícias difamatórias apresentadas por este órgão de comunicação social vem-se pelo presente apresentar o direito de resposta e defesa de honra, exigindo-se, de acordo com a lei, que este direito seja publicado integralmente e sem qualquer comentário por parte do Jornalista ou Diretor do Jornal.

1. Existe uma campanha difamatória, com notícias e informações prestadas pelo Sr. António Lopes com má fé Política, que são divulgadas por este Jornal em género de blogue, tendo atingido os limites.

Em resultado disso, apresenta-se este Direito de Resposta porque existe uma campanha montada de calúnias que não tem razão sobre o ponto de vista técnico e científico, sendo meramente questões políticas e que se servem da manipulação política para a má fé, prejudicando a região.

A Associação BLC3 já entregou queixa ao Ministério Público contra o Jornal, o Sr. António Lopes e todos os que têm realizado uma campanha de difamação. Também irá pedir um levantamento sobre todas as origens dos comentários, o processo de validação dos comentários, que comentários são eliminados e outros instrumentos de manipulação e que não sejam de conduta jornalística, sendo usados unicamente como má fé contra Associação BLC3.

2. A Associação BLC3 é a estrutura mais importante e reconhecida em todo o território interior nacional e a estrutura portuguesa com maior destaque internacional no ano 2015 e 2016.

3. A Associação BLC3 já ganhou importantes prémios internacionais de reconhecimento do seu trabalho. Foi considerada como um dos 10 melhores centros de incubação do Europa e dos 25 melhores do mundo, com ligação à inovação e conhecimento. O projeto da infraestrutura tecnológica, que representa a recuperação do espaço de Lagares de Beira, foi considerado como um dos 5 projetos mais inovadores da Europa, numa avaliação efetuada pela Comissão Europeia. Os apoios da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital à BLC3 representam 0,48% do seu orçamento (ano de referência da informação 2015). É muito importante saber este número e saber que da média desses 0,48% de apoios da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital ficam como resultado em Oliveira do Hospital 17,3 vezes mais investimento (no ponto 9 e 10 são apresentadas mais informações importantes).

4. Todo o tipo de questões que são levantadas pelo Sr. António Lopes são tratadas nas devidas instâncias. A Associação BLC3 não alimenta politiquices nem questões pessoais, nem transforma problemas pessoais em problemas que prejudicam a região. Apenas nos preocupamos com os problemas da região.

5. A Inveja, a má fé e os ciúmes têm limites.

6. Em todas as notícias que apresentam sobre a Associação BLC3 não existiu por parte do Diretor do Jornal um pedido de informações à Associação BLC3, sendo uma campanha de difamação e má fé política contra a Associação BLC3 e contra mim, revelando uma falta de profissionalismo e ética no seu dever.

7. Um exemplo desta campanha foi o facto de o Sr. António Lopes usar uma sentença do Tribunal Administrativo desfavorável como tendo sido apresentada como favorável ao Sr. António Lopes e que tinha arrancado “documentos a saca rolhas”.

Para que seja do conhecimento de todos os leitores e só para exemplo da atitude e forma como o este Jornal e o Sr. António Lopes procedem, o Tribunal Administrativo decidiu que o Sr. António Lopes, no processo que apresentou contra a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, esta só tinha de apresentar documentos relativos a questões internas da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, não tendo qualquer direito a nenhum documento da Associação BLC3,  como sempre se explicou e referiu, numa longa lista de pedidos.

O que o Tribunal Administrativo decidiu foi apenas o acesso a documentos da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e que fazem parte do seu sistema de informação. A documentos da Associação BLC3 decidiu que não tinha direito e justificação sobre esse acesso.

Foi manipulação e uma mentira para manipular os eleitores, transformando uma derrota política numa pseudo-vitória.

Demonstra-se essa campanha por notícias do Jornal Correio Beira Serra, a saber:

Refere numa notícia que “O município fica obrigado a facultar naquele prazo todos os documentos sobre aquela entidade que tenha em sua posse.”

Noutra notícia refere que:

Apesar do acórdão do Tribunal Administrativo de Coimbra não lhe ter facultado o acesso a todos os documentos, António Lopes promete continuar a lutar na justiça pelo esclarecimento de tudo o que rodeia aquela instituição.”

A Associação BLC3 acrescenta que ficaria satisfeita se o Sr. António Lopes em vez de manipular e de estar de má fé, fazendo politiquices, ajudasse ao desenvolvimento da região.

Para deixar claro. Nunca ninguém, quer da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital quer da Associação BLC3, se negou a prestar informações que não sejam da sua obrigação e requeridas por quem de direito e de acordo com a lei.

Referiu-se sempre que a lista interminável de pedidos de informação por parte do Sr. António Lopes não fazia qualquer sentido e que tinha meramente intuito de denegrir politicamente a Associação BLC3.

8. Em relação às obras de recuperação do espaço das novas instalações da Associação BLC3, como é público, a obra foi adjudicada em concurso público à empresa de construção CIP, S.A. (empresa sedeada em Oliveira do Hospital), cumprindo todos os requisitos legais. Esta informação é pública e foi adjudicada à empresa que apresentou menor preço.

O Sr. António Lopes referiu que fazia a obra por cerca de 1/3 da adjudicada e que tínhamos eliminada a proposta da empresa JFM, S.A.

Na visita do Sr. António Lopes foi-lhe explicado que o orçamento da empresa JFM, S.A. dizia respeito apenas à recuperação de 2 edifícios e o adjudicado em concurso público à empresa CIP, S.A. era referente a um total de 6 edifícios.

Foi referido que foi apenas uma consulta antiga realizada a 4 empresas de Oliveira do Hospital para se saber qual o custo de recuperação de 2 edifícios (mínimo necessário para iniciar as atividades naquele espaço)  e que não houve qualquer eliminação de propostas.

Na visita foi-lhe referido ainda que não tinha qualquer comparação o orçamento da empresa JFM, S.A. com o adjudicado porque eram obras totalmente diferentes, como podia confirmar pela informação que tinha da empresa JFM, SA e da informação pública sobre o concurso de obra ganho pela empresa CIP, S.A..

Contudo, o Sr. António Lopes após a visita presta afirmações, por via deste Jornal, que tinha havido eliminação da primeira proposta e que existiam valores diferentes. ISTO DEMONSTRA UMA VEZ MAIS as reais intenções e pretensões do Sr. António Lopes e a forma como procede em relação à campanha de calunias que realiza contra a Associação BLC3.

Ainda na visita foi-lhe explicado que os geradores de emergência são totalmente diferentes dos apresentados pelo Sr. António Lopes e com características e fins diferentes. A ignorância não permitiu compreender que as características dos geradores recomendados pelo Sr. António Lopes não eram as corretas para um sistema de biorrefinaria.

Além das garantias de temperatura de funcionamento em ambiente externo, que é importante para garantir o seu funcionamento a temperaturas negativas, porque os sistemas de biorrefinarias funcionam 24horas (na região existem diversos períodos com temperaturas negativas como é do conhecimento geral), estes necessitavam também de sistemas de controlo inteligentes integrados, com a possibilidade de comunicação de dados e controlo por uma central de operação da biorrefinaria.  Foi explicado tecnicamente que eram gerados totalmente diferentes e sem comparação possível.

9. Em relação aos subsídios de apoio às atividades da Associação BLC3 que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital atribuiu, estes apenas representam 0,48% do seu orçamento (ano de referência 2015). É IMPORTANTE REFEIR ISTO. O apoio da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital para as atividades da Associação BLC3 são apenas para as relacionadas com a atividade da Incubadora e para o apoio ao Tecido Económico da região, onde são realizadas mais de 800 reuniões/ano de apoio ao tecido económico de forma gratuita e com acompanhamento técnico-científico de 4 investigadores. Estão em permanência 7 pessoas disponíveis de apoio ao tecido económico da região. Existem muitas pessoas em Oliveira do Hospital que têm beneficiado deste apoio de forma gratuito, tendo em consideração o apoio da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

10. Estes subsídios são um investimento com elevada rentabilidade para Oliveira do Hospital, porque:

I. As antigas instalações da ACIBEIRA, recuperadas pela Associação BLC3, estavam completamente degradas e com um valor comercial muito reduzido devido ao abandono completo destas. Hoje é um espaço de grande valor económico e um ativo de grande importância. Em qualquer momento que a Associação BLC3 deixe de ter atividade o espaço é revertido para a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital pelo mesmo valor de venda (150.000 Euros).

O valor atual das infraestruturas e equipamentos instalados em Lagares da Beira ascende a mais de 4 milhões de euros, logo existe um benefício direto para a  Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

Do empréstimo da Associação BLC3 com o apoio realizado pela Câmara Municipal de Oliveira do Hospital: isso refere-se à comparticipação de uma parte não financiada pelos fundos comunitários relativamente às obras de construção civil da recuperação do antigo espaço ACIBEIRA, em Lagares da Beira (teve uma comparticipação de 85%). Isso foi apresentado em reunião de Câmara.

Além disso, todo este procedimento foi explicado e apresentado pela Associação BLC3 a todos os representantes das forças políticas em Oliveira do Hospital;

II. Com base nos mais de 41 recursos humanos altamente qualificados que o projeto da Associação BLC3 já fixou na região de Oliveira do Hospital, de forma permanente: cada pessoa tem um gasto médio mensal em Oliveira do Hospital de 275 Euros só no comércio local e habitação (12,5 euros/dia nos 22 dias de trabalho). Ora, por aqui representa que dos 10.000 Euros/mês de apoio da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, só pelas pessoas fixadas e postos de trabalho diretos criados, existe uma reversão para o comércio local de 11.275 Euros/mês.

Só pelo contexto da fixação de pessoas e criação de postos de trabalho altamente qualificados,  uma vez mais é um investimento com elevada rentabilidade para a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital (rentabilidade superior 12,75%). Este valor não contempla ainda uma série de outros ganhos e benefícios, como por exemplo os impostos, compra de bens, aquisição de serviços, valorização indireta da fixação de pessoas, entre outros;

III. Já foram realizados serviços ou venda de bens por empresas de Oliveira do Hospital superiores a 1.356.000 Euros, resultantes dos projetos de investigação e atividades da Associação BLC3. Só neste contexto a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital apresenta um retorno económico direto muito superior em relação ao apoio que atribui às atividades da Incubadora da BLC3 e de apoio ao Tecido Económico;

IV. A ESTGOH só se mantém aberta após um grande esforço de ligação e trabalho conjunto da ESTGOH com a Associação BLC3. Ainda no passado dia 29 de julho o Conselho de Administraçãoda Associação BLC3 esteve reunido com o Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior a apresentar o projeto da ESTGOH (unidade de formação superior na região) + Associação BLC3 (Centro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico e Incubadora): o único que tem possibilitado manter a ESTGOH na região. Esta reunião foi de extrema importância para o futuro da ESTGOH. A ESTGOH só terá viabilidade de continuar se tiver uma centro de investigação e desenvolvimento tecnológico ao lado. É a condição de manter em funcionamento qualquer escola de Ensino Superior.

