Travanca de Lagos volta a celebrar o Viver Rural através das Artes

Travanca de Lagos vai acolher, de sexta-feira a domingo, a quarta edição do Festival Origens, um evento organizado pelos Jovens da Liga de Iniciativa e Melhoramentos de Travanca de Lagos que pretende celebrar “o Viver Rural através das artes”. A fotografia, pintura, música, teatro, gastronomia, artesanato, instalações e tertúlia são alguns dos ingredientes que pretendem atrair muitos visitantes a esta aldeia do concelho de Oliveira do Hospital.

“Queremos que este ano seja o de afirmação do Festival. O Origens já não é um certame do concelho mas da região. Temos dobrado o número de visitantes, todos os anos. Este ano não queremos que seja excepção”, disse na apresentação do evento o presidente da Liga de Travanca de Lagos, Pedro Marques. Já o director artístico do Origens Tiago Cerveira destacou que a organização parte de um grupo de jovens que vive no mundo rural por opção.

“Se foi aqui que nascemos é natural que sintamos a obrigação de dar o nosso contributo a esta terra e a esta gente porque afinal de contas é a nossa terra e a nossa gente. Este ano temos um programa extenso origens cartaze intenso, direccionado a todas faixas etárias. Proporcionamos o contacto das artes aos nossos e contacto dos nossos com os que nos visitam. A maioria dos travanquenses não se apercebe dos sábios que são e da importância cultural que cada um detém. A malta da Liga limita-se a tirar o melhor de cada um e isto estende-se à região serrana e beirã. É através deste culto da identidade que reerguemos a esperança”, frisou.

A iniciativa atingiu uma dimensão que não deixa ninguém indiferente. Para o presidente da Freguesia de Travanca de Lagos o Origens é um acontecimento que permite aproximar gerações dando a conhecer aos mais novos as suas origens. “O Origens é não deixar cair no esquecimento a identidade cultural e histórica de uma comunidade. O Origens é, por assim dizer, o cruzamento das histórias de vida, costumes, alegrias e tristezas, sem saudosismo doentio mas com um sonho de esperança no futuro”, sublinhou António Soares.

O cartaz cultural do festival mereceu também elogios da vereadora da Cultura do Município de Oliveira do Hospital. “É de facto diferenciador das iniciativas que conhecemos, realizadas por outras associações. O Origens já é uma marca do concelho e da região, além disso reúne todos os requisitos para orgulhar a sua terra e a suas gentes”, sublinhou Graça Silva – Vereadora da Cultura do Município de Oliveira do Hospital, enquanto o responsável máximo do OHsXXI-Associação Cultural e Multimédia de Oliveira do Hospital, um dos parceiros deste festival, reafirmou que pretendem continuar a colaborar com a organização do Origens, por este preservar as tradições inovando. “A OHsXXI contribui com o seu sentido crítico e com a sua forma de estar. É o terceiro ano de parceria com a Liga, este ano, além da música, organizamos uma Tertúlia com o tema “Viver Rural”, concluiu Nuno Santos.

LEIA TAMBÉM

CDU apresenta queixa na CNE contra executivo e autarcas do PS oliveirenses por aproveitamento “eleitoralista, ilegítimos e antidemocráticos”

Depois do PSD, a CDU de Oliveira do Hospital enviou também uma queixa à Comissão …

CDU: “Julgamos demasiado sem vergonha utilizar uma inauguração pública para os candidatos de um partido [PS] se promoverem”

O candidato à Assembleia de Freguesia de União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca …