Três ou quatro cafés por dia podem reduzir risco de enfarte

O consumo de três ou quatro cafés por dia poderá reduzir o risco de enfarte por obstrução arterial, segundo um estudo realizado por cientistas sul-coreanos publicado hoje na revista especializada britânica Heart. Uma equipa de cientistas, do Hospital Kangbuk Samsung, em Seul, concluiu que uma quantidade moderada de café reduz a presença de cálcio nas artérias coronárias, um elemento considerado responsável pela aterosclerose.

A investigação foi realizada com base numa amostra de mais de 25 mil homens e mulheres sul-coreanos com idade média de 21 anos e sem sintomas de doenças cardiovasculares. Os cientistas disseram que, no entanto, serão necessárias mais investigações para confirmar este estudo e determinar a explicação biológica dos supostos efeitos do café para prevenir a obstrução das artérias.

“As evidências sugerem que o consumo de café poderia manter uma relação inversa com o risco de doenças cardiovasculares”, segundo as conclusões do estudo publicado na revista britânica.

Os especialistas advertiram, em todo caso, que o estudo foi realizado na Coreia do Sul, um país com uma dieta diferente dos outros, e que os resultados poderiam não ser considerados para outros lugares do mundo.

A aterosclerose, que consiste na acumulação de lipídeos na parede vascular, pode causar o estreitamento e endurecimento das artérias, formando perigosos coágulos de sangue capazes, em última instância, de desencadear um derrame cerebral ou enfarte.

Assim, a quantidade de cálcio nas artérias de quem bebe entre três e quatro chávenas de café por dia é 10 por cento menor do que em pessoas que tomam entre uma e três chávenas, e é ainda 20 por cento mais baixo em comparação a quem bebe menos de uma, segundo o estudo.

Fonte: noticiasaominuto.pt

LEIA TAMBÉM

Incêndios causaram mais de 10 milhões de euros de prejuízos em Seia

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de Outubro no …

idosos

Idoso desaparecido em Trancoso

Os Bombeiros e a GNR estão a procurar um homem de 90 anos que foi …