Todos reconhecem que tudo o que for feito para manter a ESTGOH em Oliveira do Hospital e para que esta tenha mais capacidade de atrair alunos é um GRANDE benefício para a região e um investimento de grande prioridade. Não existe nenhuma entidade de ensino superior que consiga sobreviver e continuar aberta se não tiver associada a si um Centro de Investigação e de Desenvolvimento Tecnológico. A Associação BLC3 já conseguiu fazer isso, tendo condições de excelência para as atividades laboratoriais que os alunos e Professores da ESTGOH necessitarem; e

V. Em Lagares da Beira, no campus de tecnologia e inovação, está o maior número de pessoas com elevadas qualificações do que em qualquer outro município da região interior em Portugal (excluindo instituições de Ensino Superior). Oliveira do Hospital está no mapa da Inovação a nível mundial. É o melhor reconhecimento internacional técnico-científico que existe em Portugal.

 11. A Associação BLC3 é um centro de investigação e em qualquer entidade de investigação os investigadores têm direito sobre o seu conhecimento. Isto faz parte dos princípios de qualquer entidade de investigação e desenvolvimento tecnológico. Neste contexto, na Associação BLC3 os investigadores até são prejudicados em relação a qualquer outro Centro de Investigação, onde, por exemplo, na Universidade de Coimbra os investigadores ou pessoas ligadas à invenção do conhecimento têm direito a 55% dos resultados.

Isto demonstra-se pelo que se transcreve em seguida, onde se apresenta o que referem  regulamentos de propriedade intelectual e industrial de prestigiadas instituições Portuguesas.

Pelo que referem pode-se verificar que é prática comum do mundo da investigação e desenvolvimento tecnológico que os investigadores tenham direitos sobre o seu conhecimento e trabalho. Os investigadores e pessoas que fazem parte do processo de invenção têm direito sobre os resultados do conhecimento que desenvolvam.

Para conhecimento:

O Regulamento de Propriedade Intelectual da Universidade de Coimbra

Artigo 15° (Forma de repartição)

Os proveitos líquidos apurados serão repartidos da seguinte forma:

55% para o inventor ou criador ou equipa de investigação;

45% para a Universidade de Coimbra:

– 30% para a Faculdade;

– 15% para a Reitoria.

e

o Regulamento de Propriedade Intelectual da Universidade do Porto

Artigo 9º, Repartição de Benefícios

  1. Os benefícios financeiros líquidos obtidos pela exploração económica dos resultados de investigação serão objecto de repartição nas seguintes proporções:
  2. a) 10% para a Universidade do Porto;
  3. b) 30% para a Unidade Orgânica ou outra entidade do universo da UP em que se realizou a actividade que conduziu a uma invenção ou criação;
  4. c) 60% para o Inventor;

Na Associação BLC3 quem desenvolve conhecimento até é prejudicado em relação a outros centros de investigação e de desenvolvimento tecnológico, onde é garantido mais direitos para os investigadores/inventores. Na Associação BLC3 existe o princípio de que qualquer pessoa que tenha criado e desenvolvido uma ideia, tem direito a 49% dos seus resultados e 51% pertencem à Associação BLC3. A Associação BLC3 sai beneficiada em comparação com outros centros de investigação de referência nacional e internacional (como demonstrado anteriormente).

A Associação BLC3 realiza a transferência de conhecimento para o mercado através de criação de empresas, que são denominadas por “Spin offs”. “Spin offs” são micro ou pequenas e médias empresas que são constituídas quando são alcançados resultados de investigação que têm potencial de serem transferidos para o mercado. Uma das mais prestigiadas plataformas de inovação do mundo  refere em relação às “Spin offs” – The Innovation Policy Platform” que:

“Spin-off firm creation universities and PRIs

Spin-offs established by individual researchers, university departments, or entire organizations aim at putting the results of their research to commercial value, and have a market medium for technology transfer and commercialization. Some policy breakthroughs have been particularly influential in promoting spin-off strategies (e.g. US Bayh-Dole Act). Conditions ensuring the contributions of spin-offs to innovation performance include: spin-offs’ access to innovation finance, intellectual property rights regime, incentives to researchers for creating spin-offs rather than keeping their intellectual property off the market, effective technology transfer offices and university involvement.”

Ou seja, as “Spin offs” são empresas criadas para assegurar a transferência de conhecimento e resultados de investigação para o mercado e respetiva valorização comercial, que se realiza entre as instituições de investigação e desenvolvimento tecnológico e os investigador.

O Sr. António Lopes agiu de má fé e com manipulação política ao referir no jornal Correia Beira Serra sobre a questão de que tenha qualquer direito sobre a Associação BLC3, referindo que: “Perguntei-lhe para que é que ele queria 49 por cento de uma empresa sem fins lucrativos. Para meu espanto a resposta surgiu em forma de pergunta: “quem lhe disse a si que é sem fins lucrativos?”. Isto é incrível.”

Não foi nada disso referido. E não tenho qualquer questão de direitos sobre a Associação BLC3. É completamente falso e uma campanha de má fé política do Sr. António Lopes.

Foi-lhe explicado que na Associação BLC3 qualquer pessoa e investigador que desenvolva uma ideia e conhecimento, e que tenha viabilidade de ser transferido para o mercado, é realizado através de “Spin offs”, criação de empresas, de acordo com os normais procedimentos de qualquer Centro de Investigação e de Desenvolvimento Tecnológico. De acordo com o explicado e demonstrado anteriormente, onde os investigadores têm direitos pelo conhecimento que desenvolvem. Isto faz parte da propriedade intelectual e industrial. Referi que se me via associado numa empresa com a Associação BLC3 isso resultava de um processo de transferência de conhecimento desenvolvido e de acordo com os procedimentos normais. Contudo, o Sr. António Lopes fez afirmações e declarações de má fé política neste Jornal e associa a questões de ilegalidade sem qualquer fundamentação ou razão. Note-se que não foi pedida qualquer informação à Associação BLC3, revelando-se, uma vez mais, uma campanha de difamação deste Jornal e do Sr. António Lopes.

Desde 2009 que foi apresentado publicamente na região de Oliveira do Hospital que a minha principal função e atividade profissional é a de Investigador. Tenho um vasto curriculum de investigação e reconhecimento a nível nacional e a nível internacional. Qualquer associação que seja encontrada entre mim e a Associação BLC3 diz respeito a conhecimento que desenvolvi, com comprovação e validação técnico-científica e faz parte de um normal processo que pode ser realizado em qualquer parte do mundo (como se demonstrou anteirormente e que é do procedimento de outras instituições).

Exijo respeito assim como a Associação BLC3 também exige respeito por todo o trabalho que fazemos altamente premiados, não sendo nosso propósito alimentar questões pessoais e sem interesse para a região e com o intuito de mera manipulação política.

É importante referir, uma vez mais, que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital apenas apoia o desenvolvimento das atividades da Incubadora de Empresas e Ideias e do apoio ao Tecido Económico da Região, com 0,48% do seu orçamento, e não realiza qualquer apoio às atividades de investigação da Associação BLC3.

Atenciosamente,

João Nunes

Presidente do Conselho de Administração

Associação BLC3 – Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro

“BLC3 Association – Platform for the Development of Central Inner Region”

LEIA TAMBÉM

Capoula Santos apresentou em Oliveira do Hospital novas medidas de apoio aos agricultores afectados pelos fogos

O Ministro da Agricultura apresentou, ontem, em Oliveira do Hospital, as novas medidas de apoio …

O “Ciclone de Fogo” varreu aquela noite que o foi de (quase) todos os medos… Autor: João Dinis, Jano

Naquela noite de (quase) todos os Fogos e de (quase) todos os medos, morreu Gente …

  • Jorge Oliveira

    Parabéns caro Dr. João Nunes. É assim mesmo, quem não deve não teme. Olhe e muito obrigado por defender Oliveira do Hospital e os Oliveirenses, por lutar por todos nós e por construir projetos que dão emprego e valor para a nossa região. Há outros que todos os dias apenas se entretêm a dizer mal do que se faz em Oliveira.

  • António Borges

    Parece que nem só de más notícias sobre a BLC3 vive este jornal. Numa rápida pesquisa notei pelo menos estas que não sei se eventualmente fazem parte da campanha difamatória: http://www.correiodabeiraserra.com/blc3-reconhecida-com-nono-lugar-em-competicao-europeia-realizada-em-turim/ ou ainda http://www.correiodabeiraserra.com/ubi-global-coloca-blc3-entre-as-25-melhores-incubadoras-do-mundo/. Reparei igualmente que noutras notícias o jornal, ou blogue como também é tratado no texto, refere que tentou falar com o Dr. João Nunes, mas que tal não se revelou possível. Apreciei a entrada. Logo a proibir o jornalista ou o diretor do jornal de fazer qualquer comentário à referida prosa do Dr. João Nunes. Ora explique lá esse conceito de liberdade de expressão, Dr. João Nunes.

  • take it

    Caro António Borges,
    (se é que não és mais um dos pseudónimos do Lopes ou do lambe botas do ervedal), só te posso dizer, a tua resposta é tão ignorante que até me fez dó de a ler, depois converteu-se numa pena extrema e por fim compaixão por tamanha ignorância e pouca destreza de comunicação.
    À semelhança da descomunal cabeça de melancia do Lopes a tua também esta repleta de água e nenhuma massa cinzenta!
    Ainsa te digo mais… este site apafa comentários que sejam favoraveis a BLC3 e manipula as votações. E esta?
    Mete lá outra vez o rabinho a jeito 😉

    • António Borges

      Como não é homem suficiente para dar a cara, nem sequer vou perder muito tempo. Não utilizo qualquer pseudónimo, mal conheço o Sr. Lopes e desconheço esse tal “lambe botas de Ervedal”. Limitei-me a constatar fatos. O take it limitou-se a ser cobarde e mal educado. Cada um mostra-se como pode e como é. Só para que conste nada tenho contra a BLC3 ou contra o DR. João Nunes. Apenas me pareceram exageradas aquela introdução e parte do texto. Tenha tento na língua porque acredito que nem a BLC3, nem o DR. João Nunes se revêem nessa linguagem desprezível com que os tenta defender. Passe bem.

