Tribunal absolveu antigo executivo de Aldeia das Dez

Tribunal absolveu antigo executivo de Aldeia das Dez

O tribunal de Oliveira do Hospital absolveu o anterior executivo da Junta de Freguesia de Aldeia das Dez, dando como não provado o favorecimento da empresa de que é dono o sogro da ex-presidente da autarquia, Sónia Madeira, avançou a Rádio Boa Nova. Sónia Madeira, juntamente com Luís Conceição Santos (secretário) e Maria do Céu Castanheira (tesoureira), era acusada pelo Ministério Público de, alegadamente, actuar com o propósito de beneficiar empresas de construção civil, nomeadamente a empresa de António Madeira, seu sogro, incorrendo assim em co-autoria material de dois crimes de prevaricação.
Os factos, descreve a Rádio Boa Nova, remontam ao mês de Julho de 2010, quando o executivo convidou três empresas para apresentarem propostas para as obras de recuperação dos Lavadouros de Vale de Maceira por ajuste directo com consulta. Na mesma data, terá sido ainda decidido convidar quatro empresas para apresentação de propostas para obras de calcetamento e electrificação de cemitério e construção do Parque dos Monstros. Por apresentar a proposta mais vantajosa, a empresa de António Madeira foi a escolhida para a realização da recuperação dos Lavadouros. Luís Conceição Santos não participou na votação por ser sócio gerente de uma das sociedades concorrentes, a Casalva.

Em 6 de Setembro, Sónia Madeira e Maria do Céu Castanheira terão decidido anular a proposta mais vantajosa apresentada pela Casalva (4691,03 Euros) para a realização de obras de calcetamento e electrificação do cemitério e construção do Parque dos Monstros alegando “falhas graves ao nível da descrição dos trabalhos a realizar e nas unidades de medida”. Terão ainda aprovado entregar as obras ao construtor civil, António Madeira. Em Novembro do mesmo ano, o executivo de Sónia Madeira terá aprovado anular o processo de ajuste directo para a realização daquelas obras.

O Ministério Público acusou os três arguidos de “violaram conscientemente os deveres inerentes aos cargos políticos que cada um desempenhava” e que “pela anulação da proposta” os arguidos “actuaram com a intenção de beneficiar o construtor António Madeira”. O tribunal de Oliveira do Hospital, agora, deu as acusações como não provados, absolvendo o anterior executivo de Aldeia das Dez.

Foto:portugaleoutroslugares.blogspot.com

LEIA TAMBÉM

Tomada de posse dos órgãos autárquicos marcada pela tragédia dos incêndios e presidente reeleito aposta em “fazer renascer Oliveira do Hospital”

Não foi uma tomada de posse normal dos novos responsáveis pelo munícipio. Os discursos inflamados …

António Lopes apresenta denúncia no MP contra as autoridades do concelho oliveirense por entender que pode existir “crime de homicídio por negligência” na tragédia dos incêndios

O eleito à Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, António Lopes, apresentou ontem uma denúncia …

  • Politicalex

    Até uma junta, para umas obrecas, convidou três empresas.Mesmo assim deu confusão. Agora faz-se uma empresa em Julho, em Agosto já tem ajuste directo de 55 mil.Numa Câmara…Está tudo muito moderno…

    • Guerra Junqueiro

      E é só isso caro Politicalex?
      E fiscalizações entregues a técnicos de fora, quando recebem dinheiro da CMOH e subestimam os seus técnicos. Não prestam?
      Levaram 60 mil, que não sabemos para onde foram e vão entregar 74990€, por ajuste directo, pois se fosse 75000€ já tinha que haver concurso, a técnico de fora.
      Isto é “tudo pelas nossa pessoas”, pena é que não sejam de cá.
      A custo zero podia ser, têm gente mais do que competente para o efeito nos quadros da CMOH, mas esta transparência e esta honestidade de gestão, dá nisto.
      75000€, dava mil euros a cada família necessitada cá do concelho.

      Cumprimentos
      Guerra Junqueiro