  • Isabel Guilherme

    Parabéns João Nunes pelo exelente trabalho que estão a fazer.
    Tragam mais prémios para esfregar na cara destes ignorantes da Beira Serra, que de tão idóneos que são encheram os bolsos com contratos duvidosos na Madeira.
    etc…

    • Teófilo

      Mais cego do que o cego, é aquele que não quer ver.
      O rei vai nú.
      Dois, ou três, democratas decidiram ter, em Oliveira do Hospital, a sua quinta particular.
      Herdeiros de sócrates. O dos muito mal parados negócios.
      Tiveram, apenas, um pequeno azar:
      – 99,99% da população de OLIVEIRA DO HOSPITAL, CONCELHO, não sabe, nem quer saber, – assim é ajuizado pelos seus promotores, que viram, aqui, uma magnífica horta para seu desbaste, quer de fundos europeus, quer de dinheiros autárquicos, para seu verdadeiro regabofe!- a razão se ser de tal BLC “three”;
      – Calhou, indevidamente, no percurso, uma coisa, perdão, um cidadão, com demasiadas responsabilidades, que lhes seguiu a pista…que os “entalou”.
      -Bem pode andar o cientista, que diz que em Portugal se ganha, como tal, pouco dinheiro -por que é que não emigrou, tal inteligência, como tantos outros enfermeiros, cientistas, médicos, da sua geração, etc, etc..e aqui mantém a sua “three”? – a postar, no seu facebook, as magníficas férias/lua de mel nas mais paradisíacas praias deste mundo – nem uma portuguesa! – ostentando essa vil riqueza amealhada, sabe-se lá, com que ajudas de deus e do Voitila.
      Inveja?
      O raio que os parta!
      Vendilhões.

  • Cavaleiro

    ESTAS VOTAÇÕES ESTÃO MANIPULADAS!!!
    VOTEI COM UMA SERIE DE AMIGOS EM FAVOR DA BLC3 E OS VOTOS NO DIA SEGUINTE ERAM MENOS!!!
    SÃO UNS MENTIROSOS E MANIPULADORES DA VERDADE

    • Teófilo

      Então julgas que a BLC “trhee”…é o Benfica?
      Pões toda a gente a votar?
      Afinal, quem é que manipula?
      Desembargadores…precisam-se.
      Eu, até, nem opinei….
      Parece-me que até o Voitila já é, também, o santo padroeiro daquela “instituição”.
      Medíocres.

  • Vermelhão

    Isto está a animar. Só não percebo, é porque só agora há (a serem verdadeiros) alguns esclarecimentos às muitas dúvidas. Ou seja, acusa-se em abstracto muita gente de difamação. Mas se ninguém esclarece dúvidas, como pode haver difamação? E não é de certeza porque há esta explicação, que eu posso concluir que esta é a verdade. Cada um esgrime os seus argumentos. Consta por aí que, estarão a decorrer umas investigações judiciais. Vamos ver no que dão. Sinceramente, não vou perder tempo a esmiuçar o escrito; isso fica para outros, se for o caso, até porque, parece que o único objectivo desta carta é responder ao António Lopes. Assim é uma guerra que não compro. Mas assim por alto, devo opinar que em alguns “esclarecimentos”, nomeadamente os que dizem respeito a “números” (leia-se dinheiro), se tinha dúvidas face ao que era público, agora mais dúvidas tenho. Não se esclarece nada. Bem pelo contrário.
    Apraz também, verificar que temos novos comentadores, o que é sempre bom para a vitalidade do diálogo. Pena é que, venham todos de uma vez, numa estratégia concertada, com um objectivo claro de confrontação.

    • poeta

      Era uma vez um calha milhões,

      Agora está pobre conta os tostões,

      Esta morto de pobre mas dá safanões,

      Enricou na Madeira,

      Não com a bananeira,

      Tem a alergia a inchadas,

      Roubou nas estradas.

      Já não anda airoso,

      O mentiroso,

      A Câmara tirou-lhe a mama,

      Agora já nem tem cama.

      Qualquer dia vai de cana!

      Anda sempre na policia para se ambientar,

      Não tarda vai la parar.

      Disse ele que estava louco,

      Não era para pouco,

      Quer fazer um hotel

      Mas o gajo já nem tem papel!

      Deixou a Madeira a amantizada,

      Agora coitada nem recebe mesada!

      Ficou sem almoço,

      Perdeu as senhas,

      Come tremoço,

      Poupa nas banhas

      (amanhã há mais)

      • António Lopes

        Assim, como assim, podia ter feito uma coisa melhorzinha…Quando era rico diziam-me porque não distribuía.Distribui agora é um pobrezinho…A PJ , que me lembre nunca andou atrás de mim.Nem nunca vi o meu nome ligado a irregularidades..Todos podem dizer o mesmo? Falam, falam, mas …só falam…Inventam inventam mas não passam disso.E pagar o que devem isso é que de maneira nenhuma…Não conseguem na política tentam na pvida pesoal:mas por aí também não vão lá…Nem com testemunhas forçadas…

        • Alberto João

          Devias aproveitar para aprender a escrever bem 😉
          Cômo anda a amazia da Madeira?
          Dessa não falaste. nem das estradinhas 😉
          Lembraste me o triste do “paga o que deves”…
          Tu bao davas porque bnão te esta nesse sangue de reptil lambisgoia.

          Há pessoas que só vêm a este mundo para ser parasitas.

          • Teófilo

            Como tu, bem de baptismo, Alberto João.
            Enfim.
            Herdaste um bom nome.
            Quantos milhares de milhões?
            Vai passear.

    • Poeta

      Vê se que tb não deves ser grande coisa para parar por estas banda…

  • António Lopes

    Diz o Povo que :”Quem teima sempre alcança”.Este direito de resposta do Senhor Eng.Jão Nunes faz lembrar a história terrifica “do Bispo e do Carrasco”. O Bispo falava com o prisioneiro e convencia-o a falar. Este não falava.O bispo alertava-o que vinha o carrasco e o partia todo e o obrigava a falar.E vinha e partia. Às vezes não falava.Mas quando chegava o Bispo, em termos de denuncia dizia tudo.Consta que, casos houve em que, o Bispo,levava uma punhal que era a própria cruz e fazia ele a “justiça”.Objectivamente, não posso identificar nenhum caso.O Senhor Eng.João Nunes, depois de 6 pareceres da CADA e de uma sentença diz lhe foi favorável, vem explicar..! Ficou aborrecido por eu dizer que vou continuar..! Pois vou a menos que… faça o que tem que ser e será, feito.. Esclarecer todas as minhas dúvidas.Eu prometo que não quero saber como se faz o “pitroleo”…Por um milhão de euros compro a máquina já feita e com monitor para explicar..!

    Pois. Depois de 6 pareceres da CADA, a dizer à Câmara via Presidente da Assembleia Municipal, que a BLC Obedece à LADA.Lei do Acesso aos Documentos Administrativos.Depois de a própria BLC pedir parecer àquela entidade, que lhe respondeu o mesmo;depois de na “bendita reunião” o Senhor Eng.João Nunes me ter dito que tinha pedido parecer à CADA e me daria os documentos se ele me fosse favorável; verdade é que o parecer me foi favorável mas, não entregou…!E eu pergunto Porquê? Como é que vem dizer agora que bastava pedir?.Quanto mais fala, o Senhor eng.mais se enterra. Então a Câmara perdeu a maioria e isso não foi decidido nem aprovado? Não tem esses documentos? Então a BLC3 tem 51 % das BLCs em que o Senhor tem 49% e não te nenhuns documentos de conta e da demais actividade? Então isto não é a saca rolhas? Como é que se lhe vai chamar? A ferros? Claro que vou continuar na justiça.E desta vez a sério,Até agora , tenho tentado cumprir a minha missão de fiscalização e acompanhamento da Câmara, dentro do acompanhamento político.De agora em diante será no campo jurídico.A CADA é presidida por um Juíz Conselheiro do Supremo Tribunal..A sentença é de um Juíz de 1ª instância. Acalme-se que a procissão ainda está quase toda na igreja. A questão a saber é se a BLC obedece à LADA. Todos dizem que sim,Se sim conte que ainda muito tem para explicar.Mas com verdade e coerência.Disse-me o senhor, na dita reunião essa “patranha” da ignição.Na primeira vez era por causa das bombas.Mas logo no concurso público o senhor não definiu as características do equipamento a fornecer. Escreveu para lá um “arrazoado” não há outro termo.Disse-me que “não mostrava porque não podia desembrulhar porque perdia a garantia”.Do que me é dado saber e já comprei e vendi milhares de equipamentos a garantia começa com a factura ou com a entrega, que costuma ser simultânea.Se nunca o desembrulhar fica sempre na garantia? Com menos conversa e mais transparência, volte a responder e diga, aqui, para nós todos, a marca, o modelo e as características dos geradores .Depois qualquer um de nós lhe pode dizer o preço.Mas para esse assunto o MP e a PJ já lá têm a denuncia, vou esperar.Eu nunca difamei a BLC nem os seus quadros por quem tenho respeito e até algum apreço.No seu caso, cada vez menos. Sabe, de mais, o apoio que tentei dar e o entusiasmo que mantenho com a BLC.O senhor e a sua gestão é que mo andam a diminuir… E já que fala em calúnias e difamações, até hoje calei-me quanto as respostas do Senhor Presidente.O que ele me argumentou foi com os km que o senhor cobrava diariamente de e para Coimbra, com o preço dos hoteis onde se hospedavam e o dinheiro que gastavam em representação. Admito que, agora, até o negue.Mas foi isto que o Senhor Presidente me respondeu. É normal empresas encubadas, logo no início de vida, fornecerem equipamentos para a BLC, onde estão, nessas condições e sem qualquer curriculum tratando-se, segundo o Senhor, de alta tecnologia..? Já as enumerei, não vale a pena, voltar a fazê-lo,Onde descobriu esse número de 0.48% para os subsídios da Câmara? Eu vou aqui publicar os três quadros principais das contas que os senhores me enviaram e depois, o Senhor explica-nos.No meu caso a minha desde já confessada “ignorância”.Os meus números dizem que sem o subsídio não sobrevivia..! Porque é que o Senhor não disse, o que diz agora, e o mais que perguntei?
    Quanto à diferença das propostas qual era o seu problema em mas mostrar e evidenciar essas diferênças, que diz existirem, no mapa de trabalhos? Não lhe pedi os mapas de trabalho e lista de preços unitários para comparar? O que é que tem a esconder? Alguma vez lhe perguntei por algo no campo tecnológico ou cientifico..?
    Vem o senhor, agora, dizer que é normal os técnicos ganharem pela propriedade intelectual. Mas é esse o espírito da BLC? Não é uma empresa sem fins lucrativos? Ou a empresa é os técnicos são para se fazer pagar muito bem?Será que andamos todos, a pagar subsídios para alavancar grandes vencimentos e grandes “encomendas” de trabalho “científico e intelecual”..? Por isso perguntava porquê, para quê e para quem foram os 271 mil para “trabalhos especializados”, no último ano..? O Senhor só vem confirmar as minhas suspeitas. Vá lá para o tribunal que, é mesmo lá é que eu os quero ver a responderem a estas questões.Eu já percebi muito bem as voltas e a “engenharia” que foi e é feita. É preciso é que os Munícipes o saibam, ou que o Senhor me prove que estou enganado.E tenho direito de ser esclarecido.Eu e os demais que pagam os impostos.. O Senhor António Lopes, e o senhor sabe-o bem,anda cá de borla e ainda paga para cá andar.Sobre o que o sr”António Lopes fez pelo Concelho o Senhor também sabe.A si, e aos que falam assim só lhes peço para fazerem metade.500 mil não chegam.Vão amealhando…Para já só lhes peço que sirvam devidamente remunerados mas com a transparência que todos percebamos.E se pensava que já se tinha visto livre de mim, pode ter a certeza que agora é que vai começar a sério.Para já está num TOC para o necessário estudo.Lá para a reabertura dos tribunais conte com uma coisa a sério.O meu entendimento da lei, escorado nos pareceres da CADA, vai muito além do seu entendimento dos conceitos de transparência e informação previstos na lei 50/2012 e não só.

    António Lopes

  • António Lopes

    Tal como prometi, e admitindo a minha semi ignorância no assunto, do que me é dado conhecer, os subsídios à exploração na BLC representam mais de 50% das receitas efectivas.Também já disse que considero a BLC uma “rede de pesca” de subsídios.Afinal todas a sua inovação, assenta nos ditos subsídios. Quanto aos da Câmara, que o Senhor Eng.João Nunes diz representarem 0,48%, ficam os quadros dos últimos três anos (http://www.correiodabeiraserra.com/quadros-3/), para análise dos Munícipes e leitores do CBS. Muito agradeço ser elucidado…E se tiver que pedir desculpa(não creio) , não terei qualquer dificuldade.Fico à espera.

  • António Lopes

    Tal como prometi, e admitindo a minha semi ignorância no
    assunto, do que me é dado conhecer, os subsídios à exploração na BLC
    representam mais de 50% das receitas efectivas.Também já disse que considero a
    BLC uma “rede de pesca” de subsídios. Afinal todas a sua inovação,
    assenta nos ditos subsídios. Quanto aos da Câmara, que o Senhor Eng.João Nunes
    diz representarem 0,48%, ficam os quadros dos últimos três anos (clicar no link a seguir) ( http://www.correiodabeiraserra.com/file/2016/08/BLC3_balanco_DR_2014_2015_.pdf ), para análise dos Munícipes e leitores do CBS. Muito agradeço ser
    elucidado…E se tiver que pedir desculpa (não creio) , não terei qualquer
    dificuldade. Fico à espera.

  • O Poeta

    Aqui vai a merecida homenagem ao ilustre António Lopes:

    Era uma vez um calha milhões,

    Agora está pobre conta os tostões,

    Esta morto de pobre mas dá safanões,

    Enricou na Madeira,

    Não com a bananeira,

    Tem a alergia a inchadas,

    Roubou nas estradas.

    Já não anda airoso,

    O mentiroso,

    A Câmara tirou-lhe a mama,

    Agora já nem tem cama.

    Qualquer dia vai de cana!

    Anda sempre na policia para se ambientar,

    Não tarda vai la parar.

    Disse ele que estava louco,

    Não era para pouco,

    Quer fazer um hotel

    Mas o gajo já nem tem papel!

    Deixou a Madeira a amantizada,

    Agora coitada nem recebe mesada!

    Ficou sem almoço,

    Perdeu as senhas,

    Come tremoço,

    Poupa nas banhas

    (amanhã há mais)

  • João Albuquerque

    Caro Sr João Nunes;

    O respeito não se exige, conquista-se, e neste campo o Sr João Nunes ainda está muito longe de o conquistar.
    Pela retórica que aqui deixou, até parece que temos passado estes largos meses a ignorar a informação que o Sr Nunes queria prestar!!! Não, antes pelo contrário, têm-a bloqueado a todo o custo, sonegando-a de todas as formas, quando devia estar expressa de forma clara e cristalina no site da BLC3.
    Se tivesse lido com atenção os artigos que por aqui tenho escrito, saberia que o orçamento que foi ganho pela empresa CIP, SA, esteve para consulta a partir das 17 horas de uma sexta-feira, até ás 17 horas do dia seguinte, um sábado. Gostava que nos mostrasse todo esse processo, para conhecermos essas grandes diferenças, assim como os valores dos outros concorrentes para além da CIP, SA. Não se esqueça, que a “pedra feia” ainda lá continua, e também faz parte dos seis edifícios que enumerou.
    Relativamente aos geradores, nem me pronuncio, pois a justificação é tão tola, que ficando mal num ignorante é inadmissível num académico. Num fornecimento de geradores, os acessórios são caríssimos e os geradores são ao preço da “uva mijona”, Só para rir.
    Outro grande calculo “guterreano” foi esse dos apoios camarários em 2015 representarem 0,48% do orçamento da BLC3 nesse ano. Já agora qual foi essa percentagem nos outros anos? Quer dizer, esquecendo os trabalhos que a câmara adjudicou, os alugueres das instalações que pagou, a electricidade, água e esgotos e impostos camarários que suportou, no ano de 2015 não representaram sequer 0,5% do orçamento desse ano? Grande orçamento. De acordo com os dados que agora conheci, a CMOH apoiou com 101.421,98€ nesse ano, que também não compreendo, pois 9000€ em doze meses soma 108.000€, mas está bem, são as contas do doutor, melhor seriam se fossem de “merceeiro”, talvez batessem mais certo, porque não consigo encontrar um valor de 21.129.579,20€ na demonstração financeira, no entanto, 101.421,98€:0,0048=21.129.579,20€, mais de 21 milhões de euros. O Sr Nunes não faz o caso por menos. Isto no mundo do “pitrol” é tudo aos milhões, no entanto a refinadora já “ardeu”, 119 milhões que se esfumaram.
    Não me querendo alargar, quero dizer ao CEO, que venha à terra, pois mais parece que anda com a cabeça no ar.
    Se foi isto que disse ao MP, gabo-lhe a coragem de pensar que são todos tolos e cegos.
    Quanto ás ameaças, como esta é a terceira, espero que seja de vez, no entanto como já sabe vai ter também a oportunidade de justificar todo isto e muito mais no TOC, portanto, ande calmo, que esta festa ainda nem começou.

    João Albuquerque

    • Poeta

      Já contornei esse bloquei manhoso que tinham aos meus comentáros…

      • aforrado

        Não é poeta, és uma petra, és uma pedra. Calhau. Pagam-te bem. Mas não és granito. És, mais, um aflito…que trovas lançam no ar…

  • tacucunacara

    Ai agora já há moderação de comentários
    Vocês são ridiculos

    • António Lopes

      Manter os teus comentários dá uma elevação, grande, ao debate..! Mas como vês não se exclue ninguém.Porque também não chateias ninguém.Não tens capacidade para isso.Pergunta lá na Câmara como tratam este jornal..! Nem o MA foi tão longe..! Não somos todos iguais…

  • Guerrinha

    Junta-se o gordo que so sabe beber

    Um só enrola

    • Guerra Junqueiro

      Beber engorda? Ou é alguma investigação “à BLC3”?

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro

  • Guerrinha

    Ficou miserável nem trocos par´as tunas

    Ignorante não produz nada,

    • António Lopes

      Quem prometeu que pague…

  • Guerrinha

    Não sabe nada o iletrado

    Passa os dias a roer-se de frustrado,

    Virou as costas aos comunas,

    • António Lopes

      E aos PSs, também..Não deste conta? Vai ler a acta de 28 de Dezembro de 2013…

  • Guerrinha

    Trás consigo o gordo do ervedal,

    Dá-lhe Nestum e vinho,

    E já tem um amiguinho

    • António Lopes

      O outro era mais para a cerveja.Esquecia-se era de quantas bebia e que era preciso pagá-las…Cá para mim eras tu…na mouche..?

    • Guerra Junqueiro

      Nestum? Come-o tu.
      O homem é mais para produtos nacionais.
      Está à espera que a BLC3 consiga fatiar e plastificar o queijo da serra. Os investigadores e inventores não saem da cepa torta. Nem as pêras conseguem secar. São como tu, mais para os projectos e fundos perdidos.

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro

      • gambal

        Só para encher chouriços, já que falamos de comida!

        Era uma vez um calha milhões,

        Agora está pobre conta os tostões,

        Esta morto de pobre mas dá safanões,

        Enricou na Madeira,

        Não com a bananeira,

        Tem a alergia a inchadas,

        Roubou nas estradas.

        Já não anda airoso,

        O mentiroso,

        A Câmara tirou-lhe a mama,

        Agora já nem tem cama.

        Qualquer dia vai de cana!

        Anda sempre na policia para se ambientar,

        Não tarda vai la parar.

        Disse ele que estava louco,

        Não era para pouco,

        Quer fazer um hotel

        Mas o gajo já nem tem papel!

        Deixou a Madeira a amantizada,

        Agora coitada nem recebe mesada!

        Ficou sem almoço,

        Perdeu as senhas,

        Come tremoço,

        Poupa nas banhas

  • Guerrinha

    O pobre veado

    Resta-lhe marrar,

    Já que não pode mamar

    Anda na net

    Nem sabe onde se mete,

    • António Lopes

      Isto foi escrito diante do espelho..! Vai uma apostinha..?

  • Guerrinha

    O caga milhões é um safado,

    O pobre coitado esta acabado,

    Anda azeado

    • António Lopes

      São muitos nervos…”falido acabado azeado”, não param de lhe dar troco..! Quando foi para os sentar na cadeira já sabiam o que sabem agora.Não se incomodaram porquê..? Olha se ele andasse bem..! Terá sido por causa dos 048%.. que ficaram assim? Os documentos não metem…quero dizer.Nas contas da Câmara, aprovadas no dia 26 de Abril, diziam que tinham 44%.Afinal só já sobram 31,82%..! Por alguma coisa não querem que os números se saibam.As receitas ou vêm da Câmara ou de outras organizações públicas ou da UE.A facturação, como se prova, são uns trocos…Conversa séria, pelos vistos, não interessa.Vai lá ver os mapas que me mandaram…

      • ghosty

        Era uma vez um calha milhões,

        Agora está pobre conta os tostões,

        Esta morto de pobre mas dá safanões,

        Enricou na Madeira,

        Não com a bananeira,

        Tem a alergia a inchadas,

        Roubou nas estradas.

        Já não anda airoso,

        O mentiroso,

        A Câmara tirou-lhe a mama,

        Agora já nem tem cama.

        Qualquer dia vai de cana!

        Anda sempre na policia para se ambientar,

        Não tarda vai la parar.

        Disse ele que estava louco,

        Não era para pouco,

        Quer fazer um hotel

        Mas o gajo já nem tem papel!

        Deixou a Madeira a amantizada,

        Agora coitada nem recebe mesada!

        Ficou sem almoço,

        Perdeu as senhas,

        Come tremoço,

        Poupa nas banhas

  • António Lopes

    É incrível,mesmo..! Diria mais.VERGONHOSO::! Da próxima levo gravador.E como só estava-mos os dois…Isto define bem o carácter do Senhor Engenheiro João Nunes. Confesso, uma surpresa..! E volto a perguntar.Se é sem fins lucrativos para que quer 49%? Eu sei, nós sabemos, que não tem quaisquer direitos sobre a Associação BLC3. Nem é essa que me preocupa em excesso.O que me preocupa, especialmente , é a BLC3 Evolution…onde a associação que todos pagamos tem 51%, e a forma como “o moinho mói”..! Qual o “carinho” que a “mãe” dá às “filhas”..?Com calma lá vai explicando…”os 49% são o direito de quem desenvolve uma ideia..!” AS Spin off..! Pelos vistos, o Senhor Engenheiro desenvolveu a ideia, brilhante, confesso, de arranjar instalações e arranjar quem lhe pague ordenado garantido, deslocação,renda, água, luz etc, e ainda retire os tais 49%.das “outras ideias”..!Logo, essa invenção da explicação do preço dos geradores, quanto a mim, também merece “registo de patente”..! Brilhante mesmo..! E como sou educado nem lhe digo o que se costuma chamar a quem tem tanta ideia..! Nos meios académicos, parece, chamam-lhe cientistas.Nos meios onde me movimento, damos-lhe um nome mais “abrangente”….Pelos vistos também se esqueceu da resposta que me mandou e já aqui publicada, para não entregar os documentos..! Ao menos essa espero que não negue pese, dizer acima, que esclarecia tudo, se lhe pedissem..! Só pode ser para a gente se rir..! O grave é que somos todos a pagar e o País já nem independência tem..! Por estas e outras parecidas, os serviços fecham e os ICs assumem,agora, são para esquecer..! Não dá para tudo..!

    “O Sr. António Lopes agiu de má fé e com manipulação política ao referir no jornal Correia Beira Serra sobre a questão de que tenha qualquer direito sobre a Associação BLC3, referindo que: “Perguntei-lhe para que é que ele queria 49 por cento de uma empresa sem fins lucrativos. Para meu espanto a resposta surgiu em forma de pergunta: “quem lhe disse a si que é sem fins lucrativos?”. Isto é incrível.”

    Pedi os estatutos.Não mos entregam porquê?

    • Fervido

      Tem noção que eu nem leio essas respostas do nivel abaixo de péssimo.
      Deves andar aí a ferver para desvendar quem sonos!

  • O Honesto

    Lopes Lopinhos…
    Andas a alterar os votinhos.
    Que idoneo que ele é!!
    Estive aqui a noite toda so para te ver a mudar os resultados.
    É sempre assim que fazes?
    Não ganhas em palavras ganhas pelo desonesto como toda a vida fizeste?

  • Poeta

    Só para manter os cidadãos informados com a realidade.
    Aqui vai mais uma vez:

    Era uma vez um calha milhões,

    Agora está pobre conta os tostões,

    Esta morto de pobre mas dá safanões,

    Enricou na Madeira,

    Não com a bananeira,

    Tem a alergia a inchadas,

    Roubou nas estradas.

    Já não anda airoso,

    O mentiroso,

    A Câmara tirou-lhe a mama,

    Agora já nem tem cama.

    Qualquer dia vai de cana!

    Anda sempre na policia para se ambientar,

    Não tarda vai la parar.

    Disse ele que estava louco,

    Não era para pouco,

    Quer fazer um hotel

    Mas o gajo já nem tem papel!

    Deixou a Madeira a amantizada,

    Agora coitada nem recebe mesada!

    Ficou sem almoço,

    Perdeu as senhas,

    Come tremoço,

    Poupa nas banhas

  • O amigo do voto livre

    Esta noite a votação foi muito activa ou o responsável do jornal adormeceu e não controlou como foi acusado as votações no questionário. É que num piscar de olhos cerca de 100 votos apareceram a favor de que a BLC3 não deve entregar todos os documentos. Cá para mim alguém trabalhou muito para coordenar a votação e como, ao que me apercebo, só se pode votar uma vez por cada computador (IP) deve ter sido uma azáfama. Pelo menos não podem acusar, penso, o jornal de manipular as votações a favor dos desejos do senhor Lopes.

  • Carlos Borges

    Muito dos comentários aqui postados deviam ser removidos. Há quem utilize este espaço para insultar em especial o senhor Lopes. Não apresenta um argumento válido. Nada. Se pretende insultar os senhores, seja homem ( como o senhor que assina como Poeta) e vá de encontro a tais personagens e diga-lhes o que tem a dizer na cara. Isso sim é de homem. Aqui, aproveite o espaço e debata ideias. Se não tem cérebro para tal deixe de incomodar com insultos execráveis que não interessam nada a quem, apesar de não agradar a alguns, ainda gosta de debater ideias. A mim pouco me importa se o homem está falido ou não e se era milhões e agora tostões. O que me interessa é saber onde pára o dinheiro dos contribuintes, entendeu Poeta? É que com a sua atitude só está a denegrir a imagem da BLC3 e do Dr. João Nunes. Não quero acreditar que responsável pela BLC3 ou o responsável da CM Oliveira do Hospital se revejam em tal tipo de linguagem.

  • Vermelhão

    De repente, parece que a má educação se impôs. Como normalmente nestes casos o desprezo é a melhor forma de a combater , sugiro que ninguém responda a esse tipo de comentários.

    • António Lopes

      “Vermelhão” :Sou pela livre expressão e o jornal já foi condenado se opor a todo o tipo de censura e não gostar de eliminar comentários.Quando os mesmos pretendem atingir a minha pessoa, porque penso não ter nada de grave a esconder tenho transmitido aos senhores jornalistas para que, por im, os deixem ficar. Depois, quem vem para a política tem que vir preparado para tudo… e mais alguma coisa.E, é por isso que a qualidade dos políticos,cada dia deixa mais a desejar.Nem todos pensam assim e nem todos estão para ver a sua vida devassada e o seu bom nome permanentemente conspurcado.Sou dos que pensam que não se lhes pode facilitar o caminho-.A vida política tem vindo a ser progressivamente invadida pelo inverso do desejável.Em vez de serem os melhores da sociedade, são cada vez mais, os piores.Os ineptos ,descobriram no transportar de uma bandeira e no assinar de um cartão, uma forma de ganhar a vida com umas benesses que de outra forma dificilmente atingiriam.Daí considero normal e quase elogioso, este tipo de comentários-É o sinal que incomodo o que me leva a pensar que, se calhar, estou a fazer bem, a missão a que me propus e os munícipes me confiaram.Se os defensores de uma instituição internacionalmente reconhecida e com todos os méritos de que temos vindo a ser informados são desta estirpe, só posso ficar mais preocupado com os investimentos que, todos, andamos a fazer.O que nos vale, é que, sendo eu um crítico, reconheço à BLC, mais.Muito mais.A ideia é boa.Os caminhos que alguns andam a trilhar é que não me parecem os melhores. Fiquei estupefacto com a afirmação do Senhor Presidente da instituição de que não me disse: “Quem é que lhe disse que não é com fins lucrativos”..! Quando se chega a isto, aquele nível, interrogo-me se vale mesmo a pena…

  • JPCRUZ

    na minha modesta opinião, a BLC3 deveria de ser uma grande alavanca do desenvolvimento de Oliveira do Hospital que não o é infelizmente. E porque não é?
    porque eu só vejo a BLC como uma incubadora de projectos e nada mais quando será que eles saem cá para fora?

  • Jorge Oliveira

    De facto o que aqui se passa é uma vergonha. Infelizmente a sociedade oliveirense tem muitos maus exemplos.
    Caro Sr. António Lopes, o senhor foi presidente da nossa Assembleia Municipal, devia ser o primeiro a dar o bom exemplo. O que aqui se passa envergonha-nos a todos.
    Aqui nada resiste, é deitar lama em cima de todos.
    Os oliveirenses são gente de bem.
    Não merecem a lama que tentam jogar para cima dela.
    Efectivamente isto não é um jornal, é um blogue ao serviço dos que pretendem apenas destruir e maldizer.
    Maldizer a BLC3 é´cortar as pernas ao desenvolvimento de Oliveira. Se a BLC3 ganha prémios a nível internacional deve ser por alguma razão? Porque razão a União Europeia considerou a BLC3 como um dos 5 melhores projetos europeus de crescimento sustentável?
    Aqui em Oliveira parece que o melhor é desancar em quem trabalha, em quem sonha, em quem concretiza, sim passei ontem em Lagares e parece que todos os dias que passam aquele investimento abandonado ganha vida.
    Para nós Oliveirenses a vida ganha em Lagares é uma alegria.
    Para alguns que aqui escrevem é uma tristeza

    • António Lopes

      Senhor “Jorge Oliveira”: Vou partir do princípio que o nome é verdadeiro.De facto, muito do que se passa em Oliveira é uma vergonha.E porque fui, efectivamente, “presidente da nossa Assembleia”, mas não era necessário ser é que me dou a “estas vergonhas” como lhe chama. Este blog deu todo o espaço, que foi muito, ao Senhor Presidente da BLC, para nos “esclarecer” e acabar com as “vergonhas”.Que fez o Senhor Presidente da BLC? Tentou “adormecer-nos”.

      A celebre história dos geradores, que não é a única nem a pior,já conheceu, pela voz do Senhor Presidente da BLC várias versões.Eu para acabar digo apenas isto.Se fosse comigo aproveitava, agora, a EXPO e punha lá os benditos geradores e um funcionário a explicar o preço, as características e o porqueê de serem tão caros.SE fosse comigo, chamava lá logo o António Lops que me questionasse, esfregava-lhe a factura nas trombas e defendia a minha honestidade.Não.Fui lá e disse-me que não mos podia mostrar porque perdia a garantia.Já me contou duas histórias diferentes para o elevado preço.As bombas que moviam e, agora, a resistência de temperatura, que custa uns trocos..! Hoje mesmo, cheguei agora para jantar, porque estive a mudar uma bomba de injecção de um Cummins de 550 KVA de um para outro.Sim.mesmo falido tenho lá dois desses.Mas. também tem lá um Dormam de 630 KWA e mais uma “canalhada” mais miuda. O mais pequeno é de 17,5. Para prestígio da BLC, do projecto de que sempre fui um entusiasta,e de quem lá trabalha, o Senhor João Nunes tem que me mostrar os geradores.Não que eu não saiba o que está lá.Mas terá que ser ele a fazê-lo.Enquanto o não fizer e não me convencer do que diz, arrogo-me o direito de pensar o que penso, que não é lá muito abonatório…

      Quanto ao espaço da Acibeira, já houve outros iluminados que gastaram lá uns milhões, que andamos todos a pagar. Eu, com todo o respeito, e sem lhe tirar razão, não me comovo com estes discursos à Jorge Oliveira. Eu quero ver é números e resultados.Até agora vejo é muita, falácia, muita propaganda e muito subsídio.Até agora, o que conheço, é a sair, de forma esquisita para, onde, penso, não devia sair.Se estou enganado, provem-me.Eu já disse para onde foi e como foi. Já disse as pistas todas.E os números certos.Já convidei para nos dizerem a marca,modelo e características dos geradores.Não dizem porquê? Afinal gostam de alimentar a discussão…e a maledicência…A mim, quando me “picaram” disse as dívidas que tinha na Caixa, e a outros bancos até ao cêntimo.Se tiver que o voltar a fazer é na hora.E é a minha vida privada que não tenho nada que esclarecer.Agora a pública,,,tem a tal LADA…são obrigados a divulgar…Esclarecido..?

      • Jorge Oliveira

        Senhor António Lopes, faz-me lembrar aqueles gira discos antigos com discos riscados. Rodam, rodam e saltam, tocam sempre a mesma parte. E repetem e repetem. Diga-me uma coisa, é ou não positivo para Oliveira que haja hoje dezenas de investigadores que vieram de fora e aqui estão a trabalhar? É ou não positivo para Oliveira que haja uma incubadora de empresas com o seu espaço totalmente ocupado (19 empresas) que crie emprego e riqueza? É ou não positivo que se esteja a trabalhar em inovar e se arranje soluções para riquezas mal exploradas da nossa região, como é o caso da Pera Passa, do queijo da Serra ou de outros recursos? É ou não positivo que se encontre uma solução que traga valor aos matos que nascem espontaneamente no nosso território? É ou não positivo que uma instituição de Oliveira trabalhe com 123 investigadores a produzir conhecimento até ao momento 12 processos de propriedade intelectual? É ou não positivo para Oliveira que se transforme um espaço abandonado, degradado e desprezado num espaço com vida e com gente que trabalha? É ou não positivo para Oliveira que se traga investimento (mais de 9 milhões até ao momento), mesmo que subsidiado? É ou não positivo que se tenham criado até agora 52 postos de trabalho qualificado e jovem? É ou não positivo que se criem condições para que a ESTGOH se fortaleça? É ou não positivo que no interior, em Oliveira, haja um espaço de ciência e de investigação com uma rede de parceiros de 55 instituições em toda a Europa? É ou não positivo que se tenha apoiado o investimento em projetos agrícolas? É ou não positivo para Oliveira que haja instituições aqui localizadas que são premiadas internacionalmente? É ou não positivo que a União Europeia considere a BLC3 como um dos 5 melhores projetos de crescimento sustentável? É ou não positivo que se rentabilize uma infra-estrutura onde o país investiu e nunca tinha visto qualquer retorno? É ou não positivo que o Presidente da Câmara aposte no empreendedorismo e na fixação de população? É ou não positivo que haja uma instituição que apoie o tecido económico da região?
        Em qualquer parte do mundo um projeto com estas características é fortemente apoiado pela sociedade onde se insere, neste espaço do Correio da Beira Serra, liderado pelo Sr. António Lopes, é atacado todos os dias.
        Porquê? Porque o Sr. perdeu o concurso e não conseguiu fazer os seus negócios lá? Se os fizesse mudava de opinião? Ou foi porque se incompatibilizou com o seu ex-amigo Presidente da Câmara?
        Sabe Sr. António Lopes a vida ensina-nos que às vezes temos que deixar os nossos ódios de lado, acabamos por perceber melhor a realidade que nos rodeia. E a realidade que nos rodeia é que nós em Oliveira e em Lagares estamos muito melhor com a BLC3 do que sem ela. Esclarecido…?

        • Vermelhão

          É óbvio que a BLC3 é boa para Oliveira. Não me parece que isso seja sequer questionável. Mas sê-lo-á a qualquer preço? Desde logo não me parece que se estejam a discutir os méritos da BLC3, mas sim as suas contas e a sua gestão. E porque continua a ser difícil o esclarecimento de algumas dúvidas, continua a alimentar situações que certamente podiam ser evitadas. Se não houvesse dúvidas, e algumas continuam a ser pertinentes, de certeza que o assunto morria.

        • António Lopes

          Tem toda a razão e tenho perfeita consciência disso.É intencional.Quer que volte a falar nas empresas encubadas que acabadas de nascer forneceram tudo até aos limites legais do ajuste directo,num projecto dito de alta tecnologia? Deve ser empresas prodígio..!? Para as não prejudicar falo só nos geradores.Mas já lhes disse que tem coisas bem piores.Eu, sob tal suspeição, resolvia o problema na hora.Expliquem-me é porque não o resolvem e ando desde 16 de Maio de 2014 a bater a todas as portas para saber o que a lei me consagra como um direito a ser respondido em dez dias? O disco é riscado e os esclarecimentos não saem porque se saírem,estou em crer ,é muito complicado.Encontra outra explicação? Eu, agora, já me contento com a marca modelo e as tais especificações…Sou assim tão exigente..? É que, em condições normais a máquina custa 8 mil euros.Pagaram 35..? E quer que eu me cale..?

        • João Albuquerque

          Caro Jorge Oliveira ;

          Pode contar com a repetição, pois o gira discos não vai parar até que a letra da música seja por todos conhecida.
          Tudo é positivo se for para o bem de todos em vez de alguns. Quem são, e como são escolhidos os investigadores? O que investigam? Quanto custa? Servem a ESTGOH? Servem o concelho? Criam riqueza? Criam postos de trabalho? São este tipo de investigadores que nos interessa? É preciso mostrar estes números.
          É bom que haja empresas sustentáveis, incubadas na BLC3 ou fora, desde que no concelho. Não convém e incubar “Informallize’s”.
          Como estão esses estudos da Pera Passa? Ainda não vi nada, aliás funcionavam melhor há 50 anos atrás tal como os queijos, estes nem fatiados nem por fatiar. O que vi, foi uma tal máquina de secar frutas à venda por 600 mil euros, mas acho que ninguém a comprou, sendo o estudo dela feito numa metalomecânica de Coimbra. O que fizeram os investigadores?
          Onde é que está a solução para os matos? Já andam há uns anos a falar nisso e a receberem fundos para tal. Na pratica como é que estamos? Igual ou pior, a BLC3 não resolveu nada.
          A ESTGOH tem que se fortalecer por ela, se precisa de laboratórios e de investigadores, que use das suas capacidades para o fazer, ou também é a CMOH que tem que suportar esses custos na BLC3?
          A BLC3 ainda só ganhou prémios para projectos, no terreno é zero total.
          O presidente da câmara se investe numa empresa privada, tem que investir em todas, no entanto a Lei não lho permite fazer. Entregou 60 mil para um trabalho de tratamento de águas à BLC3 que nunca apareceu, entregou 60 mil para ajudar a pagar um empréstimo que é uma ilegalidade atroz, pois assim tem que ajudar a pagar todos os empréstimos que os munícipes realizem.
          É preciso saber-se o que se passa, por onde anda o dinheiro dos munícipes, pois o município já lá colocou mais de um milhão e duzentos mil euros, é muito dinheiro para se dar a uma empresa privada, se é como dizem ser, as outras também têm direito.
          Os fundos que recebem da europa, são constituídos com o dinheiro que mandamos para lá, pois neste momento mandamos mais do que recebemos, como tal, têm obrigatoriamente que dar conta deles.
          A BLC3 tem sido um ninho de poucos pássaros, vamos ver qual deles é o cuco.
          Esclarecido?

          João Albuquerque

  • António Lopes

    Tem dias em que me interrogo sobre o Mundo, a evolução da humanidade e as coisas básicas da vida.Sobre esta crítica, justíssima, do “Jorge Oliveira” fiquei a reflectir.

    De repente, encontrei-me na Roma antiga e na sua tentativa da democracia.Fui ter à Grécia, a “mãe” da mesma.Debrucei-me sobre os princípios de Esparta.
    Sobre o “disco riscado”,assaltou-me Bertold Brecht, e os seus ensinamentos entre o revoltado e o revolucionário.E, é aqui, que encontro a melhor resposta para o “Jorge Oliveira”. O revoltado, tem um “repente ” em que é capaz de “matar” toda a gente.O revolucionário, sabe que as mentalidades levam tempo a mudar.Sabe que as grandes modificações só acontecem, quando são fruto de uma vontade colectiva. Sabe, como ensinou Brecht que, às vezes, tem que se dar um passo atrás para, depois ,dar dois em frente.É uma luta de avanços e recuos.Não se pode, é perder de vista o objectivo.Aparentemente, hoje, sou um homem vencido. Mas, estudei Genhgis Khan.Átila,Aníbal.Alexandre o Grande, e alguns dos Césares.Estudei, muito, os grandes cabos de Guerra da 2ª Guerra Mundial.Peton,Weisenhower,Bradley. Alfred Jodl. Wielm Keitel, Erwin Rommel, Von Randsthadt Walter Model,Paul Hausser, Hans Guderian Von Manestein, Kesserling Karl Donitz Josef Paulus Josef Mayer e “o então considerado o homem mais perigoso da Europa” Otto Skorzeny e tantos outros.Conheço a luta quando em minoria, vulgarmente denominada de guerrilha.Estudei o craque dos craques. Ho Chi Minh, que, sendo professor primário, derrotou a grande Legião Estrangeira e a França,em 1954(Até que me provem o contrário o melhor corpo militar do Mundo) em Dhien Bien Phu e o poderoso “Tio Sam”.Leia-se Exército dos Estados Unidos, em 1975.Para dizer, ao “Jorge Oliveira” que, quando em minoria, tem que se utilizar a táctica do desgaste.Eles compram lonas pelo dobro do preço.Eles compram geradores por quatro vezes mais.Eles fazem ajustes directos para gerir as clientelas e outros interesses.O poder corrompe.O absoluto, absolutamente.Pagar, pagamos nós..! Explicar, eles não explicam.Eu, não critico por criticar,Digo como, onde e quando.Se é mentira porque não me levam a tribunal e não exigem a reparação moral.? Explique para mim,,? Consegue..?Eles não..!Um político, que se preze, quando sob suspeita pede a suspensão do mandato.Eles pediram..? O MP mandou investigar as minhas denuncias.Sinal que lhe pareceu haver indícios..! Então..?Como é que se combate isso?Uns subsídios, uns artistas para a festa de Verão,um emprego para a esposa o filho ou a nora,Lá se vai a “setinha”, o “lacinho” e o mais que se opuser,porque se “compra” Quer factos e nomes..? Nomes talvez não diga.Muito menos aqui.Mas em privado digo-lhe..!.Vamos com quem der mais..! Vou perder porque só ofereço trabalho e honestidade..! Felizmente, como dizia o poeta(que nem aprecio muito): “Há sempre alguém que resiste.Há sempre alguém que diz não”..! Leia “as Farpas” do Eça e do Ramalho.Leia Guerra Junqueiro. Este discurso está lá.E foi há mais de 150 anos. “Porra” … não somos capazes de evoluir nada..?E são os filhos dos agricultores e dos pedreiros que andam a fomentar estas miseráveis políticas.Gosto tanto do Concelho de Oliveira do Hospital, que, todos aqueles que pensem fazer da política, uma forma de ganhar a vida desonestamente,(e são muitos),enquanto eu for vivo, não terão paz.E não preciso de ser eleito.A lei dá a qualquer um de nós, os meios bastantes para uma intervenção cívica activa.É preciso é ter coragem, motivação e sentido de progresso.Se não for-mos nós a defender os nossos interesses, é legítimo e justo que alguém o faça por nós? Fica a interrogação.E um pedido de desculpas se algum dos nomes estrangeiros, dos vultos militares, não estiver correctamente escrito,Admito que não esteja e não estou para ir pesquisar. Não costumo citar de livro aberto, como alguns “eruditos” cá do burgo..!

    • Filipe

      Sr. António Lopes,
      Esta gente não percebe que o senhor apenas pretende transparência nas nossas instituições publicas, será assim tão difícil de entender? Eu tenho muita consideração por si enquanto cidadão, é um dos grandes beneméritos do no nosso concelho e tem a coragem e inteligência de poucos. E no que diz respeito a BLC3, tal como o senhor, eu não quero acreditar que seja esta o maior flop do nosso concelho… o avião ainda está na pista, mas vamos ver se chega a levantar voo. Eu espero que sim.

    • Trabalho científico

      Não se mace, muito, com os arrebiques que por aqui andam…
      Toda esta gente “mamou”, e “mama, numa teta que, todos nós, os pagantes, mais tarde ou mais cedo, hão-de largar…
      Demora…porque a teta, essa que já vem da monarquia, sempre serviu a tais “republicanos”, depois, “democratas”…
      O tempo, assim ele corra, deixará, a seu devido tempo, as marcas que estes hipócritas, vendilhões, mesmo que o não queiram, que o contradigam – agora! – deixaram.
      Negócios montados na democracia….que ao povo, a esse, sempre atribuíram, apesar das hossanas, um lugar de “bestas”…e, ainda hoje, assim o consideram…
      Sócrates, o imbecil, durante os primeiros anos da sua desgovernação – não falando da sua tribuna de orador, qual lutador contra o lixo, para além dos centros comerciais, a céu aberto, lá debitou teses, cientificamente fundamentadas, para defender a co-incineração nas cimenteiras que terminavam a sua acção, para lhes renovar os contratos, negócios de largas centenes de milhões de euros…tudo, devidamente, fundamentadamente, cientificamente, apresentado. Seria interessante, ainda hoje, conhecendo o “modus operandi” de sócrates, como hoje se conhece, quais foram os “créditos” – réditos, havidos em tal , “charmosa”, operação…
      Sócrates, esse desungido, o ex-absoluto, o ex-candidato, o casineiro-mor, deixou um rasto, qual cometa nesta lusa pátria nunca visto,..que anda agora, de amigos na mão, a sobreviver, coitado – um sacana que deu cabo da vida de milhões de portugueses, e ainda ri , tem, nesta giesta de magníficos “socialistas”, sabemos porquê, os seus verdadeiros seguidores – ou terá sido esse socratino que os seguiu? – para todos os fins, desde que de negócios se trate.
      Os ventos, apesar, hoje, sopram em diferentes sentidos.
      Foi demasiado longa a exposição, extremada com sócrates, do aparelho do Ps em negociatas em prol de meia dúzia, que é como quem diz, de milhares de militantes socialistas que fizeram fortuna graças ao desempenho de cargos públicos….e continuam a ir assistir a jogos de futebol..
      Porventura, este resquício desses indigentes democratas, ainda hoje, pretende manter os seus quintais rentáveis, disfarçados, mesmo por aqui, sítios onde ninguém, à partida – eles continuam a pensar que o povo é burro, e assim continuam a agir , se não, toma lá com um trabalho científico, com uma universidade, com um título qualquer vindo não se sabe de onde, nem porquê, nem como, nem quanto custou, em dinheiro ou tráfico de influências, tal é a cartilha – dizia-se, este poderá ser um dos – muitos – ainda núcleos socratinos que vigoram, neste país. Com a benção, protecção e interesse, objectivo, de um dos maiores responsáveis do PS deste país e que, por aqui, e fora daqui – até no parlamento europeu – bem conhecemos.
      Que se cuidem.
      A brecha, está aberta.

  • Um Anónimo Como Tantos Outros

    Desde há muito tenho vindo a acompanhar este conjunto de afrontas que o Presidente destituído da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital tem vindo a apresentar à BLC3 e embora sempre tenha permanecido tácito sobre o assunto acho que é chegado o momento de tecer as considerações que acho sobre o mesmo, apesar de não ser o dono da verdade como muitos se julgam. Deste modo vamos proceder à realização de um exercício lógico como o Sr. António Lopes diz ter, bem como vá de encontro ao que o Eng. João Nunes aprendeu ao longo do seu percurso académica, para que nenhum fique a perder.
    Em primeira instância, existem várias perguntas a realizar a ambos os lados desta contenda. Assim sendo: Que motivos tem o Sr. António Lopes para repentinamente se preocupar tanto com a BLC3? Porque motivos a BLC3, embora tenha sido fundada em 2010, não apresenta resultados palpáveis? Para que fins são utilizados os fundos que a Câmara Municipal cede à Associação BLC3? Embora existissem muito mais questões vamos ficar-nos apenas com estas três. Seguidamente, procedamos a um exercício de raciocínio lógico, tendo por base o nosso melhor amigo o Google, pois para citar-nos devemos fazê-lo de forma assertiva e não escrever de cor para que não hajam falhas.
    A primeira notícia que mostra a alegada preocupação do Sr. António Lopes dos encargos e do envolvimento que a Câmara Municipal tem com a Associação BLC3 surgem em junho de 2014, curiosamente três meses depois deste ter sido destituído da presidência da Assembleia Municipal e peitado uma guerra com o atual Presidente do município. Para não considerem o meu argumento como uma mera difamação contra o Sr. António Lopes vamos saber que comentários tecia este sobre a Associação BLC3. Numa notícia do CBS datada de 7 de outubro de 2012 é o Sr. António Lopes é citado considerando a BLC3 como “uma referência no meio da investigação científica”. Mas agora confundi-me antes a BLC3 era boa agora é má, antes a CDU também era boa e passou a ser má e a mesma história aconteceu também com o PS. A grande dúvida que me invade reside se o Sr. António Lopes não é como as folhas ao vento que bailam para o lado que lhe dá mais jeito, mas creio que não.
    Sendo os esclarecimentos prestados pelo Presidente do Conselho de Administração da BLC3, o Eng. João Nunes, este informa-nos que os mesmos são utilizados para o “apoio ao Tecido Económico da Região”. O mesmo apoio que anteriormente o Sr. António Lopes e este mesmo canal de informação nos davam conta, mas que atualmente olvidaram.
    Para tentar-se responder à última pergunta que enunciei no início deste comentário vamos aferir se existem ou não resultados palpáveis do trabalho desta Associação. Será resultado ou não a cerca dos 52 postos de trabalhos criados, pelos 24 projetos de I&D que este núcleo de investigação se encontra a desenvolver, a captação de 9.62 milhões de euros captados para a região, o apoio ao desenvolvimento de 19 ideias e empresas no seu centro de incubação? (Consideram-se os indicadores apresentados no website da Associação). Para não se falar no reconhecimento internacional que lhe foi efetivado a esta Associação como sendo tendo um dos 10 melhores centros de incubação da Europa e 25 a nível global, bem como ser finalista na atribuição de um outro prémio promovido pela Comissão Europeia, a RegioStars. Se isso não são resultados tangíveis o que se poderá considerar, para não se falar no potencial que a mesma Associação poderá alcançar com a sua mudança para Lagares da Beira.
    Para finalizar este meu extenso comentário, mas não tanto como eu gostaria, deixo duas recomendações, uma ao Sr. António Lopes e outra ao Eng. João Nunes. Para o Sr. António Lopes, um homem que diz defender o direito do povo e sendo faz constar de ideais de esquerda, não é de bom tom referenciar nos seus comentários fascistas, tiranos e ditadores sanguinários que apenas se preocupavam com o poder que, alegadamente, V. Exª considera tão perversos. Para o Eng. João Nunes ao longo da sua vida surgiram sempre ventos adversos que terá de saber lidar com eles e apenas uma coisa poderá fazer com que os ultrapasse e essa coisa é a consciência tranquila, e eu espero verdadeiramente que a tenha, pois a maior enfermidade do ser humano é a inveja.

    • Guerra Junqueiro

      Com que então o problema é inveja?
      Ó António, vai dar banho ao cão.
      mostra números, mostra os projectos, mostra quem são esses postos de trabalho e como são atribuídos, mostra os fornecedores, mostra os empreiteiros, mostra os fiscais.
      Quanto ganha o João Nunes? Quanto ganha o Campos? Quem atribuiu as regalias?
      Quanto meteu a câmara? Quantas cartas de conforto já elaborou para pedirem empréstimos?
      E para não saturar, os resultados? Onde estão?
      Não és António, és um lérias.

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro

    • Desidério

      Só dizes tudo o que aqui escreveste porque sabes que, da justiça – essa miragem! – já tiveste indicações favoráveis…ao livre arbítrio de, em nome da democracia, tudo trafulhar…(calhando, também foste ver a selecção a Paris…convidado por uma grande empresa…e , caso a coisa venha a dar para o torto, também dizes que pagas…)
      Vai dar banho ao cão.
      É o “xuxalismo” do PS no seu esplendor – safam-se meia dúzia para deixar milhões ao “abandono”! A pagar as dívidas.
      O povo português há-de, mais tarde ou mais cedo, colocar os “xuxalistas” , que tais, na ordem. Ou a justiça.
      Vão gamar para a beira da estrada.

  • António Lopes

    A conversa até é interessante..! Só é pena vir de um “anónimo como tantos outros”..! Se quem escreveu tivesse a coragem de assinar a “coisa” e vestisse umas calças de homem,ainda era mais interessante.”O antigo presidente da Assembleia Municipal”, que de direito ainda é o actual,também podia ser “um anónimo como tantos outros”.Debitar o que debita e salvaguardar a imagem.Mas, tem um defeito.Dá o corpo às balas “doa a quem doer” e “morra quem morrer”,dá aos “bois” o devido nome.E sabe que, na maioria dos casos, até nem beneficia a imagem.Mas também é verdade que gosta desta e não a quer estragar..!Sempre com o cuidado de não ofender os pachorrentos e serviçais animais.O senhor anda descuidado.Nesta mesma notícia, penso,encontra largos elogios meus, à BLC3. O Senhor Presidente da BLC sabe que sou, e sempre fui, um entusiasta da BLC. Posso não ser dos seus (maus ????) gestores..! Acho que, para eles, gerem até bem de mais..!Queria provar.Eles fazem tudo para que não consiga..! E, para seu esclarecimento, é por ter tanta expectativa na BLC que tudo faço para que não seja desvirtuada.Já que anda a reflectir,quero dizer-lhe que a BLC com esses milhões todos, que não vêm nas contas, e não vou dizer que são virtuais,vou dizer que são um sorvedouro dos nossos impostos.Gosto tanto da BLC que não quero dizer tudo o que sei.Mas quer que lhe diga quantos projectos de “excelência”já “borregaram” levaram o dinheiro e não se soube mais deles..? O que se anda a fazer na BLC ,já é velho onde, efectivamente, se investiga.O grande projecto (Biodiesel),nunca mais arranca porque toda a gente sabe que não tem pés para andar.Era para ser apresentado com pompa e circunstância na AM de Fevereiro de 2012. Isso foi há quantos anos? A BLC começou a “mamar”, à tripa forra, quando? Saí do projecto PS porquê..?Precisa de mais respostas e justificações para a minha atitude? O incoerente sou eu..?Os projectos que ainda não “borregaram” é porque seguem a máxima macroeconómica do Professor Manuel Rocha,catedrático da mecânica de solos.Dizia ele que “primeiro escava-se e depois analisa-se.Projecta-se com largueza e executa-se com parcimónia”.Na BLC também é assim.Tem lá uns incubados, que devem estar cheios de sucesso, ou eles ou alguém por eles, porque nasceram super dotados a vender alta tecnologia a preços muito interessantes.O tal protótipo que se faz por menos de um milhão, “foi vendido” por mais de três.Depois, há que harmonizar a coisa.Logo, os geradores e o resto têm que valer a tal projecção, com largueza, porque, senão, o dinheiro sobra…! Ora isso , não é bom para ninguém.E, eu, até me calava. se visse que essas alcavalas iam para desenvolver o estudo e a investigação.Mas, não,Vejo o presidente da BLC com 49% por 490 euros..!E veio ele dizer que ainda é um favor que nos faz porque nas (outras) universidades os cientistas até levam mais..! Eu só ainda não sei, talvez por deficiência minha, o que descobriu o Eng.João Nunes, a não ser um emprego muito confortável. Diga-me cá, ó “anónimo sem tomates”.Está de acordo que nós paguemos e os jovens que não sabem como se poda uma videira, nem com quantos dentes nasce um cabrito, nos venham sacar desta maneira e no meu caso, ainda me passarem um atestado de parvo…? Sei mais de geradores a dormir que ele acordado.Ainda hoje um me “desarvorou”um e já ia nos 600 V. .Como sabe não devem passar dos 380, 400.O regulador de tensão anda como os dirigentes da BLC…Muito stressados…Mais dia menos dia a diferença do preço ainda vai ser para controlar a intensidade…Vamos manter a calma…Quando o Senhor presidente da BLC nasceu já eu acendia fogueiras no Vale de Madeiros e na Cerca, pelo sistema de fricção.Que não havia dinheiro para fósforos e a “guita” andava atrás dos isqueiros.”Cientistas”, por aqui, sempre houve, mesmo atrás das ovelhas..Não será por acaso que o nosso Presidente da Câmara se reclama dos melhores rebanhos, dos melhore pastores e do melhor queijo.Esteve quase a dizer o melhor presidente de Câmara.Mas vá lá, conteve-se…
    Meta isto na cabeça.Por gostar tanto da BLC é que me esforço tanto por a defender. Digo-lhe mais.Não tendo nascido no Concelho, faço questão de não usufruir nada pelas minhas funções públicas.Melhor dizendo,:receber recebo.Dou-o a instituições.Esses jovens cientistas, para dar o seu melhor é preciso um ordenado fora do normal e mais as tabelas que o Senhor Presidente da BLC, para se justificar, publicou..? O jovem com aquela idade já precisa de tanto? Com tanta I&D,será que quer ser “o maior rico do cemitério”? Que se cuide, pois, nem morto gosto de ser ultrapassado…
    Na abertura dos tribunais vou entrar com uma acção ao abrigo da lei 50/2012.Quero ver o “fundo ao tacho”.O que não quero é ver gente que gosta tanto da BLC que é como a minha “Maria”.Com tantos “mimos” que lhe dou anda sempre com “os olhos negros”.
    Anónimo: Não me “fecunde”..! Ainda não se deu conta que eu, sou macho..?Deixe andar o que anda que logo vê como acaba..!

    Eu não tenho culpa que o dinheiro tenha chegado a rodos, precisamente quando eu saí, ou um pouco antes.E como, sendo o principal responsável, não queriam que nada soubesse, para “Rainha de Inglaterra” dizia que era mas, descobri que não tinha jeito.Também descobri que, afinal, a lei me dava deveres, obrigações e direitos que a maioria dos PAM não usam.Não sei porquê, porque é uma imposição legal.Quando quis exercer as minhas funções disseram que “queria uma Câmara dentro da Câmara”.Mas não.A lei diz é que tinha e tenho que acompanhar e fiscalizar a Câmara.E que essa, respondia, e responde ou devia responder, perante a AM. Constituição da Republica 239º-1º e artigo 5º da lei 75/2013.Mas não querem .Parece que a lei são eles. Faça lá uma melhor análise.Se tiver dificuldades ou não compreender o que lhe digo, não se preocupe.Eu posso citar-lhe as leis que dizem que é como eu digo.Ou que eu faço o que elas determinam.Como queira..Não vá pensar que há uma lei só para mim, ou só para o nosso Concelho…Mas sempre lhe quero dizer que gostei da sua crítica.Tem sumo…

  • Teófilo

    Há um verme, há muito instalado neste país, que ainda não foi, devidamente, identificado – ele protege-se! – analisado – tem muitos “cientistas” a bajulá-lo! – e neutralizado – o seu modelo é para perpetuar, ao gosto dos que dele bem se servem!
    Chama-se de PS.
    Com os acólitos que se lhe conhecem e que, também, pela mesma cartilha se regem. Chama-se de PPD.
    Portas, agora, deixou o CDS para se dedicar ao petróleo.
    Grande saca de oportunistas. Bem sucedidos.
    O povo que pague.
    É para isso que serve.

  • António Lopes

    Fabricante de Equipamento Original SMART Vela de pré-aquecimento Vela de incandescência (0 250 203 013) compra on-lineOE Vela de incandescência SMART 0 250 203 013 o fabricante BOSCH com garantia de menor preço Número do artigo: 0 250 203 013
    Vela de incandescência BOSCH Duraterm
    16,98 €
    MSRP: 24,70 €
    Desconto : 32%
    incl. IVA de 23%

    • Guerra Junqueiro

      Tenham juízo, 25€ com 32% de desconto? Isso nem chega 0,48% do orçamento que tinham para a velas.
      Com esse comentário já pôs o Nunes a “Spin On” ou seja a, a fazer pião. Vamos ver qual vai ser a “Spin Off” que fez o negócio. Terá sido a Nunes Campos e Companhia limitada?
      Grande CEO este Nunes.

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro

      • António Lopes

        Mas, quais 25? São 16,98 com 32%..!

        • Guerra Junqueiro

          Atirei-lhe por cima para não me acusarem de ser “unhas de fome”.
          Penso que estes geradores especiais produzem “electricidade em pó”, já o combustível que consomem não sei se é “Centro-bio” ou se têm que ir lá em cima buscar umas bilhas dele às “bombas do Tó Maceira”.

          Cumprimentos
          Guerra Junqueiro

          • Ubérrimo

            “Tó Maceira”?
            Lagares?
            Aquele que, qual candidato ao que quer que seja, um verdadeiro senhor, um dos que mais adjectivos colocou – imaginem! – em tempos passados, à candidatura e primeiro mandato do actual presidente da câmara?
            E que foi, mais tarde, com ele, ver o glorioso a vários campos da Europa?
            É esse um dos pólos do guião desta – verdadeira! – geringonça?
            Nunca mais lá ponho um decilitro… de ” vinho”!.
            Bem me pareceu.
            (Se o edil soubesse!..) – se calhar, até soube, sabe, mas….não é, enfim…
            Parabéns, “Tó Maceira!”
            Deverias candidatar-te!!!…

          • Pastor

            Claro:
            – Negócios, são negócios…desde que “a coisa corra”!
            O verdadeiro sentido operacional – acção – desta cambada é este.
            Grandes exemplos.
            Dizem-se democratas.